Sobral – 300×100
Seet

Agosto registra aumento de 16,3% na inadimplência no comércio de Araguaína em comparação a 2014

admin -

<span style="font-size:14px;">Utilizado pelos comerciantes como um dos term&ocirc;metros de vendas em todo o Brasil, o Servi&ccedil;o de Prote&ccedil;&atilde;o ao Cr&eacute;dito &ndash; SPC apontou uma tend&ecirc;ncia de diminui&ccedil;&atilde;o no n&uacute;mero de inadimplentes em Aragua&iacute;na no m&ecirc;s de agosto em rela&ccedil;&atilde;o a julho. Segundo o &oacute;rg&atilde;o, houve uma queda de 10,12% no n&uacute;mero de inscritos no cadastro de devedores no com&eacute;rcio local &ndash; 20.133 em julho e 18.095 em agosto. Na pr&aacute;tica significa que mais consumidores est&atilde;o pagando em dia seus parcelamentos.<br />
<br />
Contudo, houve uma leve queda no n&uacute;mero de pessoas que est&atilde;o quitando suas d&iacute;vidas e saindo do cadastro. Em julho foram 13.182; j&aacute; em agosto foram 12.835 (2,63% a menos).<br />
<br />
Comparando os n&uacute;meros com o mesmo per&iacute;odo do ano passado, a situa&ccedil;&atilde;o passa a ser um pouco mais complicada. Em agosto de 2014, 15.558 araguainenses foram inscritos no SPC; em agosto deste ano, o n&uacute;mero subiu para 18.095, aumento de 16,31%. E o n&uacute;mero de quita&ccedil;&otilde;es tamb&eacute;m diminuiu, desta vez na ordem de 2,80%.<br />
<br />
<u><strong>Fim de ano</strong></u><br />
<br />
De acordo com o diretor de SPC da Associa&ccedil;&atilde;o Comercial e Industrial de Aragua&iacute;na &ndash; Aciara, Alberto Luna, a expectativa &eacute; que, conforme o hist&oacute;rico dos anos anteriores, os meses de outubro, novembro e dezembro, apresentem um n&uacute;mero maior de quita&ccedil;&otilde;es de d&eacute;bitos em atraso, &ldquo;e a consequente queda da inadimpl&ecirc;ncia, alavancados, principalmente, pela chegada do d&eacute;cimo terceiro sal&aacute;rio&rdquo;.<br />
<br />
J&aacute; o n&uacute;mero de consultas ao SPC demonstra mais uma redu&ccedil;&atilde;o nas vendas, na ordem de 13,59% em rela&ccedil;&atilde;o a julho e 16,37% em rela&ccedil;&atilde;o a agosto de 2014, &iacute;ndices que seguem a tend&ecirc;ncia nacional de retra&ccedil;&atilde;o da economia.<br />
<br />
O presidente da Aciara, Manoel de Assis Silva, chama a aten&ccedil;&atilde;o para forma como Aragua&iacute;na est&aacute; lidando com a crise nacional. <em>&ldquo;Com esses resultados de retra&ccedil;&atilde;o do n&uacute;mero de consultas, que caracterizam uma pr&eacute;-venda, acende-se uma luz amarela de que a crise chegou de fato aqui nos mesmos patamares do restante do pa&iacute;s, que at&eacute; ent&atilde;o vinham ocorrendo, mas sempre em n&iacute;veis menores abrandados, em partes, pela nossa voca&ccedil;&atilde;o regional do agroneg&oacute;cio&rdquo;.</em></span>

Comentários pelo Facebook: