Sobral – 300×100
Seet

Manifestantes pedem renúncia do governador Siqueira Campos

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;"><u><strong>Da Reda&ccedil;&atilde;o</strong></u><br />
<br />
Milhares de pessoas participaram da manifesta&ccedil;&atilde;o pac&iacute;fica na tarde desta quinta-feira (20) na Capital do Estado do Tocantins, Palmas. O evento foi caracterizado pela imprensa palmense como o maior evento pol&iacute;tico da hist&oacute;ria da cidade sem a participa&ccedil;&atilde;o dos pol&iacute;ticos.<br />
<br />
Segundo o Comando Geral da Pol&iacute;cia Militar, havia cerca de 5 mil participantes, j&aacute; para os organizadores pelo menos 30 mil pessoas foram ao Manifesto Contra o Mon&oacute;polio do Transporte Coletivo.&nbsp;<br />
<br />
Conforme o Portal CT, o manifesto teve como marca a civilidade dos participantes, apesar de atos isolados de poucas pessoas. Outra marca do evento foi o forte protesto contra governo do Tocantins, com manifestantes xingando o governador Siqueira Campos (PSDB) e pedindo sua ren&uacute;ncia na porta do Pal&aacute;cio Araguaia e em frente &agrave; resid&ecirc;ncia dele, na Arse 21.<br />
<br />
Ainda segundo o CT, o maior movimento apartid&aacute;rio j&aacute; visto em Palmas foi realizado ao som de vuvuzelas, algumas bandeiras do Brasil cobrindo o corpo, m&aacute;scaras, faixas, bal&otilde;es coloridos e um carro de som chamando a popula&ccedil;&atilde;o para o evento. Na pauta das cr&iacute;ticas, protestos e humores, al&eacute;m do tema principal – o monop&oacute;lio do transporte coletivo -, o projeto da &quot;cura gay&quot;, a PEC 37, que tira o Minist&eacute;rio P&uacute;blico de investiga&ccedil;&otilde;es criminais, o projeto do ato m&eacute;dico, os aux&iacute;lios-moradias para deputados, promotores, desembargadores e conselheiros do Tribunal de Contas do Tocantins, o sal&aacute;rio m&iacute;nimo, o sal&aacute;rio dos professores e tantos outros temas que cada um quisesse atacar.<br />
<br />
O grupo levou bandeiras, cartazes e gritavam palavras de ordem contra o transporte coletivo na capital e pediram inclusive passe livre para estudantes.<br />
<br />
Pr&oacute;ximo &agrave; Assembleia Legislativa os manifestantes protestaram contra o aux&iacute;lio-moradia que os deputados recebem e chegaram a citar o nome do deputado Jos&eacute; Bonif&aacute;cio (PR) que sugeriu a institui&ccedil;&atilde;o do aux&iacute;lio sa&uacute;de tamb&eacute;m para os parlamentares.<br />
<br />
Segundo o Conex&atilde;o Tocantins, em frente ao Pal&aacute;cio ele foi alvo de muitas palavras de ordem. Cartazes tamb&eacute;m criticavam o governo e relembravam inclusive uma das mais populares frases de campanha do governador: &quot;Se n&atilde;o roubar d&aacute; pra fazer&quot;. At&eacute; um caix&atilde;o foi usado para enterrar, segundo os manifestantes, as coisas ruins da sociedade e da pol&iacute;tica.<br />
<br />
O protesto fez mais um ato em frente &agrave; da Prefeitura de Palmas, na Avenida JK, onde pediram melhorias para o sistema de transporte coletivo. Participaram estudantes, representantes de entidades e assim como os organizadores queriam n&atilde;o houve nenhuma bandeira ou s&iacute;mbolo de partido. Segundo a organiza&ccedil;&atilde;o este ato foi apenas o primeiro na capital.</span></div>

Comentários pelo Facebook: