Sobral – 300×100
Seet

Mais de 500 advogados do Tocantins participam de roda de conversa com juristas Luiz Flávio Gomes e Alice Bianchini

admin -

<span style="font-size:14px;">Uma grande roda de conversa marcou a inaugura&ccedil;&atilde;o do espa&ccedil;o do Movimento &ldquo;OAB Somos Todos N&oacute;s&rdquo;, na noite da &uacute;ltima sexta-feira, 11, em Palmas. Cerca de 500 advogados de v&aacute;rias cidades do Estado, entre elas, Aragua&iacute;na, Colinas do Tocantins, Gurupi, Para&iacute;so do Tocantins e Porto Nacional prestigiaram o evento, que recebeu dois ilustres advogados conhecidos no cen&aacute;rio nacional: Luiz Fl&aacute;vio Gomes, um dos maiores criminalistas do pa&iacute;s, e Alice Bianchini, integrante do Conselho Especial da Mulher Advogada da OAB/Federal.<br />
<br />
Um dos l&iacute;deres do Movimento, o conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil &ndash; Seccional Tocantins (OAB-TO), Gedeon Pitaluga, prop&ocirc;s, em mais uma discuss&atilde;o, debater os interesses da classe de forma propositiva e a qualifica&ccedil;&atilde;o da advocacia para uma maior representatividade dos advogados do Tocantins.<br />
<br />
O jurista e professor, Luiz Fl&aacute;vio Gomes, defendeu o Movimento &ldquo;OAB Somos Todos N&oacute;s&rdquo; e falou da import&acirc;ncia da mudan&ccedil;a para que o pa&iacute;s avance. O jurista usou hist&oacute;rias de supera&ccedil;&atilde;o para explicar que a for&ccedil;a de vontade de alcan&ccedil;ar &eacute; que torna o homem vencedor. <em>&ldquo;Tudo &eacute; fruto de muito esfor&ccedil;o, com a experi&ecirc;ncia de ter vivido todas as carreiras, apoio essa causa de voc&ecirc;s, apoio o trabalho de Gedeon Pitaluga que cataliza as aspira&ccedil;&otilde;es de uma classe dolorida, angustiada, uma classe que sofre, pois do contr&aacute;rio, n&atilde;o ter&iacute;amos visto aqui depoimentos sinceros no sentido de uma falta de perspectiva do exerc&iacute;cio da advocacia. Um dos maiores erros que n&oacute;s cometemos &eacute; olhar somente o lado bonito do sucesso alheio, e n&atilde;o &eacute; assim que n&oacute;s crescemos, precisamos prestar aten&ccedil;&atilde;o no esfor&ccedil;o que est&aacute; por detr&aacute;s das grandes conquistas. Todos os senhores aqui lutam por mudan&ccedil;as, mudan&ccedil;a &eacute; a palavra que simboliza o brasileiro hoje, assim como voc&ecirc;s que est&atilde;o aqui, precisamos, acima de tudo, de transforma&ccedil;&atilde;o, por isso, apoio a todos voc&ecirc;s nesse desejo</em>&rdquo;, ressaltou Gomes.<br />
<br />
Para Alice Bianchini, falar em igualdade de g&ecirc;nero, discutir mais sobre o assunto em rela&ccedil;&atilde;o ao desejo de igualdade entre homens e mulheres em todos os espa&ccedil;os &eacute; um passo importante para se chegar ao fortalecimento, a uni&atilde;o e a qualifica&ccedil;&atilde;o de todos os profissionais. <em>&ldquo;A ideia do Movimento da Mulher na OAB &eacute; exatamente a representatividade, ela ser representada como uma advogada mulher, m&atilde;e, etc. Os problemas das mulheres precisam ser representados, as diferen&ccedil;as precisam ser anuladas porque os problemas das mulheres s&atilde;o diferentes dos homens. Ser feminista &eacute; uma coisa s&oacute;, lutar pelo direito de igualdade entre homens e mulheres, e homens e mulheres levantam essa bandeira da igualdade, ent&atilde;o somos todos feministas, homens e mulheres. Ningu&eacute;m &eacute; melhor do que ningu&eacute;m, cada um tem o seu lugar e merece ser bem representado nos espa&ccedil;os, n&atilde;o importa a profiss&atilde;o&rdquo;</em>, afirmou.<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/Movimento%20OAB%20Somos%20Todos%20N%F3s%201.jpg" style="width: 600px; height: 401px;" /><br />
Representando a advocacia de Para&iacute;so do Tocantins, Lu&iacute;s Carlos Cabral expressou o sentimento de abandono em rela&ccedil;&atilde;o &agrave; OAB. <em>&ldquo;A OAB se afastou dos advogados, n&atilde;o temos a quem clamar mais, por isso, estamos nesse movimento, hoje &eacute; o grande in&iacute;cio da nossa luta, representados pelo Gedeon, vamos em busca de um fortalecimento da classe&rdquo;</em>, frisou.<br />
<br />
Representando a advocacia feminina e de Porto Nacional, a advogada Quinara Andrade, num discurso emocionado, falou da import&acirc;ncia do Movimento Mais Mulheres na OAB. <em>&ldquo;O Movimento Mais Mulheres me fortaleceu em um momento que eu estava realmente fraca, sem perspectivas, a partir do momento que fui convidada a engajar nessa causa me senti mais forte, mais confiante e valorizada. Precisamos defender as prerrogativas dos advogados e das advogadas, queremos apoio ao advogado e &agrave; advogada, defesa do advogado e da advogada e fortalecimento do advogado e da advogada. Queremos que as mulheres sejam tamb&eacute;m representadas. O Gedeon luta conosco nessa causa, por isso, n&oacute;s mulheres estamos com ele nesse Movimento&rdquo;</em>, destacou.<br />
<br />
O advogado Jos&eacute; Quezado veio de Aragua&iacute;na para prestigiar a roda de conversa. <em>&ldquo;Fiquei muito satisfeito em participar e debater com os colegas de todo o Estado sobre temas que interessam a advocacia, como a defesa das prerrogativas o qual entendo al&eacute;m de ser do advogado e tamb&eacute;m do cidad&atilde;o o qual representamos&rdquo;</em>, destacou Quezado.<br />
<br />
Gedeon Pitaluga afirmou o objetivo do Movimento &ldquo;OAB Somos Todos N&oacute;s&rdquo; falando da import&acirc;ncia das discuss&otilde;es nas rodas de conversas e de ouvir os advogados do Estado. &ldquo;<em>H&aacute; um distanciamento da OAB do Tocantins com os advogados, um d&eacute;ficit de representatividade e qualifica&ccedil;&atilde;o, dentre outros problemas que tem nos levado a fazer essas discuss&otilde;es por todo o Estado. Debater as prerrogativas do advogado, os anseios da classe, dentre outras quest&otilde;es &eacute; uma responsabilidade grande, mas &eacute; uma responsabilidade de todos n&oacute;s que queremos mudan&ccedil;a, por isso, o intuito do Movimento &ldquo;OAB Somos Todos N&oacute;s&rdquo;, porque a OAB realmente somos todos os que estamos aqui, homens, mulheres, jovens, s&ecirc;niors, da esfera p&uacute;blica, da privada, enfim, a OAB tem que representar a todos&rdquo;</em>, finalizou Pitaluga.</span>

Comentários pelo Facebook: