Seet
Sobral – 300×100

Jornalistas do Tocantins representam Estado em encontro no Ceará

admin -

<span style="font-size:14px;">Com tr&ecirc;s dias de intensos debates sobre &ldquo;A credibilidade da informa&ccedil;&atilde;o jornal&iacute;stica na era da comunica&ccedil;&atilde;o digital&rdquo;, o XX Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Imprensa (ENJAI 2015) reuniu na Capital cearense, de 1&ordm; a 3 de outubro, mais de 300 participantes, sendo delegados, observadores e estudantes de 20 estados brasileiros. Ap&oacute;s a plen&aacute;ria final, os delegados e delegadas aprovaram a Carta de Fortaleza, documento pol&iacute;tico que sintetiza as lutas dos jornalistas brasileiros organizados em seus sindicatos e na Federa&ccedil;&atilde;o Nacional dos Jornalistas (FENAJ).<br />
<br />
A presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Cear&aacute; (Sindjorce), Samira de Castro, que integrou a comiss&atilde;o de reda&ccedil;&atilde;o da Carta de Fortaleza, ao lado dos jornalistas Cl&aacute;udio Curado (presidente do Sindicato dos Jornalistas de Goi&aacute;s) e Bruno Cruz (diretor da FENAJ), destacou a relev&acirc;ncia do evento e a reafirma&ccedil;&atilde;o das lutas que s&atilde;o de toda a sociedade, como a democratiza&ccedil;&atilde;o dos meios de comunica&ccedil;&atilde;o no Brasil. &ldquo;<em>Foi um evento vitorioso, principalmente por possibilitar aos jornalistas que atuam em assessoria em todo o pa&iacute;s um debate de temas que s&atilde;o muito caros &agrave; categoria</em>&rdquo;, disse.<br />
<br />
Representaram o Tocantins no Encontro, realizado pela Federa&ccedil;&atilde;o Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Cear&aacute; (Sindjorce), os jornalistas J&uacute;nior Veras, que integrou a mesa diretora (relatoria), Aldemar Ribeiro e Maria Jos&eacute; Morais, como delegados, al&eacute;m de Fred Alves e Joselita Martos, observadores.<br />
<br />
<strong><u>Carta de Fortaleza</u></strong><br />
<br />
N&oacute;s, jornalistas brasileiros em assessoria de imprensa, reunidos na cidade de Fortaleza na realiza&ccedil;&atilde;o do XX Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Imprensa durante os dias 1, 2 e 3 de outubro de 2015, alertamos &agrave; popula&ccedil;&atilde;o sobre o atual momento de instabilidade econ&ocirc;mica e pol&iacute;tica.<br />
<br />
Sem desconhecer a gravidade conjuntural enfrentada pelo pa&iacute;s, repudiamos a forma como os grandes ve&iacute;culos de comunica&ccedil;&atilde;o superdimensionam a desacelera&ccedil;&atilde;o econ&ocirc;mica, tanto em profundidade quanto em alcance, com o objetivo de desestabilizar politicamente o governo.<br />
<br />
Por outro lado, ao apostar mais uma vez na concilia&ccedil;&atilde;o pol&iacute;tica com setores conservadores, o Governo Dilma insiste na ado&ccedil;&atilde;o de medidas que empurram a conta do enfraquecimento econ&ocirc;mico para os trabalhadores.<br />
<br />
As recentes demiss&otilde;es de centenas de jornalistas em todo o pa&iacute;s e a crescente precariza&ccedil;&atilde;o das rela&ccedil;&otilde;es de trabalho demonstram a inseguran&ccedil;a do mercado de comunica&ccedil;&atilde;o e refor&ccedil;am a necessidade de regulamenta&ccedil;&atilde;o de um setor marcado pela concentra&ccedil;&atilde;o e pela falta de controle p&uacute;blico.<br />
<br />
Mesmo com graves consequ&ecirc;ncias para os profissionais do setor, o avan&ccedil;o do processo de democratiza&ccedil;&atilde;o da m&iacute;dia &eacute; uma responsabilidade da sociedade brasileira como um todo.<br />
<br />
Apesar da constru&ccedil;&atilde;o da primeira Confer&ecirc;ncia Nacional de Comunica&ccedil;&atilde;o, &eacute; preciso intensificar a press&atilde;o para que o governo proponha leis que constituam um Marco Regulat&oacute;rio para o setor no Brasil.<br />
<br />
Em um cen&aacute;rio de crescente converg&ecirc;ncia de m&iacute;dias, rearticula&ccedil;&atilde;o dos meios de comunica&ccedil;&atilde;o e queda da credibilidade da informa&ccedil;&atilde;o, o XX ENJAI ressalta a import&acirc;ncia do trabalho do assessor de imprensa como atividade jornal&iacute;stica pautada pelos fundamentos &eacute;ticos da profiss&atilde;o e pelo interesse p&uacute;blico.<br />
<br />
Os jornalistas em assessoria de imprensa reafirmam que a constitui&ccedil;&atilde;o do Conselho Federal de Jornalistas e o resgate da exig&ecirc;ncia do diploma como crit&eacute;rio de acesso &agrave; profiss&atilde;o s&atilde;o essenciais ao direito da popula&ccedil;&atilde;o &agrave; informa&ccedil;&atilde;o jornal&iacute;stica de qualidade.<br />
<br />
Nesse sentido, reivindicamos a imediata vota&ccedil;&atilde;o na C&acirc;mara Federal do Projeto de Emenda Constitucional 206/2012 e a rejei&ccedil;&atilde;o do Projeto de Lei 4330, o PL da terceiriza&ccedil;&atilde;o, que amea&ccedil;a os jornalistas e demais trabalhadores brasileiros.<br />
<br />
Reiteramos o desastre que representa a ratifica&ccedil;&atilde;o por parte do Congresso Nacional das Medidas Provis&oacute;rias que alteram para pior a legisla&ccedil;&atilde;o previdenci&aacute;ria no Brasil.<br />
<br />
Registramos, ainda, a import&acirc;ncia das novas diretrizes curriculares que j&aacute; resultam no aumento das cadeiras ligadas &agrave; assessoria de imprensa nas grades dos cursos de jornalismo, fortalecendo ainda mais a forma&ccedil;&atilde;o e valoriza&ccedil;&atilde;o do diploma.<br />
<br />
Inspirados pelo Drag&atilde;o do Mar, como ficou conhecido o jangadeiro Francisco Jos&eacute; do Nascimento, o maior her&oacute;i popular da hist&oacute;ria abolicionista do Cear&aacute;, os jornalistas reunidos neste encontro acreditam que somente a unidade dos trabalhadores ser&aacute; capaz de conquistar estas garantias democr&aacute;ticas que representam um avan&ccedil;o n&atilde;o s&oacute; para os profissionais da comunica&ccedil;&atilde;o, mas para todo o povo brasileiro.</span>

Comentários pelo Facebook: