Câmara de Araguaína aprova PL de arborização urbana, mas com abstenção de vereador do PV

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
J&aacute; foi aprovado em 1&ordf; e 2&ordf; vota&ccedil;&atilde;o na nesta semana, na C&acirc;mara Municipal,&nbsp; o PL n&ordm; 31/2013 que cria o Plano Municipal de Arboriza&ccedil;&atilde;o como instrumento de planejamento para implanta&ccedil;&atilde;o da pol&iacute;tica de plantio, preserva&ccedil;&atilde;o, manejo e expans&atilde;o da arboriza&ccedil;&atilde;o em Aragua&iacute;na.<br />
<br />
O projeto de autoria do vereador Luzimar Coelho (PRTB) define objetivos do Plano, bem como mecanismos para colocar em pr&aacute;tica o planejamento, a manuten&ccedil;&atilde;o, o desenvolvimento urbano e manejo da arboriza&ccedil;&atilde;o, visando melhoria da qualidade de vida e o equil&iacute;brio ambiental.<br />
<br />
Conforme o PL, a arboriza&ccedil;&atilde;o dever&aacute; ser realizada nos canteiros centrais das avenidas, nas ruas e locais de passeio quando tiverem largura compat&iacute;vel com a expans&atilde;o da copa da esp&eacute;cie a ser utilizada, observando o devido afastamento das constru&ccedil;&otilde;es e equipamentos urbanos.<br />
<br />
As mudas das esp&eacute;cies ser&atilde;o produzidas em um Viveiro Municipal que ficar&aacute; respons&aacute;vel por identificar, cadastrar as &aacute;rvores, manter um banco de sementes, testar esp&eacute;cies com predomin&acirc;ncia nativas ou n&atilde;o, bem como fazer arquivos.<br />
<br />
<u><strong>Novos loteamentos</strong></u><br />
<br />
De acordo com o artigo 12,&nbsp;&nbsp; os novos empreendimentos imobili&aacute;rios de uso coletivo, como loteamentos e condom&iacute;nios, dever&atilde;o apresentar para an&aacute;lise e aprova&ccedil;&atilde;o do &oacute;rg&atilde;o ambiental municipal projetos de arboriza&ccedil;&atilde;o de canteiros centrais, pra&ccedil;as e &aacute;reas verdes.<br />
<br />
J&aacute; havendo necessidade e interesse p&uacute;blico,&nbsp; posteriormente, a retirada da &aacute;rvore ficar&aacute; sob responsabilidade da prefeitura.<br />
<br />
<u><strong>Justificativa do projeto</strong></u><br />
<br />
Para o autor do Projeto, vereador Luzimar Coelho, Aragua&iacute;na est&aacute; localizada numa regi&atilde;o onde h&aacute; grande incid&ecirc;ncia de raios solares o que provoca altas temperaturas praticamente o ano inteiro. <em>&ldquo;Sendo assim, as plantas proporcionam conforto ambiental, porque interceptam, absorvem re refletem os raios solares. As &aacute;reas bem arborizadas apresentam temperaturas mais est&aacute;veis e em geral mais frescas. Al&eacute;m disso, podem ser plantadas &aacute;rvores frut&iacute;feras cujos frutos atraem p&aacute;ssaros&rdquo;</em>, argumentou o parlamentar.<br />
<br />
Ainda conforme o autor do projeto, as plantas atuam como bombas hidr&aacute;ulicas usando suas ra&iacute;zes para trazer &aacute;gua do subsolo para atmosfera. <em>&ldquo;Elas refrescam e tornam a umidade relativa do ar mais agrad&aacute;vel&rdquo;,</em> destacou Luzimar Coelho, acrescentando que pra&ccedil;as, ruas e resid&ecirc;ncias arborizadas, contribuem para a reten&ccedil;&atilde;o de gases poluentes.<br />
<br />
<u><strong>Vota&ccedil;&atilde;o na C&acirc;mara e absten&ccedil;&atilde;o do partido verde</strong></u><br />
<br />
Apesar do Projeto de Lei&nbsp; ter como objetivo a arboriza&ccedil;&atilde;o e promo&ccedil;&atilde;o da sa&uacute;de ambiental, seguindo a tend&ecirc;ncia das cidades modernas,&nbsp; o Partido Verde&nbsp; em Aragua&iacute;na (PV), que teoricamente defende as causas ambientais,&nbsp; deixou explicito que sua bandeira partid&aacute;ria &eacute; apenas um discurso&nbsp; pautado na ret&oacute;rica, no entanto, sem aplica&ccedil;&atilde;o pr&aacute;tica, pois o vereador Terciliano Gomes (PV) preferiu omitir seu voto.&nbsp;<br />
<br />
De acordo com o vereador Luzimar Coelho, caso o PL seja aprovado e sancionado, este ser&aacute; um meio de evitar os desrespeitos ao meio ambiente, assim como em gest&otilde;es anteriores, quando &aacute;rvores consideradas hist&oacute;ricas foram cortadas nas Pra&ccedil;as p&uacute;blicas sem que no local fosse realizado o processo de arboriza&ccedil;&atilde;o.</span></div>

Comentários pelo Facebook: