Sobral – 300×100
Seet

Casos de violência nas escolas do Tocantins reduziram 315%

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">Dados comparativos dos anos de 2010 a 2012 e do 1&ordm; trimestre de 2013, registrados pela Ouvidoria da Secretaria Estadual da Educa&ccedil;&atilde;o (Seduc), apontam que as demandas de viol&ecirc;ncias f&iacute;sica, moral e psicol&oacute;gica, envolvendo alunos ou servidores, tiveram uma redu&ccedil;&atilde;o de 315%.<br />
<br />
Segundo a Ouvidoria, em 2010, foram registrados 202 casos, enquanto em 2012, no universo de 206.301 alunos, foram 58 registros desta natureza, o que representa 0,028% do alunado da rede estadual. Em 2013, o numero &eacute; ainda menor. At&eacute; o primeiro trimestre deste ano foram apenas duas ocorr&ecirc;ncias.<br />
<br />
De acordo com a Ouvidoria, essa redu&ccedil;&atilde;o &eacute; resultado das a&ccedil;&otilde;es da Seduc, como a diminui&ccedil;&atilde;o do n&uacute;mero de estudantes em sala de aula, da valoriza&ccedil;&atilde;o dos servidores, do aumento do tempo para planejamento, al&eacute;m dos investimentos em tecnologia e infraestrutura para as escolas.<br />
<br />
A Seduc Itinerante tamb&eacute;m teve papel fundamental na mudan&ccedil;a desse quadro. Implantada em 2011, a Seduc Itinerante promoveu visitas de superintendentes, diretores e t&eacute;cnicos da pasta a todas as unidades de ensino da rede estadual a fim de ouvir a comunidade escolar e propor solu&ccedil;&otilde;es para as dificuldades encontradas.<br />
<br />
Conforme a Ouvidora Cristiane Mireile Bazzo De Pina a proximidade da Seduc com as unidades de ensino favoreceu a redu&ccedil;&atilde;o dos n&uacute;meros de viol&ecirc;ncia envolvendo demandas dessa natureza &ldquo;acredito que a continuidade de a&ccedil;&otilde;es semelhantes em 2013, como as j&aacute; tra&ccedil;adas e com a nova estrutura da Secretaria e das Diretorias Regionais fomentar&aacute; ainda mais o cuidado com os alunos e servidores das unidades de ensino&rdquo;, enfatiza.</span></div>

Comentários pelo Facebook: