Eli Borges, Aragão, Marcelo Lelis e Manoel Queiroz votam contra extinção do HDT

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
Em nota &agrave; imprensa, os quatro deputados que votaram contra a doa&ccedil;&atilde;o do HDT e FUNTROP &agrave; Universidade Federal do Tocantins,&nbsp; explicaram as raz&otilde;es dos votos e teceram v&aacute;rios questionamentos em rela&ccedil;&atilde;o ao Projeto de Lei.&nbsp;<br />
<br />
A doa&ccedil;&atilde;o foi aprovada com 16 votos favor&aacute;veis na tarde desta segunda-feira, 2, durante sess&atilde;o extraordin&aacute;ria da Assembleia Legislativa.<br />
<br />
Segundo a nota, os deputados Eli Borges (PMDB), Marcelo Lelis (PV), Sargento Arag&atilde;o (PPS) e Manoel Queiroz (PPS) t&ecirc;m a declarar que:<br />
<br />
1&ordm;) &ndash; Conscientes do respeito &agrave; Universidade Federal do Tocantins (UFT), uma das mais conceituadas institui&ccedil;&otilde;es do Pa&iacute;s;<br />
<br />
2&ordm;) &ndash; Tendo em vista que a implanta&ccedil;&atilde;o do Curso de Medicina em Aragua&iacute;na poder&aacute; ocorrer independente da doa&ccedil;&atilde;o do HDT e da Funtrop;<br />
<br />
3&ordm;) &ndash; Tendo em vista que a situa&ccedil;&atilde;o funcional n&atilde;o ficou garantida a n&iacute;vel de efetivos, contratados e comissionados;<br />
<br />
4&ordm;) &ndash; Que parte dos pacientes do HDT tratam de doen&ccedil;as que a sociedade muitas vezes discriminam, e que esses j&aacute; t&ecirc;m afinidades com os atuais profissionais que ali atuam;<br />
<br />
5&ordm;) &ndash; Que o processo suprimiu est&acirc;ncias como o Conselho Estadual de Sa&uacute;de e devido a&ccedil;&atilde;o protocolada pelo Minist&eacute;rio P&uacute;blico Estadual ainda n&atilde;o julgada;<br />
<br />
6&ordm;) A posi&ccedil;&atilde;o contr&aacute;ria atrav&eacute;s de Notas recebidas do Conselho Estadual de Sa&uacute;de, Sindicato dos M&eacute;dicos do Tocantins, Conselho Estadual de Farm&aacute;cia do Tocantins&nbsp; e o Sindicato dos Trabalhadores em Sa&uacute;de do Tocantins;<br />
<br />
7&ordm;) &ndash; Percep&ccedil;&atilde;o do sentimento popular da maioria em tr&ecirc;s audi&ecirc;ncias p&uacute;blicas serem contr&aacute;rios, e ao princ&iacute;pio constitucional de que todo poder emana do povo e deve ser exercido para o povo, votamos com o sentimento popular;<br />
<br />
&ldquo;Consciente em reiterar que o HDT pode continuar como est&aacute; e a UFT pode mesmo assim, implantar o Curso de Medicina em Aragua&iacute;na, votamos contra o projeto, ressalvando apoio a doa&ccedil;&atilde;o da Funtrop&rdquo;, afirmaram os deputados.</span></div>

Comentários pelo Facebook: