Provas do concurso do TRT – 10ª Região são remarcadas para 3 de fevereiro

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">A data das provas do concurso para o preenchimento de 28 vagas e de cadastro de reserva do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 10&ordf; Regi&atilde;o foi remarcada para 3 de fevereiro de 2013. A decis&atilde;o foi tomada durante reuni&atilde;o da presidenta do TRT-10&ordf; Regi&atilde;o, desembargadora Elaine Vasconcelos, com&nbsp; representantes do Centro de Sele&ccedil;&atilde;o e de Promo&ccedil;&atilde;o de Eventos (Cespe) da Universidade de Bras&iacute;lia (UnB) e da comiss&atilde;o do concurso. As informa&ccedil;&otilde;es s&atilde;o confirmadas pelo TRT-10&ordf; Regi&atilde;o.<br />
<br />
O novo calend&aacute;rio vai valer para todos os 54,9 mil inscritos que disputam 28 vagas e a forma&ccedil;&atilde;o de cadastro de reserva para os cargos de t&eacute;cnico judici&aacute;rio e analista judici&aacute;rio do TRT, que abrange o Distrito Federal e o Tocantins. Para o TRT, a nova data atende &agrave;s exig&ecirc;ncias de seguran&ccedil;a, efic&aacute;cia e qualidade.<br />
<br />
O concurso foi suspenso anteontem (11) em decorr&ecirc;ncia de problemas identificados na estrutura do pr&eacute;dio no qual ocorria as provas. Em Bras&iacute;lia, os candidatos que faziam o exame na Universidade Paulista (Unip) ouviram um forte barulho que foi confundido, inicialmente, com tiros. No momento do barulho, foi levantada a possibilidade de o pr&eacute;dio estar caindo e as pessoas come&ccedil;aram a correr.<br />
<br />
Pelo menos tr&ecirc;s pessoas ficaram feridas no tumulto, segundo o Corpo de Bombeiros, e um candidato se jogou da janela do segundo andar, mas foi levado consciente para um hospital da cidade. O pr&eacute;dio foi&nbsp; evacuado e fechado. A Defesa Civil concluiu que as estruturas do pr&eacute;dio n&atilde;o foram abaladas e que o barulho foi gerado pelo deslocamento do piso de cer&acirc;mica de duas salas.<br />
<br />
Em nota publicada ontem (12), a diretoria da Unip lamentou o fato e garantiu que vai cumprir a recomenda&ccedil;&atilde;o da Defesa Civil de elaborar um laudo circunstanciado, por interm&eacute;dio de per&iacute;cia de engenheiros, para apurar as causas do deslocamento do revestimento do piso. Com a confirma&ccedil;&atilde;o de que a estrutura do pr&eacute;dio n&atilde;o sofreu danos, a universidade retomou ontem as aulas.</span></div>

Comentários pelo Facebook: