Seet
Sobral – 300×100

Deputado César Halum é o novo vice-presidente da Frente Parlamentar de Combate ao Crack

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">A C&acirc;mara dos Deputados divulgou nesta quinta-feira (18), a nova composi&ccedil;&atilde;o da diretoria da Frente Parlamentar Mista de Combate ao Crack. O deputado federal C&eacute;sar Halum (PSD-TO) foi nomeado vice-presidente do colegiado, que tem o objetivo de complementar as a&ccedil;&otilde;es dos governos federal, estaduais e municipais no enfrentamento da droga, considerada uma epidemia e um grave problema social no Pa&iacute;s. O deputado Fabio Faria (PSD-RN), permanece na presid&ecirc;ncia da Frente.<br />
<br />
O deputado explicou que o grupo promover&aacute; debates sobre as pol&iacute;ticas p&uacute;blicas de combate ao crack, uma das drogas mais perigosas atualmente – que causa fort&iacute;ssima e r&aacute;pida depend&ecirc;ncia f&iacute;sica. &ldquo;A sociedade pode contribuir com novas ideias de projetos que promovam o acolhimento e o tratamento de dependentes, a preven&ccedil;&atilde;o ao uso de entorpecentes e a repress&atilde;o ao tr&aacute;fico no Pa&iacute;s&rdquo;, afirmou o pessedista.<br />
<br />
Segundo o Halum, &eacute; preciso investir em pesquisas para identificar as reais dimens&otilde;es da droga e do seu uso, alertando a sociedade sobre os riscos. &quot;A preven&ccedil;&atilde;o, a educa&ccedil;&atilde;o e a informa&ccedil;&atilde;o s&atilde;o sempre melhores, mais eficientes e baratas do que a repress&atilde;o ou o tratamento m&eacute;dico&quot;, afirma o deputado.<br />
<br />
Hainda ainda anunciou, que uma das primeiras a&ccedil;&otilde;es da Frente em 2013, ser&aacute; a realiza&ccedil;&atilde;o de audi&ecirc;ncia p&uacute;blica para debater a interna&ccedil;&atilde;o compuls&oacute;ria de viciados em drogas.&nbsp; O parlamentar lembra que a interna&ccedil;&atilde;o compuls&oacute;ria foi adotada pelo governo de S&atilde;o Paulo, mas, por n&atilde;o ser consensual, gerou grande pol&ecirc;mica, com discuss&otilde;es mais ideol&oacute;gicas e partid&aacute;rias que t&eacute;cnicas. Para ele, o assunto ainda n&atilde;o foi discutido com a profundidade que merece.</span></div>

Comentários pelo Facebook: