Seet
Sobral – 300×100

Professor sobrevive vendendo picolés nas ruas de Goiatins

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;"><u><strong>Arnaldo Filho</strong></u><br />
<em>Portal AF Not&iacute;cias</em><br />
<br />
Os atrasos constantes nos sal&aacute;rios dos professores da rede municipal de Goiatins est&aacute; fazendo com que profissionais, graduados e que atuam h&aacute; d&eacute;cadas em sala de aula, tenham que buscar outros meios para sobreviver e garantir o sustento da fam&iacute;lia.<br />
<br />
Este &eacute; o caso de Adonel Tranqueira Filho que h&aacute; 17 anos &eacute; professor em Goiatins e agora vende picol&eacute;s, &ldquo;geladinho&rdquo; e cremosinho nas ruas do distrito de Alto Lindo para sobreviver e sustentar uma fam&iacute;lia de quatro filhos menores.<br />
<br />
Para contar um pouco do que &eacute; viver sem poder fazer compromissos com o ganho do seu trabalho, o professor Adonel enviou uma carta ao prefeito da cidade, Vinicius Donnover (PSD), e tamb&eacute;m &agrave; imprensa tocantinense. O professor leciona nas s&eacute;ries iniciais do Ensino Fundamental em Portugu&ecirc;s e Matem&aacute;tica.<br />
<br />
De acordo com o professor, <em>&ldquo;estava em d&uacute;vida se deveria fazer isso, mas lembrei-me das in&uacute;meras vezes em que seus cabos eleitorais lotaram a minha caixinha de correios com seus santinhos&rdquo;</em>.<br />
<br />
<em>&ldquo;Sei que Vossa Excel&ecirc;ncia &eacute; um homem ocupado; ocupado com seus interesses, entretanto, pe&ccedil;o que d&ecirc; um pouco da sua aten&ccedil;&atilde;o para mim que sou professor neste munic&iacute;pio h&aacute; 17 anos&rdquo;</em>, contou Adonel referindo-se ao prefeito Vin&iacute;cius Donnover.<br />
<br />
O professor pede ainda que o gestor imagine-se em seu lugar por alguns minutos. <em>&ldquo;Ao contr&aacute;rio do senhor e dos seus pares, que costumam ser prolixos em seus discursos, irei direto ao ponto: gostaria de lhe pedir para, por alguns minutos, imaginar-se no lugar de um cidad&atilde;o brasileiro comum. Imagine-se, senhor prefeito, na fila de um posto de sa&uacute;de, &agrave;s cinco da manh&atilde;, esperando por um atendimento que talvez nem aconte&ccedil;a; imagine-se, caro prefeito (bem caro mesmo!), vivendo &ndash; ou sobrevivendo? &ndash; com saldo negativo em minha conta corrente porque voc&ecirc; n&atilde;o paga meus R$ 2 175,00 mensais; imagine-se voc&ecirc; senhor prefeito vendendo picol&eacute;s, geladinho e cremosinho nas ruas do distrito Alto Bonito para alimentar seus filhos&rdquo;</em>, desabafou professor Adonel.<br />
<br />
O professor finaliza seu apelo pedindo que o prefeito Vin&iacute;cius Donnover tenha consci&ecirc;ncia e pense em tudo aquilo que deveria fazer, e n&atilde;o faz.<br />
<br />
<em>&ldquo;Um grande pux&atilde;o de orelha deste cidad&atilde;o que n&atilde;o tem mais o que fazer na vida&rdquo;, </em>finaliza Adonel Tranqueira Filho.<br />
<br />
<u><strong>Atrasos salariais</strong></u><br />
<br />
O drama vivido pelos professores de Goiatins tem sido mostrado no <strong><em>AF Not&iacute;cias</em></strong>. De acordo os profissionais, os atrasos salariais tornaram-se uma pr&aacute;tica constante na gest&atilde;o do atual prefeito Vinicius Donnover, desde que foi reeleito em 2012.<br />
<br />
Dos mais de 200 profissionais da rede municipal, apenas 60 receberam o pagamento de mar&ccedil;o; outros ainda n&atilde;o receberam sequer o de fevereiro.&nbsp;<br />
<br />
Vin&iacute;cius Donnover era o presidente da C&acirc;mara de Vereadores de Goiatins que desencadeou a Comiss&atilde;o Especial de Inqu&eacute;rito (CEI) que resultou na cassa&ccedil;&atilde;o do ex-prefeito Neodir Saorin. Donnover assumiu a prefeitura com o discurso de moralizar a coisa p&uacute;blica. No entanto, imediatamente ap&oacute;s ganhar as elei&ccedil;&otilde;es de 2012 os atrasos salariais passaram a ser a marca mais comum de sua nova gest&atilde;o.<br />
<br />
<a href="https://www.facebook.com/adonel.tranqueira" target="_blank"><span style="color:#0000cd;"><u><strong>Confira o movimento nas redes sociais</strong></u></span></a></span></div>

Comentários pelo Facebook: