Sobral – 300×100
Seet

Eduardo Siqueira defende Aécio Neves e afirma que sociedade não aceitará nova CPMF

admin -

<span style="font-size:14px;">O deputado Eduardo Siqueira Campos (PTB) voltou &agrave; tribuna da Assembleia Legislativa para criticar a possibilidade do retorno da CPMF (Contribui&ccedil;&atilde;o Provis&oacute;ria sobre Movimenta&ccedil;&atilde;o Financeira) proposta pelo Governo Federal, que j&aacute; busca apoio dos governadores de sua base para conseguir sua aprova&ccedil;&atilde;o pelo Congresso Nacional. <em>&ldquo;N&atilde;o vejo a m&iacute;nima possibilidade de a sociedade brasileira aceitar a nova CPMF. N&atilde;o sem antes cortar pelo menos 20 minist&eacute;rios&rdquo;</em>, afirmou. Eduardo relembrou o fato da rejei&ccedil;&atilde;o do atual Governo ultrapassar a marca de 70%.<br />
<br />
O deputado relatou ainda a decep&ccedil;&atilde;o dos governadores da base que se deslocaram a Bras&iacute;lia para jantar com a presidente Dilma Rousseff (PT)&nbsp; e foram informados que, de acordo com a proposta original do Governo, os Estados n&atilde;o seriam contemplados com repasses. Somente ap&oacute;s altera&ccedil;&atilde;o na proposta original, com aumento da al&iacute;quota de 0,20% para 0,38%, e com a colabora&ccedil;&atilde;o dos governadores em conseguir votos para aprova&ccedil;&atilde;o da mat&eacute;ria no Congresso Nacional, &eacute; que os estados seriam contemplados com a divis&atilde;o do bolo.<br />
<br />
Ainda assim, o deputado entende que o Governo Federal enfrentar&aacute; muitas dificuldades para ver aprovada a nova CPMF devido a falta de sintonia da bancada governista com o Pal&aacute;cio do Planalto. <em>&ldquo;O pr&oacute;prio l&iacute;der do Governo no Senado disse que deveriam tentar outras estrat&eacute;gias e os deputados da base bateram boca&rdquo;</em>, ressaltou.<br />
<br />
<strong><u>Defesa a A&eacute;cio</u></strong><br />
<br />
Eduardo Siqueira tamb&eacute;m respondeu o pronunciamento do deputado Jos&eacute; Roberto Forzani (PT), em que o petista afirmou que a carreira pol&iacute;tica do senador A&eacute;cio Neves teria chegado ao fim. &ldquo;<em>O nosso governo acabou com o principal projeto pol&iacute;tico da elite, que era o personagem A&eacute;cio Neves. Ele virou p&oacute;. Virou p&oacute; e branco</em>&rdquo;, frisou o deputado do PT.&nbsp;&nbsp;<br />
<br />
&ldquo;<em>N&atilde;o acho justo tratar o l&iacute;der A&eacute;cio Neves da forma como Vossa Excel&ecirc;ncia tratou&rdquo;</em>, rebateu Siqueira.<br />
<br />
Eduardo discordou do l&iacute;der petista sobre o futuro pol&iacute;tico do Senador ao relembrar que o ex-presidente Lula disputou quatro elei&ccedil;&otilde;es para sagrar-se vitorioso. Enquanto A&eacute;cio, em sua primeira disputa ao Planalto, perdeu por uma quantidade m&iacute;nima de votos e no segundo turno.&nbsp; &quot;S<em>obre o ataque que fez Vossa Excel&ecirc;ncia ao l&iacute;der A&eacute;cio Neves, eu diria que o p&oacute; &eacute; o pouco que representa a quantidade de votos que o l&iacute;der A&eacute;cio Neves perdeu. O que desperta inclusive muitas d&uacute;vidas&rdquo;</em>, rebateu.</span>

Comentários pelo Facebook: