Seet
Sobral – 300×100

Manifestantes criticam auxílio-moradia de R$ 3,4 mil dos deputados estaduais na AL

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">Um grupo de manifestantes tomou conta da Assembleia Legislativa, durante a sess&atilde;o extraordin&aacute;ria desta ter&ccedil;a-feira, 30. O grupo formado por mais de 16 movimentos sociais protestam contra o aux&iacute;lio moradia para os deputados, protocolado na Assembleia Legislativa, no valor de R$ 3.429,50, mesmo a maioria dos deputados tendo resid&ecirc;ncia fixa na capital.<br />
<br />
S&atilde;o 16 entidades, entre elas, o MST, MAB, CUT, MNLM, Sintsep, OPM, MUDAS, DCE-UFT, Casa da mulher 8 de Mar&ccedil;o e outros, que comp&otilde;e a manifesta&ccedil;&atilde;o, que lotaram a galeria de visitantes da AL. Segundo Ant&ocirc;nio Marcos, coordenador geral do MST, no Estado do Tocantins o aux&iacute;lio &eacute; a motiva&ccedil;&atilde;o base do protesto.&nbsp; &ldquo;Essa &eacute; uma marcha unificada dos trabalhadores rurais do Estado e o protesto principal &eacute; contra o aux&iacute;lio-moradia dos deputados, dos promotores e procuradores do Minist&eacute;rio P&uacute;blico do Tocantins, e contra o deputado federal Iraj&aacute; Abreu que recentemente assumiu a pasta na Secret&aacute;ria do Desenvolvimento Agr&aacute;rio e regulariza&ccedil;&atilde;o Fundi&aacute;ria&quot;, afirmou.<br />
<br />
O pedido de aux&iacute;lio moradia para os deputados do Tocantins foi assinado por 22 deputados, a maioria s&atilde;o morados da capital e tem resid&ecirc;ncia fixa. O deputado Wanderlei Barbosa (PEN) defende que o direito ao aux&iacute;lio-moradia dos deputados deveria ser para aqueles que n&atilde;o tem resid&ecirc;ncia fixa na capital. &ldquo;N&atilde;o deveria ter para quem mora em Palmas, mas sim para quem n&atilde;o tem moradia fixa e paga aluguel&rdquo;, afirmou.<br />
<br />
Dos 24 deputados do Estado, 13 deles, possuem resid&ecirc;ncia pr&oacute;pria na capital e mesmo assim, segundo o ato da mesa diretora, ser&atilde;o beneficiados com o aux&iacute;lio moradia. Um deputado recebe R$ 45 mil de verba de gabinete por m&ecirc;s para pagar servidores, e R$ 25 mil de verba indenizat&oacute;ria e cerca de R$ 20 mil de sal&aacute;rio.<br />
<br />
O assunto por&eacute;m ainda divide deputados, h&aacute; os que defendem veemente a proposta e os que mesmo assinando o ato da mesa j&aacute; recuaram de receber. Sargento Arag&atilde;o (PPS) j&aacute; informou que vai doar o aux&iacute;lio j&aacute; Marcelo Lelis (PV) e Josi Nunes (PMDB) informaram que n&atilde;o v&atilde;o receber.<br />
<br />
J&aacute; o deputado Manoel Queiroz (PPS), diz n&atilde;o ter moradia fixa na capital e paga aluguel no valor de R$ 2.750 mil. Para Queiroz, o aux&iacute;lio &eacute; um direito e o ajudaria a se manter durante os dias que passa na capital a trabalho. &ldquo;Eu pago aluguel, e pago caro, n&atilde;o tenho resid&ecirc;ncia fixa na capital, eu sou a favor do aux&iacute;lio-moradia&rdquo;, afirmou. <em>(Fonte: Conex&atilde;o Tocantins)</em></span></div>

Comentários pelo Facebook: