Governo vai pagar R$ 150 para incentivar alunos nas áreas de ciências exatas e biológicas

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;"><u>Yara Aquino</u><br />
Ag&ecirc;ncia Brasil<br />
<br />
O Minist&eacute;rio da Educa&ccedil;&atilde;o deve lan&ccedil;ar nesta semana um programa para incentivar estudantes do ensino m&eacute;dio de escolas p&uacute;blicas a seguirem carreira na &aacute;reas de qu&iacute;mica, f&iacute;sica, matem&aacute;tica e biologia. O &#39;Programa Quero Ser Cientista, Quero Ser Professor&#39; vai conceder bolsas de R$ 150 aos alunos para incentivar a dedica&ccedil;&atilde;o ao estudo das disciplinas. A expectativa &eacute; oferecer inicialmente 30 mil bolsas e ampliar gradualmente at&eacute; 100 mil.<br />
<br />
Os estudantes ter&atilde;o supervis&atilde;o de um professor orientador que contar&aacute; com o apoio de universidades. O professor tamb&eacute;m receber&aacute; bolsa, mas o valor n&atilde;o foi divulgado.<br />
<br />
&ldquo;Qu&iacute;mica, f&iacute;sica, matem&aacute;tica e biologia s&atilde;o &aacute;reas em que a demanda por matr&iacute;cula no ensino superior &eacute; muito baixa. Est&aacute; em torno de 2,8% a 3% das matr&iacute;culas e n&atilde;o sai desse patamar. N&oacute;s queremos melhorar isso&rdquo;, explicou o ministro da Educa&ccedil;&atilde;o, Aloizio Mercadante, ap&oacute;s participar de evento da organiza&ccedil;&atilde;o n&atilde;o-governamental Todos pela Educa&ccedil;&atilde;o.<br />
<br />
Um dos objetivos do programa &eacute; que o incentivo possa reduzir o d&eacute;ficit de professores nas &aacute;reas de qu&iacute;mica, f&iacute;sica e matem&aacute;tica e biologia. Estima-se que atualmente chegue a 170 mil o d&eacute;ficit de docentes na rede p&uacute;blica nessas &aacute;reas.<br />
<br />
A inten&ccedil;&atilde;o &eacute; ainda ter profissionais das &aacute;reas de exatas em outros setores produtivos, segundo Mercadante. &ldquo;A medida que voc&ecirc; d&aacute; condi&ccedil;&otilde;es, ele [o estudante] vai de alguma forma para a &aacute;rea de exatas. Ou vai ser um professor, ou vai ser matem&aacute;tico, f&iacute;sico, qu&iacute;mico, que o Brasil precisa de gente em todas essas &aacute;reas&quot;, disse.<br />
<br />
De acordo com o ministro, os estudantes receber&atilde;o uma bolsa de est&iacute;mulo, a exemplo daquelas de inicia&ccedil;&atilde;o cient&iacute;fica. Enquanto participa do programa, ter&atilde;o uma jornada maior de trabalho em fun&ccedil;&atilde;o das tarefas a fazer e o acompanhamento do professor orientador.<br />
<br />
A portaria que cria o programa deve ser lan&ccedil;ada esta semana e os estados dever&atilde;o aderir &agrave; iniciativa. A previs&atilde;o, segundo Mercadante, &eacute; fazer a sele&ccedil;&atilde;o dos alunos e iniciar o trabalho ainda este ano.<br />
<br />
Ao participar de audi&ecirc;ncia p&uacute;blica na Comiss&atilde;o de Educa&ccedil;&atilde;o da C&acirc;mara dos Deputados, em abril, o ministro Aloizio Mercadante j&aacute; havia informado que o programa estava em elabora&ccedil;&atilde;o.</span></div>

Comentários pelo Facebook: