Sobral – 300×100
Seet

Elenil afirma que retomada do concurso da Polícia Civil do TO é uma "necessidade que se impõe"

admin -

<span style="font-size:14px;">Em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa (AL), o deputado estadual Elenil da Penha (PMDB) destacou a import&acirc;ncia da retomada do concurso p&uacute;blico da Pol&iacute;cia Civil para o fortalecimento da Seguran&ccedil;a P&uacute;blica no Tocantins. <em>&ldquo;Quando falamos de seguran&ccedil;a, um dos grandes problemas enfrentados no estado &eacute; a falta de efetivo na Pol&iacute;cia Civil. O d&eacute;ficit, hoje, &eacute; de 1.326 policiais. A maioria das delegacias n&atilde;o tem delegado, as que tem est&atilde;o sobrecarregadas, e faltam agentes para melhorar a taxa de elucida&ccedil;&atilde;o de crimes. Essa car&ecirc;ncia acaba comprometendo o trabalho investigativo realizado pela institui&ccedil;&atilde;o. Portanto, &eacute; indiscut&iacute;vel a necessidade de dar andamento ao certame suspenso em 2014&rdquo;</em>, ressaltou o parlamentar.<br />
<br />
Elenil defendeu o di&aacute;logo como forma de resolver o impasse entre os candidatos aprovados no certame e o governo do estado. &ldquo;<em>N&oacute;s sabemos que a situa&ccedil;&atilde;o financeira do Tocantins &eacute; delicado. H&aacute; uma preocupa&ccedil;&atilde;o muito grande em n&atilde;o contrariar a Lei de Responsabilidade Fiscal. Por isso, nesse momento de crise, &eacute; fundamental que o estado mantenha um di&aacute;logo franco e permanente com os mais de 700 candidatos aprovados no concurso. N&atilde;o podemos ignorar a reivindica&ccedil;&atilde;o destes futuros policiais. Afinal, o que eles est&atilde;o cobrando &eacute; um direito deles e o poder p&uacute;blico deve trabalhar para atend&ecirc;-los, sem, &eacute; claro, comprometer o er&aacute;rio&rdquo;</em>, afirmou o deputado.<br />
<br />
O 2&ordm; Secret&aacute;rio da Casa lembrou que mais que um desejo dos aprovados, a continuidade do concurso &eacute; tamb&eacute;m uma necessidade que se imp&otilde;e ante o crescimento da viol&ecirc;ncia no estado. <em>&ldquo;A criminalidade tem aumentado nas cidades tocantinenses. As pessoas t&ecirc;m medo de sair de casa. A popula&ccedil;&atilde;o clama por mais seguran&ccedil;a e n&atilde;o &eacute; poss&iacute;vel atender a este anseio, sem que tenhamos uma Pol&iacute;cia Civil melhor estruturada e sem d&eacute;ficit de profissionais&rdquo;</em>, finalizou Elenil.</span>

Comentários pelo Facebook: