Sobral – 300×100
Seet

Moradores de Luzinópolis aprendem a se alimentar de forma nutritiva e econômica

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">a &uacute;ltima sexta-feira, 26, o secret&aacute;rio do Trabalho e da Assist&ecirc;ncia Social (Setas), Agimiro Costa, entregou 26 certificados aos multiplicadores do curso de Capacita&ccedil;&atilde;o e Orienta&ccedil;&atilde;o em Seguran&ccedil;a Alimentar, realizado em Luzin&oacute;polis. Al&eacute;m da capacita&ccedil;&atilde;o, o munic&iacute;pio participou da Pesquisa em Seguran&ccedil;a Alimentar.<br />
<br />
Segundo o secret&aacute;rio, as a&ccedil;&otilde;es complementam a rede de prote&ccedil;&atilde;o social que vem sendo criada no Tocantins. &ldquo;O Governo realizou importantes a&ccedil;&otilde;es de enfrentamento a fome e a extrema pobreza no Estado, como a cria&ccedil;&atilde;o do Tocantins sem Fome e o fortalecimento do Pioneiros Mirins. E com esses cursos estamos levando conhecimento &agrave;s pessoas para que elas possam ter uma alimenta&ccedil;&atilde;o mais saud&aacute;vel,usando produtos do pr&oacute;prio quintal&rdquo;, destacou.<br />
<br />
<u><strong>Objetivos</strong></u><br />
<br />
Ensinar a transformar a entrecasca da mandioca que geralmente vai para o lixo em um delicioso prato. Criar novas receitas com produtos abundantes na regi&atilde;o e ainda substituir alimentos caros por outros mais acess&iacute;veis nas receitas tradicionais. Esses s&atilde;o alguns dos objetivos do curso que encantou a dona de casa Giselma Torres. &ldquo;Aprendi muitas coisas sobre as propriedades dos alimentos que eu n&atilde;o sabia, tamb&eacute;m achei tudo muito criativo. Por exemplo, aprendemos a fazer um macarr&atilde;o sem molho de tomate, que est&aacute; muito caro. Para substituir fizemos um creme de ab&oacute;bora, que temos muito na regi&atilde;o. Ficou uma del&iacute;cia&rdquo;, comemorou a dona de casa.<br />
<br />
O prefeito de Luzin&oacute;polis, Ari Almeida, aprovou a iniciativa e agradeceu a parceria do Governo do Estado na consolida&ccedil;&atilde;o da pol&iacute;tica de assist&ecirc;ncia social do munic&iacute;pio. &ldquo;A popula&ccedil;&atilde;o gostou muito do curso, acredito que nossas fam&iacute;lias v&atilde;o se alimentar melhor de agora em diante&rdquo;, disse o prefeito.<br />
<br />
Os cursos s&atilde;o solicitados e realizados em parceria com a Secretaria Municipal de Assist&ecirc;ncia Social. O munic&iacute;pio fica respons&aacute;vel pela escolha dos alunos, mobiliza&ccedil;&atilde;o da comunidade, espa&ccedil;o f&iacute;sico adequado e parte dos produtos usados nas oficinas. Ao final das atividades os participantes est&atilde;o aptos a compartilharem seus conhecimentos como multiplicadores.<br />
<br />
<strong><u>Sobre as a&ccedil;&otilde;es</u></strong><br />
<br />
As a&ccedil;&otilde;es s&atilde;o realizadas com as fam&iacute;lias benefici&aacute;rias de programas sociais como Bolsa Fam&iacute;lia, Programa de Erradica&ccedil;&atilde;o do Trabalho Infantil (Peti), Projovem Adolescente, Pioneiros Mirins, entre outros.<br />
<br />
O curso atende aos pais, que na primeira etapa participam de aulas te&oacute;ricas sobre alimenta&ccedil;&atilde;o saud&aacute;vel, aproveitamento integral dos alimentos, riqueza dos frutos regionais e higiene. Na segunda fase das atividades eles aplicam os conhecimentos executando receitas de p&atilde;es enriquecidos, gel&eacute;ias de produtos abundantes na regi&atilde;o como ab&oacute;bora, melancia, entre outros<br />
<br />
.Segundo a engenheira de alimentos e instrutora do curso, Patr&iacute;cia de Oliveira, na primeira etapa &eacute; feito um levantamento na pr&oacute;pria turma para conhecer os alimentos mais ricos na regi&atilde;o e a cultura alimentar das fam&iacute;lias. &ldquo;Respeitando esses aspectos e procuramos criar receitas que utilizem os produtos regionais e que agradem o paladar das pessoas&rdquo;, explicou a instrutora.<br />
<br />
Em Luzin&oacute;polis as alunas aprenderam a usar frutas nas receitas de pratos quentes, a exemplo do gratinado de mam&atilde;o. E o coco baba&ccedil;u ajudou a incrementar pratos como a farofa de feij&atilde;o trepa pau ao &oacute;leo de baba&ccedil;u.<br />
<br />
<u><strong>Pesquisa</strong></u><br />
<br />
J&aacute; a Pesquisa em Seguran&ccedil;a Alimentar acontece tanto com as crian&ccedil;as que passam por uma avalia&ccedil;&atilde;o antropom&eacute;trica quanto com as fam&iacute;lias que respondem a um question&aacute;rio sobre frequ&ecirc;ncia e variedade na alimenta&ccedil;&atilde;o. De acordo com a engenheira de alimentos, Deana de Paula, respons&aacute;vel pela pesquisa, depois de compilar os dados e obter os resultados a equipe da Setas volta ao munic&iacute;pio para se reunir com os gestores e entidades da &aacute;rea de seguran&ccedil;a alimentar. &ldquo;Nossa inten&ccedil;&atilde;o &eacute; debater com eles as melhores sa&iacute;das para as situa&ccedil;&otilde;es encontradas. Ao final. encaminhamos para o prefeito o saldo desse encontro como uma sugest&atilde;o para composi&ccedil;&atilde;o das pol&iacute;ticas p&uacute;blicas do munic&iacute;pio&rdquo;, explicou Deana. Cerca de 80 crian&ccedil;as participaram da pesquisa em Luzin&oacute;polis.</span></div>

Comentários pelo Facebook: