Sobral – 300×100
Seet

Navio do Frigorífico Minerva naufraga com 5 mil cabeças de gado no Porto de Vila do Conde, Pará

admin -

<span style="font-size:14px;">Um navio do frigor&iacute;fico Minerva naufragou com 5 mil cabe&ccedil;as de gado na manh&atilde; desta ter&ccedil;a-feira (6) no maior porto do Par&aacute;, o Porto de Vila do Conde, &agrave;s margens do Rio Par&aacute; no munic&iacute;pio de Barcarena, distante cerca de duas horas da capital. Ele faz parte do Arco Norte, composto tamb&eacute;m pelos portos de Itacoatiara (AM), Santar&eacute;m (PA), Itaqui (MA), Salvador (BA) e Ilh&eacute;us (BA).<br />
<br />
A embarca&ccedil;&atilde;o AIDAR, de bandeira Libanesa, sairia com destino &agrave; Venezuela. Ela estava atracada, mas tombou para cima do cais ap&oacute;s o carregamento. Ainda n&atilde;o se sabe as causas do acidente.<br />
<br />
Nas imagens que circulam pela internet, os animais aparecem tentando sair da embarca&ccedil;&atilde;o pela lateral do navio que j&aacute; estava quase completamente submerso. As imagens a&eacute;reas j&aacute; mostram vazamento de &oacute;leo no rio. Al&eacute;m disso, foi poss&iacute;vel identificar animais que tentavam fugir do acidente sendo mortos nas beiras do rio por moradores ribeirinhos das proximidades.<br />
<br />
A Capitania dos Portos da Amaz&ocirc;nia Oriental (CPAOR) informou em nota preliminar que foi notificada por volta das 8h e que n&atilde;o h&aacute; not&iacute;cia de v&iacute;timas humanas. Uma equipe do Grupo de Vistoria e Inspe&ccedil;&atilde;o da Capitania tamb&eacute;m foi enviada ao local para apurar informa&ccedil;&otilde;es preliminares que devem auxiliar no Inqu&eacute;rito sobre Acidentes e Fatos da Navega&ccedil;&atilde;o, com prazo de conclus&atilde;o de 90 (noventa) dias.<br />
<br />
A Companhia Docas do Par&aacute; (CDP), respons&aacute;vel pela administra&ccedil;&atilde;o do porto, ressaltou que est&atilde;o envolvidos os &oacute;rg&atilde;os como Capitania dos Portos, Bombeiros e Pol&iacute;cia Federal, para trabalhar no resgate de animais e na apura&ccedil;&atilde;o das causas do acidente.</span>

Comentários pelo Facebook: