Uma declaração de amor a Gurupi

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;"><u><strong>Zacarias Martins*</strong></u><br />
<br />
Neste&nbsp; 14 de novembro a cidade de Gurupi, no sul Estado do Tocantins, chega aos 54 anos de emancipa&ccedil;&atilde;o pol&iacute;tica, mas com um corpinho de fazer inveja a muita dondoca adolescente.<br />
<br />
&Eacute; uma jovem senhora, reconhe&ccedil;o, por&eacute;m, mais jovem do que senhora, ou melhor, senhora do meu destino e de muita gente que por aqui vive.<br />
<br />
Apesar de uns buraquinhos aqui outros acol&aacute; (coisa que se pode consertar), essa menina est&aacute; com um corpinho bem enxuto. N&atilde;o foi preciso ainda fazer uma lipo, mas h&aacute;&nbsp; quem defenda a coloca&ccedil;&atilde;o de silicone em pontos estrat&eacute;gicos.<br />
<br />
Intriga da oposi&ccedil;&atilde;o!<br />
<br />
Gurupi vai muito bem, obrigado. Como eu a amo, (e amo de paix&atilde;o). Minha vis&atilde;o apaixonada me deixa praticamente m&iacute;ope para n&atilde;o enxergar seus defeitos.<br />
<br />
Enxergar pra qu&ecirc;? Quem ama verdadeiramente, s&oacute; enxerga qualidades em quem se ama.<br />
<br />
Est&aacute; bem, confesso: &eacute; um amor plat&ocirc;nico. Tamb&eacute;m pudera, quis Deus que eu nascesse poeta. E os poetas, quando apaixonados, s&atilde;o plat&ocirc;nicos. (E eu n&atilde;o fui excess&atilde;o &agrave; regra, apesar de n&atilde;o saber quem a inventou).<br />
<br />
&Ecirc;ta Gurupi faceira, festeira, carnavalesqueira, poeteira e tantos eiras que j&aacute; me fogem &agrave; lembran&ccedil;a e me deixam sem beira.<br />
<br />
Gurupi tamb&eacute;m &eacute; materneira (e n&atilde;o &eacute; brincadeira). A cidade &eacute; tal qual o cora&ccedil;&atilde;o de m&atilde;e: sempre cabe mais um. E n&atilde;o &eacute; que h&aacute; vinte e tantos anos ela me adotou com mais um de seus filhos diletos?<br />
<br />
O mesmo aconteceu com muita gente que aqui chegou, acabou fincando ra&iacute;zes, deu frutos e hoje fala com orgulho sobre a paix&atilde;o se ser gurupiense.<br />
<br />
E por falar nisso, esta cidade me ensinou que ser gurupiense &eacute; um estado de esp&iacute;rito, j&aacute; que a cidade por si s&oacute; nos d&aacute; &acirc;nimo para seguirmos em frente em nossas jornadas.<br />
<br />
Aprendi que ser gurupiense, verdadeiramente, &eacute;&nbsp; n&atilde;o perder esperan&ccedil;a. &Eacute; acreditar que mesmo nas dificuldades, dias melhores vir&atilde;o, pois o melhor de Gurupi &eacute; a sua gente.<br />
<br />
<u><strong>Zacarias Martins</strong></u> <span style="font-size:12px;"><em>&eacute; escritor e jornalista. E-mail: [email protected]</em></span></span></div>

Comentários pelo Facebook: