Ipê Amarelo destaca violência contra LGBT's; desde 2002 foram 31 assassinatos

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">Em nota, a Associa&ccedil;&atilde;o Grupo Ip&ecirc; Amarelo pela Livre Orienta&ccedil;&atilde;o Sexual externa profunda tristeza, pesar e aborrecimento pela morte de Fabriciano Borges Correia, em Aragua&iacute;na.<br />
<br />
Conforme a nota, independentemente do motivo da morte, ressaltamos que &eacute; uma grande perda para o movimento social como um todo, considerando que Fabriciano era um ativista da educa&ccedil;&atilde;o que sabia atuar multidisciplinarmente.<br />
<br />
Segundo a Associa&ccedil;&atilde;o, &eacute; interessante citar que, do ponto de vista antropol&oacute;gico, embora a homofobia seja mascarada na execu&ccedil;&atilde;o do crime por motivos como latroc&iacute;nio, passionalidade, estes delitos t&ecirc;m caracter&iacute;sticas comuns, como a tortura, os m&eacute;todos usados para a execu&ccedil;&atilde;o (enforcamento, espancamento, facadas, golpes de fac&atilde;o etc) e os locais dos crimes (na casa da v&iacute;tima ou locais ermos).<br />
<br />
Conforme o Grupo Ip&ecirc; Amarelo, no caso espec&iacute;ficio de Fabriciano, n&atilde;o se pode afirmar que seja homofobia, considerando que existem elementos que apontam para outros motivos, e cabe &agrave; pol&iacute;cia a averigua&ccedil;&atilde;o e uma constata&ccedil;&atilde;o.<br />
<br />
Entretanto, ressaltamos que &eacute; sempre importante considerar a orienta&ccedil;&atilde;o sexual da v&iacute;tima nestes casos, pois culturalmente o gay sobre homofobia, tendo que se esconder para se relacionar afetivosexualmente, fator este que o torna uma v&iacute;tima mais vulner&aacute;vel, podendo at&eacute; mesmo ser atra&iacute;do para o momento do crime sob o pretexto de um encontro.<br />
<br />
Ainda segundo o Grupo, no Tocantins, com este caso, 31 LGBT&rsquo;s j&aacute; foram assassinados desde 2002, quando o Giama iniciou este referenciamento. Em apenas 2 anos (2011-2012), 8 gays foram mortos neste Estado, sendo que a maioria aconteceu no norte do Estado, leitura esta que nos preocupa, pois evidencia que essa regi&atilde;o oferece mais perigo aos LGBT&rsquo;s.</span></div>

Comentários pelo Facebook: