Sobral – 300×100
Seet

OAB Araguaína lança movimento 'Fórum já, puxadinho não'

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;"><strong><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u></strong><br />
<br />
H&aacute; 20 anos. Esse &eacute; o per&iacute;odo em que advogados, ju&iacute;zes, membros do Minist&eacute;rio P&uacute;blico, Defensores e sociedade em geral, esperam pela constru&ccedil;&atilde;o de um novo F&oacute;rum em Aragua&iacute;na que atenda minimamente os profissionais nos crit&eacute;rios espa&ccedil;o e seguran&ccedil;a.<br />
<br />
Cansados de esperar a boa vontade das autoridades, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Seccional de Aragua&iacute;na, lan&ccedil;ou um movimento que promete perdurar at&eacute; a inaugura&ccedil;&atilde;o do novo F&oacute;rum da Justi&ccedil;a. Uma reuni&atilde;o foi realizada na manh&atilde; desta quarta-feira (26) no audit&oacute;rio da OAB com a presen&ccedil;a de mais de 100 advogados para discutir o assunto.<br />
<br />
O movimento, intitulado <strong><em>&ldquo;F&oacute;rum J&aacute;, Puxadinho N&atilde;o!</em></strong>&rdquo;, &eacute; uma cr&iacute;tica aos remendos feitos no antigo pr&eacute;dio que inclusive j&aacute; foi interditado por amea&ccedil;as de desabamento. Al&eacute;m de infiltra&ccedil;&otilde;es, o local apresenta v&aacute;rias rachaduras nas paredes e n&atilde;o atende mais a demanda de trabalho e profissionais.<br />
<br />
Para divulgar o movimento ser&atilde;o confeccionadas bandeiras, cartazes, adesivos e pain&eacute;is para contagem dos dias sem o novo F&oacute;rum.&nbsp;&nbsp;&nbsp;<br />
<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/oab1.jpg" style="width: 300px; height: 253px; border-width: 0px; border-style: solid; margin-left: 5px; margin-right: 5px; float: right;" />Ainda durante a reuni&atilde;o os advogados elegeram uma Comiss&atilde;o que ficar&aacute; respons&aacute;vel pela articula&ccedil;&atilde;o das manifesta&ccedil;&otilde;es que prometem ser mais intensas a cada dia. Segundo o coordenador da Comiss&atilde;o, Jorge Palma, o movimento tem in&iacute;cio, mas s&oacute; acabar&aacute; no dia da inaugura&ccedil;&atilde;o do novo F&oacute;rum. <em>&ldquo;Vamos incomodar at&eacute; n&atilde;o podermos mais, ou&nbsp; at&eacute; o dia em quer formos atendidos&rdquo;</em>, garantiu Jorge Palma.<br />
<br />
Para o advogado Edson Paulo Lins o movimento representa &ldquo;uma nova era para a advocacia araguainense&rdquo;. <em>&ldquo;Revolu&ccedil;&atilde;o no Tribunal de Justi&ccedil;a do Tocantins para constru&ccedil;&atilde;o do F&oacute;rum de Aragua&iacute;na, que j&aacute; perdura mais de 20 anos, com 7 placas fundamentais e nenhum tijolo erguido. F&Oacute;RUM J&Aacute;! PUXADINHO N&Atilde;O!&rdquo;</em>, afirmou em sua p&aacute;gina no Facebook.<br />
<br />
O presidente da OAB Aragua&iacute;na, Jos&eacute; Hil&aacute;rio Rodrigues, garantiu que a entidade est&aacute; firme na luta e &agrave; disposi&ccedil;&atilde;o da categoria.<br />
<br />
<u><strong>Pr&eacute;dio antigo</strong></u><br />
<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/f%F3rum(1).jpg" style="width: 300px; height: 225px; border-width: 0px; border-style: solid; margin-left: 5px; margin-right: 5px; float: left;" />A situa&ccedil;&atilde;o calamitosa do F&oacute;rum de Aragua&iacute;na j&aacute; foi alvo de interven&ccedil;&atilde;o do Minist&eacute;rio P&uacute;blico Estadual.&nbsp; Em outubro de 2011 o MPE notificou as entidades respons&aacute;veis para que fosse realizada, com urg&ecirc;ncia, uma vistoria t&eacute;cnica nas estruturas do edif&iacute;cio.&nbsp; Na &eacute;poca o &oacute;rg&atilde;o destacou que o pr&eacute;dio &eacute; uma constru&ccedil;&atilde;o antiga e &ldquo;se encontra em risco crescente de ru&iacute;na&rdquo;.<br />
<br />
Entre os principais problemas documentados pelo Minist&eacute;rio P&uacute;blico estavam graves falhas nas partes estruturais, el&eacute;tricas e hidr&aacute;ulicas.<br />
<br />
O pr&eacute;dio apresenta diversas instala&ccedil;&otilde;es el&eacute;tricas irregulares, chamadas &ldquo;gambiarras&rdquo;, que colocam em risco iminente de inc&ecirc;ndio. Al&eacute;m disso, falhas na estrutura f&iacute;sica do pr&eacute;dio j&aacute; culminaram na queda do muro edificado em seu entorno.<br />
<br />
<u><strong>D&eacute;cada de 70</strong></u><br />
<br />
O pr&eacute;dio foi constru&iacute;do na d&eacute;cada de 70 e chegou a esse ponto pela total falta de manuten&ccedil;&atilde;o, al&eacute;m de nunca ter passado por uma reforma para regularizar a situa&ccedil;&atilde;o estrutural.<br />
<br />
Por conta dos graves riscos &agrave;s vidas dos funcion&aacute;rios, a dire&ccedil;&atilde;o j&aacute; chegou a suspender os trabalhos no pr&eacute;dio, mas retornou logo ap&oacute;s.<br />
<br />
<u><strong>Lan&ccedil;amento da pedra fundamental</strong></u><br />
<br />
Em 2007, o ent&atilde;o governador Marcelo Miranda (PMDB) lan&ccedil;ou a pedra fundamental para constru&ccedil;&atilde;o do novo F&oacute;rum de Aragua&iacute;na que seria ao lado do F&oacute;rum Eleitoral. O terreno havia sido doado pela prefeitura de Aragua&iacute;na e a constru&ccedil;&atilde;o aconteceria por meio de uma parceria entre o governo do Estado e o Tribunal de Justi&ccedil;a.<br />
<br />
No entanto, infelizmente, at&eacute; o momento s&oacute; promessas, e inseguran&ccedil;a, fazem parte do cotidiano daqueles que necessitam do F&oacute;rum de Aragua&iacute;na.</span></div>

Comentários pelo Facebook: