Sobral – 300×100
Seet

Câmara de Piraquê decide hoje sobre extinção do mandato do prefeito condenado por improbidade; aliados tentam resistir

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<em>Potal AF Not&iacute;cias</em><br />
<br />
A C&acirc;mara de Piraqu&ecirc; (TO) decide, nesta quarta-feira (30), se extingue, ou n&atilde;o, o mandato do atual prefeito Jo&atilde;o Batista Nepomuceno Sobrinho, o Jo&atilde;o Goiano. O gestor foi condenado em a&ccedil;&atilde;o por ato de improbidade administrativa e est&aacute; com os direitos pol&iacute;ticos suspensos at&eacute; dezembro de 2015. O futuro pol&iacute;tico do prefeito ser&aacute; decidido em sess&atilde;o &agrave;s 19h30.<br />
<br />
A Juiza Wanessa Lorena Martins de Sousa, da Zona Eleitoral de Wanderl&acirc;ndia, depois de acionada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), encaminhou of&iacute;cio ao presidente da C&acirc;mara, vereador&nbsp;</span><span style="font-size:14px;">Hermano Ribeiro Silva,</span><span style="font-size:14px;">&nbsp;para informar sobre a suspens&atilde;o dos direitos&nbsp;pol&iacute;ticos do prefeito e determinar que o Legislativo Municipal tome as medidas cab&iacute;veis.<br />
<br />
Diante disso, o presidente convocou todos os vereadores, em car&aacute;ter de urg&ecirc;ncia, para uma sess&atilde;o extraordin&aacute;ria que decidir&aacute; pelo voto da maioria sobre a extin&ccedil;&atilde;o do cargo.<br />
<br />
Jo&atilde;o Goiano foi condenado em a&ccedil;&atilde;o de improbidade administrativa movida pelo Minist&eacute;rio P&uacute;blico Federal e est&aacute; com os direitos pol&iacute;ticos suspensos por 4 anos. O gestor ainda dever&aacute; ressarcir aos cofres p&uacute;blicos R$ 43.329,98 oriundos de dois conv&ecirc;nios firmados com o Minist&eacute;rio da Educa&ccedil;&atilde;o, e pagar multa no valor de dez vezes o sal&aacute;rio de prefeito do munic&iacute;pio vigente em dezembro de 2004.<br />
<br />
<u><strong>Podem perder o cargo, mas n&atilde;o votam pela extin&ccedil;&atilde;o</strong></u><br />
<br />
A sess&atilde;o promete ser bastante acalorada. Segundo fontes ouvidas pela reportagem, alguns vereadores aliados ao prefeito Jo&atilde;o Goiano j&aacute; afirmaram que podem at&eacute; perder o cargo e serem processados pelo Minist&eacute;rio P&uacute;blico, mas n&atilde;o votam pela extin&ccedil;&atilde;o do mandato do prefeito que est&aacute; condenado por improbidade.<br />
<br />
Ainda segundo informa&ccedil;&otilde;es, esses vereadores, a maioria, s&atilde;o aliados fi&eacute;is do prefeito e coniventes com os atos irregulares do Chefe do Executivo. Embora tenha o papel de fiscalizar, a C&acirc;mara de Piraqu&ecirc; tamb&eacute;m n&atilde;o apurou a falta de presta&ccedil;&atilde;o de contas, e nem a aplica&ccedil;&atilde;o, dos recursos federais que foram destinados &agrave; educa&ccedil;&atilde;o do Munic&iacute;pio. &nbsp;<br />
<br />
S&atilde;o aliados incondicionais ao prefeito os vereadores Hermano Ribeiro, Luiz Cardoso, Josivan Fran&ccedil;a, Manoel Messias da Silva e Luzinete Lopes. S&atilde;o de oposi&ccedil;&atilde;o Arquimino Modesto, Maria Deusa, Deucleciano Batista e Alcides Ferreira.&nbsp;</span><br />

Comentários pelo Facebook: