Presidente do Sintet, Fabriciano Borges, é encontrado morto com pés, mãos e pescoço amarrados

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">O presidente interino do Sindicato dos Professores de Aragua&iacute;na, Fabriciano Borges Correia, 39 anos, foi encontrado morto na manh&atilde; dessa quinta-feira, 08, em sua resid&ecirc;ncia localizada na Rua Santa In&ecirc;s no Setor Raizal.&nbsp; Segundo a Pol&iacute;cia, o corpo do sindicalista foi encontrado com os p&eacute;s e as m&atilde;os amarrados com fio de energia, al&eacute;m do pesco&ccedil;o. A poss&iacute;vel causa da morte foi por asfixia.<br />
<br />
Fabriciano morava sozinho e h&aacute; pouco menos de um ano residia naquela casa. Segundo informa&ccedil;&otilde;es, sua fam&iacute;lia mora em Puau&iacute; e h&aacute; uma irm&atilde; em Palmas. &nbsp;&nbsp;</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">Segundo a Pol&iacute;cia militar, o corpo foi encontrado estrangulado pela empregada, com um fio amarrado no pesco&ccedil;o, al&eacute;m dos p&eacute;s e m&atilde;os.&nbsp; O material utilizado para o enforcamento foi retirado do ventilador da vitima e de uma extens&atilde;o el&eacute;trica.&nbsp; Quando a pol&iacute;cia chegou ao local,&nbsp; portas da resid&ecirc;ncia estavam abertas e as chaves n&atilde;o foram localizadas.</span><br />
<br />
<span style="font-size: 14px;">Ainda conforme a pol&iacute;cia, o corpo estava no quarto com um envolope escrito &quot;cagueta&quot; e len&ccedil;ol sobre o rosto. N&atilde;o havia sinais de luta e nem de espancamento. Ainda foram encontrados no local latas de cerveja. A televis&atilde;o e o som estavam ligados. A per&iacute;cia colheu as impress&otilde;es digitais no envelope, agenda pessoal, aparelho de DVD e, conforme o delegado, pode ser requerido o exame grafot&eacute;cnico.&nbsp;</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;"><u><strong>Motiva&ccedil;&atilde;o do crime</strong></u><br />
<br />
Fabriciano era homossexual assumido, mas o</span><span style="font-size:14px;">&nbsp;delegado Fernando Riz&eacute;ro Jaime n&atilde;o acredita em crime homof&oacute;bico, mas n&atilde;o descarta tal possibilidade e acredita ainda que o ocorrido possa ter liga&ccedil;&otilde;es com quest&otilde;es sindicalistas e pol&iacute;ticas. &nbsp;&nbsp;<br />
<br />
Ainda n&atilde;o h&aacute; suspeitos do homic&iacute;dio e a pol&iacute;cia vai trabalhar com v&aacute;rias linhas de investiga&ccedil;&atilde;o.&nbsp;<br />
<br />
A Diretoria do Sindicato acredita tamb&eacute;m que o crime possa ter liga&ccedil;&otilde;es pol&iacute;ticas. O presidente do Sintet teria recebido amea&ccedil;as de dois prefeitos por ter atuado no processo pol&iacute;tico que levou &agrave; perda da reelei&ccedil;&atilde;o por tais gestores. A Dire&ccedil;&atilde;o n&atilde;o divulgou nomes, mas disse que j&aacute; repassou as informa&ccedil;&otilde;es &agrave; pol&iacute;cia.<br />
<br />
Nos &uacute;ltimos meses o professor empenhou-se na campaha eleitoral de alguns candidatos a prefeitos e vereadores na regi&atilde;o. Em Aragua&iacute;na, Fabriciano participou da elei&ccedil;&atilde;o da vereadora Silvinha do Sintet (PT) e trabalhava nos &uacute;ltimos dias na presta&ccedil;&atilde;o de contas de campanha.&nbsp;<br />
<br />
O vel&oacute;rio acontecer&aacute; na sede do Sintet em Aragua&iacute;na na&nbsp;</span><span style="font-size:14px;">Avenida Tocantins, n&deg; 1087, centro.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;"><u><strong>Perfil</strong></u></span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">Natural de Floriano (PI), o professor Fabriciano Borges, 37 anos, &eacute; Licenciado em Hist&oacute;ria e atuava nas redes p&uacute;blica municipal e estadual de educa&ccedil;&atilde;o. Era diretor de Sa&uacute;de do Trabalhador do SINTET central, presidente do SINTET Regional de Aragua&iacute;na, conselheiro municipal da Educa&ccedil;&atilde;o de Aragua&iacute;na, diretor da UNCME- Uni&atilde;o Nacional dos Conselhos Municipais de Educa&ccedil;&atilde;o e conselheiro do FUNDEB.</span></div>
<br />
<br />

Comentários pelo Facebook: