Sobral – 300×100
Seet

Profissionais de saúde destacam pontos negativos da extinção do HDT e alertam para sobrecarga em hospitais já precários

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;"><u><strong>Arnaldo Filho</strong></u><br />
<em>Portal AF Not&iacute;cias</em><br />
<br />
Aragua&iacute;na est&aacute; prestes a perder um dos mais importantes hospitais da regi&atilde;o norte do pa&iacute;s. J&aacute; est&aacute; na Comiss&atilde;o de Constitui&ccedil;&atilde;o, Reda&ccedil;&atilde;o e Justi&ccedil;a da Assembleia Legislativa do Tocantins um Projeto de Lei Complementar n&ordm; 01/2013 que extingue o Hospital de Doen&ccedil;as Tropicais (HDT) e a Funda&ccedil;&atilde;o de Medicina Tropical (FUNTROP) de Aragua&iacute;na.<br />
<br />
Para esclarecer a popula&ccedil;&atilde;o araguainense sobre os preju&iacute;zos e reflexos negativos da extin&ccedil;&atilde;o das unidades de sa&uacute;de, o <em><strong>AF Not&iacute;cias</strong></em> solicitou a uma equipe de profissionais da &aacute;rea que destacassem os principais motivos para n&atilde;o extin&ccedil;&atilde;o do HDT.<br />
<br />
Confira, portanto, o que pensam os profissionais da &aacute;rea.<br />
<br />
1. O HDT &eacute; o &Uacute;NICO HOSPITAL DO ESTADO DO TOCANTINS que &eacute; REFER&Ecirc;NCIA para tratamento das pessoas com doen&ccedil;as infecciosas transmiss&iacute;veis e n&atilde;o transmiss&iacute;veis, como meningite, calazar, dengue, febre amarela, raiva, HIV/Aids, hepatites, tuberculose, hansen&iacute;ase, dentre outras, tamb&eacute;m, chamadas de doen&ccedil;as tropicais, que necessitam de tratamento espec&iacute;fico e muitas vezes cont&iacute;nuo.<br />
<br />
2. O HDT &eacute; constitu&iacute;do de infraestrutura adequada para o tratamento das doen&ccedil;as infecto-contagiosas, com espa&ccedil;o para cuidado e prote&ccedil;&atilde;o da sa&uacute;de do indiv&iacute;duo, conforme &eacute; recomendado pelas autoridades sanit&aacute;rias. Possui uma equipe multiprofissional qualificada para o atendimento humanizado e que d&aacute; apoio aos pacientes, respeitando sua individualidade e privacidade, garantindo sua autonomia e dignidade humana.</span><br />
<br />
<span style="font-size: 14px;">3. A extin&ccedil;&atilde;o do HDT implicar&aacute; em sobrecarga de atendimento de doen&ccedil;as infecto-contagiosas para outros servi&ccedil;os e para outros hospitais, como o HRA, por exemplo, que n&atilde;o suporta a amplia&ccedil;&atilde;o de mais nenhum servi&ccedil;o, em virtude de sua infraestrutura. &nbsp;&nbsp;</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">4. Doen&ccedil;as como a Aids, que provoca grande repercuss&atilde;o na vida das pessoas acometidas, bem como &agrave; fam&iacute;lia e, at&eacute; mesmo, &agrave;s pessoas que residem em pequenas cidades, pois o medo, o preconceito e a discrimina&ccedil;&atilde;o t&ecirc;m afetado seriamente a sa&uacute;de dos pacientes em tratamento e estes buscam cada vez mais o apoio da equipe de refer&ecirc;ncia para minimizar esses danos.</span><br />
<br />
<span style="font-size: 14px;">5. Doen&ccedil;as graves como o Calazar, t&ecirc;m afetado cada vez mais crian&ccedil;as, que encontram no hospital o recurso necess&aacute;rio para seu tratamento e cura.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">6. Casos como o de viol&ecirc;ncia sexual contra crian&ccedil;as, adolescentes e mulheres, em que o HDT &eacute; refer&ecirc;ncia para o acompanhamento de casos que a cada dia cresce ainda mais. Quem os atender&aacute; conforme os protocolos de monitoramento?&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</span><br />
<br />
<span style="font-size: 14px;">7. H&aacute; que se refletir sobre a import&acirc;ncia epidemiol&oacute;gica que o HDT representa para o estado e para a regi&atilde;o norte do pa&iacute;s, pois &eacute; um importante p&oacute;lo de notifica&ccedil;&atilde;o, de diagn&oacute;stico, de tratamento e de monitoramento dos casos de doen&ccedil;as tropicais e que anualmente &eacute; inclu&iacute;do na lista de institui&ccedil;&otilde;es que mais contribui para a redu&ccedil;&atilde;o de indicadores de morbi-mortalidade por&nbsp; doen&ccedil;as infecto-contagiosas, que pode ser facilmente visualizado&nbsp; atrav&eacute;s dos instrumentos de pactua&ccedil;&atilde;o entre as esferas de governo. Quando o HDT acabar, quem dar&aacute; continuidade ao tratamento dessas doen&ccedil;as tropicais? Onde a popula&ccedil;&atilde;o com alguma dessas doen&ccedil;as buscar&aacute; apoio necess&aacute;rio para garantir a manuten&ccedil;&atilde;o de sua sa&uacute;de? Quem garantir&aacute; &agrave; popula&ccedil;&atilde;o que os programas e servi&ccedil;os existentes&nbsp; n&atilde;o acabar&atilde;o juntamente com o HDT? Quem atender&aacute; aos munic&iacute;pios que encaminharem seus pacientes para tratar essas doen&ccedil;as? Qual o estudo que o governo do Estado do Tocantins realizou para avaliar o impacto dessa medida para a popula&ccedil;&atilde;o da cidade e do estado? O que pensam nossos deputados estaduais sobre esse projeto de lei? Conhecem qual ser&aacute; o impacto dessa mudan&ccedil;a?</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">8. O Estado ao longo dos anos fez muitos investimentos no HDT, em infraestrutura adequada, capacita&ccedil;&atilde;o de profissionais m&eacute;dicos, enfermeiros, farmac&ecirc;uticos, psic&oacute;logos, assistentes sociais, nutricionistas, fisioterapeutas, dentre outros, al&eacute;m de fortalecer ao laborat&oacute;rio de sa&uacute;de p&uacute;blica que &eacute; o &uacute;nico da rede SUS que &eacute; refer&ecirc;ncia para diagn&oacute;stico das doen&ccedil;as tropicais para a macrorregi&atilde;o de Aragua&iacute;na, tudo para garantir o atendimento qualificado e resolutivo &agrave; popula&ccedil;&atilde;o assistida.&nbsp; O que o governo far&aacute; futuramente com as pessoas que precisam de atendimento para tratar as doen&ccedil;as infecto-contagiosas? Deslocar&aacute; as pessoas para a capital Palmas, com gastos ainda maiores com deslocamento do paciente e de um familiar como acompanhante no tempo que for necess&aacute;rio para o tratamento? O que far&atilde;o com os servi&ccedil;os e programas que funcionam t&atilde;o bem na estrutura do HDT? Entregar&atilde;o toda estrutura do HDT &agrave; uma organiza&ccedil;&atilde;o social (EBSERH) que est&aacute; sendo questionada de norte a sul do pa&iacute;s por sua falta de di&aacute;logo, arbitrariedade e por atuar em n&atilde;o conformidade com o que reza a pol&iacute;tica de sa&uacute;de e os princ&iacute;pios do SUS?<br />
<br />
Qual &eacute; a real inten&ccedil;&atilde;o do Estado em extinguir o HDT?<br />
<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/lei.jpg" style="width: 448px; height: 320px;" /></span></div>

Comentários pelo Facebook: