Seet
Sobral – 300×100

Acadêmicos do curso de Direito visitam Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota

admin -

<span style="font-size:14px;">Os alunos do 6&ordm; per&iacute;odo dos turnos matutino e noturno do Curso de Direito da&nbsp; FAHESA/ITPAC visitaram, nesta quarta feira (07) as depend&ecirc;ncias da Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota.<br />
<br />
Na ocasi&atilde;o, 46 acad&ecirc;micos, sob a orienta&ccedil;&atilde;o dos professores Marcos Reis e Marcos Paulo, puderam visualizar as instala&ccedil;&otilde;es do pres&iacute;dio.<br />
<br />
Na unidade, s&atilde;o realizados diversos projetos de remiss&atilde;o e ressocializa&ccedil;&atilde;o, como por exemplo: horta, a f&aacute;brica de roupas e a escola de ensino fundamental, entre outros.<br />
<br />
Os alunos visitaram os pavilh&otilde;es, a &aacute;rea de visita familiar e visita &iacute;ntima, e tamb&eacute;m a &aacute;rea de banho de sol. A atividade foi dividida em dois blocos. Pela manh&atilde;, a visita guiada acompanhou os alunos do turno matutino e a tarde, os alunos do per&iacute;odo noturno.<br />
<br />
Para o Professor Marcos Reis, de Direito Penal, a experi&ecirc;ncia solidifica a compreens&atilde;o pr&aacute;tica da Lei de Execu&ccedil;&atilde;o Penal.&nbsp;<em>&ldquo;N&atilde;o basta apenas a teoria de sala de aula. &Eacute; necess&aacute;rio que o aluno visualize e tenha a experi&ecirc;ncia pr&aacute;tica daquilo que aprendemos na legisla&ccedil;&atilde;o. &Eacute; nosso intuito formar profissionais humanistas, com olhar cr&iacute;tico mas sens&iacute;vel &agrave;s realidades e necessidades, sobretudo no que diz respeito ao sistema carcer&aacute;rio brasileiro&rdquo;</em>, afirma o professor.<br />
<br />
&ldquo;<em>A universidade precisa integrar-se &agrave; sociedade. Para isso, atividades desta natureza s&atilde;o imprescind&iacute;veis&rdquo;</em>, refor&ccedil;ou o&nbsp;professor Marcos Paulo.<br />
<br />
A a&ccedil;&atilde;o faz parte de uma atividade de extens&atilde;o e ser&aacute; acompanhada de outras visitas a &oacute;rg&atilde;os de reeduca&ccedil;&atilde;o penal.</span>

Comentários pelo Facebook: