Sobral – 300×100
Seet

Siqueira assina ordem de serviço para início das obras do HGA; município doa área para Ambulatório de Especialidades

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">O Governador Siqueira Campos assina nesta ter&ccedil;a-feira, 12, a ordem de servi&ccedil;o para constru&ccedil;&atilde;o do Hospital Geral de Aragua&iacute;na (HGA) a</span><span style="font-size:14px;">&nbsp;partir das 16 horas no Jardim dos Ip&ecirc;s.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">Segundo o Governo, a obra vai ampliar e melhorar o atendimento para os mais de 600 mil usu&aacute;rios do SUS na regi&atilde;o. S&atilde;o 400 leitos, 60 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 12 salas cir&uacute;rgicas. A unidade contar&aacute; ainda com Pronto Socorro para atendimento di&aacute;rio de mais de 150 pessoas, setores de oncologia, de di&aacute;lise, laborat&oacute;rios e toda a &aacute;rea administrativa. A assinatura da Ordem de Servi&ccedil;o para o in&iacute;cio imediato das obras ser&aacute; &agrave;s 16 horas.o do Hospital Geral de Aragua&iacute;na – HGA.<br />
<br />
Na oportunidade, o prefeito Ronaldo Dimas vai oficializar a doa&ccedil;&atilde;o de &aacute;rea para a implanta&ccedil;&atilde;o de Ambulat&oacute;rio de Especialidades e far&aacute; a entrega &agrave; C&acirc;mara de Vereadores&nbsp;do Projeto de Lei que autoriza a doa&ccedil;&atilde;o&nbsp;de um terreno municipal.<br />
HGA<br />
<br />
Ser&atilde;o investidos mais de R$ 160 milh&otilde;es na unidade, que para constru&ccedil;&atilde;o contar&aacute; com uma equipe de mais de 200 profissionais no canteiro de obras. O recurso para a constru&ccedil;&atilde;o da unidade hospitalar foi conseguido pelo governo do Estado atrav&eacute;s de financiamentos junto ao BNDES. A meta do governo &eacute; que em dois anos as obras sejam conclu&iacute;das.<br />
<br />
A empresa respons&aacute;vel pela execu&ccedil;&atilde;o das obras &eacute; a LDN, contratada atrav&eacute;s de licita&ccedil;&atilde;o por Regime Diferenciado de Contrata&ccedil;&atilde;o &ndash; RDC, modalidade de licita&ccedil;&atilde;o mais &aacute;gil. De acordo com o arquiteto supervisor da LDN, Rui Neto, a partir da assinatura da Ordem de Servi&ccedil;o j&aacute; ser&atilde;o iniciados os trabalhos. &ldquo;Come&ccedil;aremos pelos servi&ccedil;os de topografia, terraplanagem, cercamento do terreno e limpeza, com a retirada da camada vegetal&rdquo;, explica o arquiteto.<br />
<br />
O HGA tamb&eacute;m ter&aacute; setores de oncologia, di&aacute;lise, laborat&oacute;rios e todas as reparti&ccedil;&otilde;es da &aacute;rea administrativa.<br />
<br />
<u><strong>Ambulat&oacute;rio</strong></u><br />
<br />
Todo o Estado receber&aacute; oito novos Ambulat&oacute;rios M&eacute;dicos de Especialidades, cinco dos quais j&aacute; est&atilde;o em fase de licita&ccedil;&atilde;o. Em Aragua&iacute;na, uma &aacute;rea do munic&iacute;pio ser&aacute; doada para o Estado para a constru&ccedil;&atilde;o da unidade. &ldquo;<em>Vamos entregar o projeto de lei sobre a doa&ccedil;&atilde;o do terreno para a aprecia&ccedil;&atilde;o dos vereadores. Com a aprova&ccedil;&atilde;o, passaremos para o processo licitat&oacute;rio&rdquo;</em>, lembra Ronaldo.<br />
<br />
Apesar de serem classificados como de m&eacute;dia complexidade, os ambulat&oacute;rios de Aragua&iacute;na e Palmas ter&atilde;o condi&ccedil;&otilde;es de atender casos mais complexos como neurologia, cardiologia e ortopedia. O sistema tamb&eacute;m desafogar&aacute; as demandas ambulatoriais que hoje s&atilde;o atendidas nos hospitais e que acabam lotando os leitos. No total, o Governo do Estado far&aacute; um investimento de R$ 78 milh&otilde;es nas oito unidades.<br />
<br />
<u><strong>Aragua&iacute;na</strong></u><br />
<br />
O munic&iacute;pio de Aragua&iacute;na tem uma popula&ccedil;&atilde;o usu&aacute;ria do SUS de aproximadamente 602.368 mil habitantes em 65 munic&iacute;pios tocantinenses, para atendimento de M&eacute;dia e Alta Complexidade (MAC) hospitalar de urg&ecirc;ncia e emerg&ecirc;ncia, al&eacute;m de atender as popula&ccedil;&otilde;es da regi&atilde;o sul do Par&aacute; e Maranh&atilde;o. Estas caracter&iacute;sticas fazem com que a popula&ccedil;&atilde;o flutuante gire em torno de 2.392.42 habitantes, o que reflete na constante necessidade de amplia&ccedil;&atilde;o e adequa&ccedil;&atilde;o de servi&ccedil;os e de novas estruturas f&iacute;sicas hospitalares, visando, em especial a atender a crescente demanda existente.</span></div>

Comentários pelo Facebook: