Comando da PM, SSP e Polícia Civil anunciam ações paliativas no combate à criminalidade

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">Integrantes das Secretarias de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica do Estado, de Cidadania e Justi&ccedil;a e do Comando Geral da Pol&iacute;cia Militar estiveram em Aragua&iacute;na na tarde de ontem, 13, para discutir um plano emergencial de conten&ccedil;&atilde;o da viol&ecirc;ncia na cidade. O fato motivador dessa visita foi a execu&ccedil;&atilde;o de um jovem de 18 anos no interior do Hospital Regional de Aragua&iacute;na, nesta segunda-feira, 11.<br />
<br />
Durante coletiva &agrave; imprensa, o Coronel Ben&iacute;cio anunciou uma for&ccedil;a-tarefa de seguran&ccedil;a com o objetivo de reduzir a criminalidade na regi&atilde;o Norte do Estado. A a&ccedil;&atilde;o &eacute; realizada pela Pol&iacute;cia Militar, em conjunto com a Pol&iacute;cia Civil e com a Secretaria de Justi&ccedil;a e Direitos Humanos e ocorre por uma determina&ccedil;&atilde;o do Governador Siqueira Campos, segundo Ben&iacute;cio.<br />
<br />
O comandante destacou que a for&ccedil;a-tarefa vai se concentrar no aumento da fiscaliza&ccedil;&atilde;o, blitz e policiamento ostensivo. Essa medida repressiva foi anunciada numa coletiva na tarde da ter&ccedil;a com a presen&ccedil;a do comandante Geral da PM no Tocantins, coronel Lu&iacute;z Cl&aacute;udio Ben&iacute;cio; o superintendente do Sistema Prisional, Walderi Francisco de Carvalho; o chefe de Pol&iacute;cia do Tocantins, Jos&eacute; Eli&uacute; Jurubeba e o secret&aacute;rio-executivo de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica, Fernando Ubaldo.<br />
<br />
<u><strong>Execu&ccedil;&atilde;o no HRA</strong></u><br />
<br />
Esta foi a segunda vez em que pessoas entraram no HRA para promover a&nbsp; execu&ccedil;&atilde;o de paciente, no entanto, o comandante da PM afirmou se trata de um fato isolado, mas que &eacute; grave e preocupa o Estado.<br />
<br />
Como uma das provid&ecirc;ncias para coibir a&ccedil;&otilde;es dessa natureza, a Pol&iacute;cia Militar intensificar&aacute; o contato com o hospital, bem como a disponibiliza&ccedil;&atilde;o de policiamento. Assim, sempre que o hospital considerar necess&aacute;rio, policiais militares estar&atilde;o de prontid&atilde;o no local, disse Ben&iacute;cio. O comandante ressaltou ainda que ir&aacute; tomar provid&ecirc;ncias para aumentar o n&uacute;mero de viatura na cidade.<br />
<br />
O comandante da PM admitiu que o n&uacute;mero de viaturas que fazem policiamento diariamente em Aragua&iacute;na, em m&eacute;dia 5, &eacute; insuficiente para garantir a seguran&ccedil;a da popula&ccedil;&atilde;o nos mais de 100 bairros.<br />
<br />
<strong><u>Grupo de exterm&iacute;nio na PM</u></strong><br />
<br />
O comandante negou a exist&ecirc;ncia de grupo de exterm&iacute;nio dentro da Pol&iacute;cia Militar e disse que desconhece qualquer envolvimento do jovem executado no HRA com a morte do Cabo Isaias (novembro de 2011). Conforme Ben&iacute;cio, qualquer integrante da corpora&ccedil;&atilde;o que cometer excessos ser&aacute; apurado pela corregedoria e at&eacute; expulso da PM.<br />
<br />
<u><strong>Comunidade</strong></u><br />
<br />
Na coletiva, coronel Ben&iacute;cio pediu o apoio da popula&ccedil;&atilde;o nas a&ccedil;&otilde;es de policiamento. De acordo com o comandante, seguran&ccedil;a p&uacute;blica n&atilde;o se faz apenas com a participa&ccedil;&atilde;o da PM e da Pol&iacute;cia Civil, mas com o envolvimento dos moradores. &quot;A popula&ccedil;&atilde;o pode nos ajudar repassando informa&ccedil;&atilde;o. Tem o 190, que n&atilde;o &eacute; necess&aacute;rio se identificar, al&eacute;m do contato direto com os policiais&quot;, ressaltou.<br />
<br />
<strong><u>Investiga&ccedil;&atilde;o</u></strong><br />
<br />
O secret&aacute;rio-executivo da SSP, Fernando Ubaldo, anunciou que j&aacute; foi composto um grupo para comandar o inqu&eacute;rito que vai investigar o assassinato no hospital. Segundo ele, a investiga&ccedil;&atilde;o do fato ser&aacute; prioridade. As autoridades tentaram amenizar a gravidade da situa&ccedil;&atilde;o afirmando que informa&ccedil;&otilde;es dos investigadores d&atilde;o conta que o jovem era ligado ao tr&aacute;fico de drogas, inclusive j&aacute; tendo sido apreendido quando era menor de idade.</span></div>

Comentários pelo Facebook: