Sobral – 300×100
Seet

Adtur inicia planejamento estratégico para turismo na Ilha do Bananal e Bico do Papagaio

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">A regi&atilde;o do Bico do Papagaio, no norte do Estado, e Ilha do Bananal, na regi&atilde;o sul, est&atilde;o dentro das a&ccedil;&otilde;es do PDRIS &ndash; Programa de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustent&aacute;vel que vem sendo desenvolvido no Estado, atrav&eacute;s dos recursos do Banco Mundial em parceria com a Adtur &ndash; Ag&ecirc;ncia de Desenvolvimento Tur&iacute;stico do Estado e com a Seplan &ndash; Secretaria do Planejamento e da Moderniza&ccedil;&atilde;o da Gest&atilde;o P&uacute;blica.<br />
<br />
&ldquo;O planejamento estrat&eacute;gico para o desenvolvimento do turismo nestas regi&otilde;es ser&aacute; elaborado juntamente com a comunidade, onde iremos ouvir as principais necessidades da popula&ccedil;&atilde;o local, e em contrapartida faremos um projeto para o desenvolvimento tur&iacute;stico local&rdquo;, explica a t&eacute;cnica da Adtur, Maria Ant&ocirc;nia Valadares.<br />
<br />
<u><strong>Bico do Papagaio</strong></u><br />
<br />
Na regi&atilde;o do Bico do papagaio, os seguintes munic&iacute;pios receberam o planejamento estrat&eacute;gico: Aguiarn&oacute;polis, Anan&aacute;s, Angico, Araguatins, Augustin&oacute;polis, Esperantina, Itaguatins, Praia Norte, Sampaio, S&atilde;o Bento do Tocantins, S&atilde;o Sebasti&atilde;o do Tocantins e Tocantin&oacute;polis. &ldquo;Nesta regi&atilde;o a ideia &eacute; explorar o encontro das &aacute;guas dos rios Tocantins e Araguaia&rdquo;, destaca a t&eacute;cnica. Onde tamb&eacute;m ser&atilde;o trabalhados o turismo de praias e cultural.<br />
<br />
J&aacute; os munic&iacute;pios de: Aragua&iacute;na, Araguan&atilde;, Baba&ccedil;ul&acirc;ndia, Darcin&oacute;polis, Filad&eacute;lfia, Pau D&rsquo; Arco, Wanderl&acirc;ndia e Xambio&aacute; ter&atilde;o projetos dentro do vale dos grandes rios, onde o planejamento tur&iacute;stico ir&aacute; explorar o turismo de neg&oacute;cios, praias e pesca esportiva.<br />
<br />
<u><strong>Ilha do Bananal</strong></u><br />
<br />
A regi&atilde;o da Ilha do Bananal que engloba os mun&iacute;cipios de: Duer&eacute;, Formoso do Araguaia, Gurupi e Peixe deve explorar o turismo cultural, onde as comunidades ind&iacute;genas ser&atilde;o ouvidas para, junto com os t&eacute;cnicos, definirem o melhor projeto para a localidade. Nesta regi&atilde;o tamb&eacute;m receber&aacute; aten&ccedil;&atilde;o especial o turismo relacionado a praias. A pesca esportiva deve entrar no planejamento.<br />
<br />
J&aacute; na regi&atilde;o sudeste, que compreende as cidades de Arraias, Rio da Concei&ccedil;&atilde;o, Dian&oacute;polis, Natividade, Paran&atilde;, Taguatinga, Almas e Aurora do Tocantins, o projeto prev&ecirc; o desenvolvimento do turismo religioso e cultural. Ser&aacute; ouvida a popula&ccedil;&atilde;o local para realizar, em conjunto com os t&eacute;cnicos do Governo Estadual e do Banco Mundial, a defini&ccedil;&atilde;o das a&ccedil;&otilde;es priorit&aacute;rias para o desenvolvimento local, atrav&eacute;s da atividade tur&iacute;stica.<br />
<br />
&ldquo;As regi&otilde;es t&ecirc;m muito potencial como o turismo cultural, ecoturismo, neg&oacute;cios e eventos, sol e praia e pesca esportiva. O turismo cultural nas aldeias ind&iacute;genas na regi&atilde;o da maior ilha fluvial do mundo &eacute; um grande diferencial e ser&aacute; discutido com todas as etnias e com a Funai &ndash; Funda&ccedil;&atilde;o Nacional do &Iacute;ndio&rdquo;, destaca a t&eacute;cnica da Adtur.<br />
<br />
<u><strong>PDRIS</strong></u><br />
<br />
O PDRIS &ndash; Programa de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustent&aacute;vel busca estimular o desenvolvimento local e estadual por meio de melhores condi&ccedil;&otilde;es de transporte e de servi&ccedil;os p&uacute;blicos, beneficiando cerca de 300 mil pessoas em 72 munic&iacute;pios do Tocantins.<br />
<br />
Regi&otilde;es agr&iacute;colas que apresentam baixos indicadores de desenvolvimento humano e comunidades quilombolas da regi&atilde;o do Jalap&atilde;o receber&atilde;o investimentos, por meio do Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado Sustent&aacute;vel para o desenvolvimento rural e tur&iacute;stico, executado atrav&eacute;s de contrato de empr&eacute;stimo entre o Governo do Estado e Banco Mundial.</span></div>

Comentários pelo Facebook: