Sobral – 300×100
Seet

Luana apresenta projeto para criar Estatuto do Parto Humanizado no Tocantins

admin -

<span style="font-size:14px;">A deputada estadual Luana Ribeiro (PR) apresentou projeto de lei para instituir Estatuto do Parto Humanizado no Tocantins.<br />
<br />
O objetivo da mat&eacute;ria &eacute; assegurar uma melhor assist&ecirc;ncia &agrave;s mulheres em seu per&iacute;odo de gravidez e parto nas institui&ccedil;&otilde;es p&uacute;blicas e privadas de sa&uacute;de do Tocantins.<br />
<br />
&ldquo;<em>Como mulher, como m&atilde;e, acredito que este &eacute; um momento &iacute;mpar na vida da mulher e do seu filho. Garantir o bem estar f&iacute;sico e psicol&oacute;gico &eacute; preservar as pr&oacute;ximas gera&ccedil;&otilde;es&rdquo;</em>, disse.<br />
<br />
De acordo com Luana, o Brasil &eacute; pa&iacute;s com um dos mais altos &iacute;ndices de ces&aacute;rea do mundo, as fam&iacute;lias que optam por um caminho mais natural e menos intervencionista para o parto t&ecirc;m dificuldade de encontrar apoio para fortalecer suas decis&otilde;es e fazer valer suas escolhas.<br />
<br />
<em>&quot;Evid&ecirc;ncias cient&iacute;ficas e recomenda&ccedil;&otilde;es da Organiza&ccedil;&atilde;o Mundial da Sa&uacute;de (OMS) mostram a import&acirc;ncia dessa ajuda para as fam&iacute;lias&quot;,</em> afirmou.<br />
<br />
Pelo projeto, entre os direitos da mulher assegurados pelo Estatuto est&atilde;o: ter a&nbsp; privacidade respeitada e ser tratada com dignidade; ser ouvida, ter suas d&uacute;vidas esclarecidas e receber todas as informa&ccedil;&otilde;es e explica&ccedil;&otilde;es que desejar, em especial as que impedem op&ccedil;&atilde;o pelo parto normal, quando couber; dispor de acompanhante de sua escolha, independentemente do sexo, durante o trabalho de parto, o parto e o p&oacute;s-parto; escolher a melhor posi&ccedil;&atilde;o durante o trabalho de parto e, para o parto, ser incentivada a adotar posi&ccedil;&otilde;es como sentada ou de c&oacute;coras, mais favor&aacute;veis &agrave; boa evolu&ccedil;&atilde;o do parto; ter acesso a m&eacute;todos n&atilde;o farmacol&oacute;gicos para conforto e al&iacute;vio da dor, como massagens, banhos, cavalinho, bola, entre outros; n&atilde;o ser submetida, bem como seu beb&ecirc;, a interven&ccedil;&otilde;es e procedimentos desnecess&aacute;rios; entre outros.<br />
<br />
De acordo com Luana, apresentar o projeto de lei &eacute; uma maneira de reconhecer o respeito e a considera&ccedil;&atilde;o de que s&atilde;o merecedoras, valendo dizer que, a presente medida tem a finalidade de promover a dignidade dessas pessoas, aumentando sensivelmente os seus direitos, promovendo uma real melhora na qualidade de vida, tanto das m&atilde;es quanto dos rec&eacute;m-nascidos</span>

Comentários pelo Facebook: