Seet
Sobral – 300×100

Tocantins assina carta para redução do efeito estufa e do desmatamento ilegal em 40% até 2018

admin -

<span style="font-size:14px;">Com a meta de reduzir em at&eacute; 40% o desmatamento ilegal no cerrado tocantinense at&eacute; 2018, o Tocantins se compromete a ajudar os estados da regi&atilde;o norte na redu&ccedil;&atilde;o da emiss&atilde;o dos gases de efeito estufa.<br />
<br />
Essa foi uma das metas apresentadas pela&nbsp; vice-governadora, Claudia Lelis, durante a Expo Mil&atilde;o 2015, que aconteceu em Mil&atilde;o, neste s&aacute;bado (5) durante o Dia da Amaz&ocirc;nia, organizado pelo Governo do Acre, onde os governadores do Acre, Ti&atilde;o Viana; de Rond&ocirc;nia, Conf&uacute;cio Moura; e a vice-governadora, Claudia Lelis, aderiram ao programa MoU Under 2, um Memorando de Entendimento, cujo objetivo &eacute; a contribui&ccedil;&atilde;o para redu&ccedil;&atilde;o da emiss&atilde;o dos gases de efeito estufa at&eacute; o ano de 2030.<br />
<br />
<em>&ldquo;E o nosso desafio &eacute; criar mecanismos institucionais e empresariais que deem suporte &agrave; explora&ccedil;&atilde;o sustent&aacute;vel e justa dessa biodiversidade. O Governo do Tocantins est&aacute; comprometido em reduzir o desmatamento ilegal, de alcan&ccedil;ar os objetivos de redu&ccedil;&atilde;o das emiss&otilde;es de gases de efeito estufa, de garantir as politicas de prote&ccedil;&atilde;o aos de povos tradicionais, &iacute;ndios e quilombolas, de investir no saneamento b&aacute;sico como garantia de cidadania aos povos da Amaz&ocirc;nia Legal e do Estado do Tocantins&rdquo;</em>, discursou a vice-governadora, durante a programa&ccedil;&atilde;o do dia da Amaz&ocirc;nia, no pavilh&atilde;o do Brasil.<br />
<br />
Outra &aacute;rea tamb&eacute;m com investimentos de R$ 44 milh&otilde;es e em parceria com o Fundo da Amaz&ocirc;nia e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econ&ocirc;mico e Social, &eacute; para adequa&ccedil;&atilde;o ambiental de mais de 80 mil propriedades rurais, apresentou Claudia Lelis.&nbsp;<br />
<br />
<em>&ldquo;Com isso ser&aacute; poss&iacute;vel identificar os passivos ambientais de reserva legal e &aacute;reas de preserva&ccedil;&atilde;o permanente e poder criar mecanismos para recuper&aacute;-los. Ser&aacute; poss&iacute;vel identificar onde, como e o qu&ecirc; nossos produtores est&atilde;o plantando e garantir cr&eacute;dito junto aos bancos e institui&ccedil;&otilde;es financeiras para uma produ&ccedil;&atilde;o sustent&aacute;vel, de baixo impacto e apta para ingressar no mundo do agroneg&oacute;cio&rdquo;</em>, destacou Claudia Lelis para um p&uacute;blico que reuniu ambientalistas, Ongs, empres&aacute;rios brasileiros e italianos.<br />
<br />
A vice-governadora participa do evento organizado pelo Estado do Acre dentro da programa&ccedil;&atilde;o da Expo Mil&atilde;o 2015, na It&aacute;lia, a convite do governo acreano, sem &ocirc;nus para o Tocantins.<br />
<br />
<u><strong>Expo Mil&atilde;o</strong></u><br />
<br />
Com o tema Alimentando o Planeta, Energia pra a Vida, a Expo Mil&atilde;o 2015 ter&aacute; a participa&ccedil;&atilde;o de 144 pa&iacute;ses e ir&aacute; promover o debate sobre como nutrir o planeta de forma sustent&aacute;vel, justa e saud&aacute;vel. O evento, que est&aacute; acontecendo em Mil&atilde;o, na It&aacute;lia, teve in&iacute;cio dia 1&ordm; de maio e termina dia 31 de outubro. O Brasil est&aacute; representado nesta exposi&ccedil;&atilde;o com o audit&oacute;rio do Pavilh&atilde;o do Brasil, onde acontece o evento organizado pelo governo acreano.<br />
<br />
Durante os 184 dias de evento, a organiza&ccedil;&atilde;o espera receber mais de 20 milh&otilde;es de visitantes em um espa&ccedil;o de 1 milh&atilde;o de m&sup2;.&nbsp; O pavilh&atilde;o brasileiro conta com 4 mil m&sup2;, onde acontecem exibi&ccedil;&otilde;es, atividades culturais e gastron&ocirc;micas, semin&aacute;rios, eventos de neg&oacute;cios e de relacionamento.&nbsp; Com o tema Alimentando o Mundo com Solu&ccedil;&otilde;es, o Brasil vai mostrar na Expo Mil&atilde;o 2015 sua capacidade para ampliar a produ&ccedil;&atilde;o de alimentos com tecnologias inovadoras e de forma suficiente, saud&aacute;vel e sustent&aacute;vel, com qualidade capaz de atender &agrave;s demandas mundiais. A participa&ccedil;&atilde;o brasileira na Expo Mil&atilde;o &eacute; organizada pela Ag&ecirc;ncia Brasileira de Promo&ccedil;&atilde;o de Exporta&ccedil;&otilde;es e Investimentos (Apex-Brasil), sob a coordena&ccedil;&atilde;o de uma Comiss&atilde;o Interministerial presidida pelo Minist&eacute;rio do Desenvolvimento, Ind&uacute;stria e Com&eacute;rcio Exterior (MDIC).</span>

Comentários pelo Facebook: