Seet
Sobral – 300×100

Brasil tem potencial para produzir 185 mi de toneladas de grãos

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">Crucial para o mercado internacional de gr&atilde;os, a Argentina est&aacute; sofrendo s&eacute;rias dificuldades no campo em fun&ccedil;&atilde;o de problemas clim&aacute;ticos desde o in&iacute;cio do plantio da safra 2012/13.&nbsp; De acordo com o &uacute;ltimo relat&oacute;rio divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a situa&ccedil;&atilde;o das lavouras est&aacute; se estabilizando, mesmo assim os argentinos devem colher 51,5 milh&otilde;es de toneladas de soja, 2,83% a menos do que foi estimado no in&iacute;cio do ano pelo &oacute;rg&atilde;o.<br />
<br />
As consequ&ecirc;ncias da severa estiagem que atingiu o pa&iacute;s vizinho nas &uacute;ltimas semanas ser&atilde;o checadas de perto pela Expedi&ccedil;&atilde;o Safra a partir desta quarta-feira (11). Uma equipe de t&eacute;cnico e jornalistas ir&aacute; percorrer, nos pr&oacute;ximos dias, as principais regi&otilde;es produtoras e as novas fronteiras agr&iacute;colas da Argentina para medir o impacto do clima na produ&ccedil;&atilde;o. &ldquo;H&aacute; pelo menos tr&ecirc;s safras que os produtores argentinos tentam retirar do campo 50 milh&otilde;es de toneladas de soja. A marca s&oacute; foi atingida uma vez at&eacute; hoje, no ciclo 2009/10. As seguidas frustra&ccedil;&otilde;es s&atilde;o atribu&iacute;das ao clima&rdquo;, explica Jos&eacute; Rocher, coordenador deste roteiro da Expedi&ccedil;&atilde;o.<br />
<br />
Segundo levantamento da Expedi&ccedil;&atilde;o, na &uacute;ltima temporada os argentinos deixaram de colher 10 milh&otilde;es de toneladas de soja. O pa&iacute;s tinha potencial para produzir 53 milh&otilde;es de toneladas da oleaginosa, mas colheu 43 milh&otilde;es de toneladas.<br />
<br />
Durante a viagem, as prov&iacute;ncias de Buenos Aires, Cord&oacute;ba e Santa F&eacute; &ndash; regi&atilde;o que concentra mais de 80% da produ&ccedil;&atilde;o de gr&atilde;os do pa&iacute;s &ndash;, al&eacute;m do complexo portu&aacute;rio de San Lorenzo ser&atilde;o destinos da Expedi&ccedil;&atilde;o, que come&ccedil;a o roteiro por Ros&aacute;rio onde ir&aacute; verificar as opera&ccedil;&otilde;es do complexo portu&aacute;rio fluvial que corta o cintur&atilde;o de gr&atilde;os do pa&iacute;s e agiliza o escoamento da safra. Ainda na quarta-feira, a equipe visitar&aacute; a Bolsa de Com&eacute;rcio de Ros&aacute;rio, para acompanhar a comercializa&ccedil;&atilde;o do 1&ordm; lote de soja da temporada 2012/13.<br />
<br />
<strong><u>Paraguai</u></strong><br />
<br />
As incurs&otilde;es da Expedi&ccedil;&atilde;o pela Am&eacute;rica no Sul come&ccedil;aram na semana passada, no Paraguai, quarto maior exportador de soja do mundo.&nbsp; A equipe percorreu o cintur&atilde;o de produ&ccedil;&atilde;o de gr&atilde;os do pa&iacute;s, e, pela primeira vez, visitou a regi&atilde;o do Chaco paraguaio, considerada a nova fronteira agr&iacute;cola do pa&iacute;s. Na &aacute;rea predominam os criadores de gado, mas nos &uacute;ltimos anos est&aacute; ocorrendo o processo de ocupa&ccedil;&atilde;o pelos produtores de gr&atilde;os devido ao grande potencial de expans&atilde;o das lavouras.<br />
<br />
&ldquo;Apesar de ser semides&eacute;rtica e sofrer com problemas de log&iacute;stica, fomos surpreendidos pela infraestrutura do local. Podemos at&eacute; afirmar que boa parte da regi&atilde;o tem uma estrutura melhor do que alguns estados produtores de gr&atilde;os do Centro-Norte brasileiro, como o Piau&iacute;. Existem escolas e atendimento hospitalar, a maioria financiada pela pelas cooperativas de gr&atilde;os que atuam no Chaco. J&aacute; no extremo norte a situa&ccedil;&atilde;o &eacute; bem mais complicada&rdquo;, conta Rocher.<br />
<br />
Na cidade de La Paloma del Esp&iacute;ritu Santo, a Expedi&ccedil;&atilde;o participou da 15&ordf; Expo Regional Canindey&uacute;, principal feira de agricultura, pecu&aacute;ria, ind&uacute;stria, com&eacute;rcio e servi&ccedil;os da regi&atilde;o com 450 expositores. At&eacute; o pr&oacute;ximo domingo o evento deve movimentar US$ 250 milh&otilde;es.<br />
<br />
A colheita de ver&atilde;o paraguaia est&aacute; quase conclu&iacute;da e os produtores j&aacute; iniciaram o plantio da safrinha. Segundo dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o pa&iacute;s deve colher 8,35 milh&otilde;es de toneladas de soja. No &uacute;ltimo ciclo, as lavouras paraguaias n&atilde;o renderam nem 5 milh&otilde;es de toneladas por causa da seca que atingiu o pa&iacute;s por quase todo o ciclo.&nbsp; Entre soja e milho, estimativas preliminares indicam que o pa&iacute;s tem potencial para colher mais de 10 milh&otilde;es de toneladas de gr&atilde;os neste ano.<br />
Ap&oacute;s percorrer cerca de seis mil quil&ocirc;metros pelos dois pa&iacute;ses sul-americanos, a Expedi&ccedil;&atilde;o Safra segue para a &Iacute;ndia, mercado consumidor que se compara ao chin&ecirc;s, mas ainda &eacute; pouco acessado pelos principais produtores de soja e milho do mundo.<br />
<br />
<strong><u>Brasil</u></strong><br />
<br />
Diagn&oacute;stico tra&ccedil;ado pelo projeto e divulgado no final do m&ecirc;s de mar&ccedil;o, aponta que o Brasil tem potencial para produzir neste ciclo 185 milh&otilde;es de toneladas de gr&atilde;os, quase 11% a mais do que foi produzido na safra passada, quando o Brasil colheu 166 milh&otilde;es de toneladas de gr&atilde;os. A soja ser&aacute; o grande destaque da temporada com a produ&ccedil;&atilde;o de 81,6 milh&otilde;es de toneladas. J&aacute; o milho de ver&atilde;o recupera produtividade ap&oacute;s um ano de quebra e mant&eacute;m a safra total nacional em n&iacute;veis recordes.<br />
<br />
<strong><u>Sobre a Expedi&ccedil;&atilde;o Safra Gazeta do Povo</u></strong><br />
<br />
Na estrada desde o ciclo 2006/07, a Expedi&ccedil;&atilde;o Safra Gazeta do Povo realiza um levantamento t&eacute;cnico-jornal&iacute;stico da produ&ccedil;&atilde;o de gr&atilde;os da Am&eacute;rica do Sul &agrave; Am&eacute;rica do Norte. A sondagem peri&oacute;dica ocorre em 14 estados brasileiros, mais as regi&otilde;es produtoras dos Estados Unidos, Paraguai e Argentina.<br />
<br />
Para ampliar a discuss&atilde;o de mercado, nas &uacute;ltimas duas safras os t&eacute;cnicos e jornalistas estenderam o trabalho de campo com incurs&otilde;es &agrave; Europa (Alemanha, Holanda, B&eacute;lgica e Fran&ccedil;a) e China. E nesta temporada desembarca na &Iacute;ndia. Desenvolvida pelo Agroneg&oacute;cio Gazeta do Povo, do Grupo Paranaense de Comunica&ccedil;&atilde;o (GRPCom), na edi&ccedil;&atilde;o 2012/13 a Expedi&ccedil;&atilde;o conta com apoio t&eacute;cnico da Federa&ccedil;&atilde;o da Agricultura do Paran&aacute; (Faep), Organiza&ccedil;&atilde;o das Cooperativas do Paran&aacute; (Ocepar), Organiza&ccedil;&atilde;o das Cooperativas Brasileiras (OCB) e Toyota e apoio institucional do Minist&eacute;rio da Agricultura, Pecu&aacute;ria e Abastecimento (Mapa), com patroc&iacute;nio do grupo Ceagro/LosGrobo, Governo do Paran&aacute;, New Holland, Caixa, UPL/DVA, Intacta RR2 PRO e Seara. Mais informa&ccedil;&otilde;es: www.expedicaosafra.com.br.</span></div>

Comentários pelo Facebook: