Sobral – 300×100
Seet

Halum propõe corte de 14 Ministérios no governo Dilma

admin -

<span style="font-size:14px;">O deputado federal C&eacute;sar Halum (PRB-TO) apresentou emenda &agrave; comiss&atilde;o especial que analisa a PEC 299/13, que limita o n&uacute;mero de minist&eacute;rios nesta quarta-feira (26).<br />
<br />
O parlamentar sugeriu a redu&ccedil;&atilde;o para 25 pastas e afirmou que, embora as secretarias nacionais sejam importantes, t&ecirc;m onerado a administra&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica.<br />
<br />
<em>&quot;Nossa emenda sugere que seja reduzido para 25 o n&uacute;mero de ministros. Hoje, o que h&aacute; s&atilde;o 24 minist&eacute;rios e outras 15 secretarias nacionais com status de minist&eacute;rio. Logo, temos 39 ministros e nossa ideia &eacute; que esse n&uacute;mero seja reduzido para 25, ou seja, um corte de 14. Na nossa emenda pedimos, ainda, que os cargos dessas pastas sejam extintos. Distribuir cargos &eacute; queimar dinheiro dos impostos, mas reduzir cargos p&uacute;blicos &eacute; distribuir renda&rdquo;,</em>afirmou&nbsp;Halum<br />
<br />
O republicano comparou o aparelhamento na estrutura governamental com uma &ldquo;doen&ccedil;a grave&rdquo; que tem &ldquo;contaminado&rdquo; todas as esferas p&uacute;blicas estaduais e municipais.<br />
<br />
<em>&ldquo;Al&eacute;m da Esplanada, todos do poder p&uacute;blico est&atilde;o contaminados pelo aspecto quantitativo. Existem no Brasil 5.570 munic&iacute;pios e 27 unidades federativas, uma parte significativa vivendo de repasses do governo federal. Cada um deles cultivando sua estrutura burocr&aacute;tica semelhante &agrave;quela engendrada pela arquitetura dos minist&eacute;rios. Desta forma, o Estado brasileiro tornou-se ineficaz e dispendioso&rdquo; </em>frisou&nbsp;o parlamentar.<br />
<br />
Halum convocou os poderes Legislativo e Judici&aacute;rio a tamb&eacute;m se esfor&ccedil;arem na redu&ccedil;&atilde;o de custos. &ldquo;Existem muitas gorduras que precisam ser queimadas e o Brasil deve ser repensado com urg&ecirc;ncia&rdquo;, concluiu.</span>

Comentários pelo Facebook: