Júri de goleiro Bruno é adiado para março de 2013 após pedido de advogados

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">O j&uacute;ri do goleiro Bruno Fernandes, r&eacute;u do caso Eliza Samudio, foi adiado a pedido dos advogados do r&eacute;u para 4 de mar&ccedil;o de 2013. O pedido foi apresentado pelo advogado L&uacute;cio Adolfo da Silva, um dos defensores do goleiro, que ingressou nesta quarta-feira (21) na defesa do ex-atleta ap&oacute;s Francisco Simim entregar &agrave; ju&iacute;za um documento pelo qual nomeou Adolfo da Silva para o seu lugar.<br />
<br />
Agora, s&oacute; ser&atilde;o julgados neste Tribunal do J&uacute;ri o r&eacute;u Luiz Henrique Rom&atilde;o, o Macarr&atilde;o, e Fernanda Gomes de Castro, ex-amante do goleiro. Inicialmente, o julgamento havia sido transferido para 21 de janeiro, mas a ju&iacute;za Marixa Fabiane achou melhor adiar para mar&ccedil;o por conta das f&eacute;rias e do Carnaval, o que traria dificuldades para formar o conselho de jurados.<br />
<br />
Logo no in&iacute;cio da sess&atilde;o, L&uacute;cio Adolfo da Silva argumentou n&atilde;o ter condi&ccedil;&otilde;es de atuar na defesa do r&eacute;u por n&atilde;o ter conhecimento dos autos. &quot;N&atilde;o li uma &uacute;nica linha do processo&quot;, afirmou Silva. Indagado se conhecia o cliente, respondeu: &quot;Quem n&atilde;o conhece Bruno? Ele &eacute; atleticano.&quot;<br />
<br />
Em seguida, o promotor Henry Castro fez uma longa manifesta&ccedil;&atilde;o contra o adiamento do j&uacute;ri, na qual disse que os advogados estavam ferindo o C&oacute;digo de Processo Penal e tentando claramente manobrar o julgamento. &ldquo;Quem preside esse julgamento &eacute; Vossa Excel&ecirc;ncia; neste julgamento a Promotoria de Justi&ccedil;a pede; e neste julgamento algumas das defesas, sob a capa da ast&uacute;cia e da bravata, s&oacute; manobram.<br />
<br />
Ainda assim, a ju&iacute;za Marixa aceitou o pedido da defesa de Bruno. &ldquo;N&atilde;o obstante ver clara manobra para posterga&ccedil;&atilde;o do processo –por outro lado tamb&eacute;m &eacute; verdade que o documento apresentado a mim foi de substabelecimento– concedo ao senhor advogado prazo para ter ci&ecirc;ncia do processo&rdquo;, declarou a magistrada. &ldquo;Determino o desmembramento do processo.&rdquo;<br />
<br />
Inicialmente, Marixa Fabiane marcou o julgamento de Bruno para 14 de janeiro, mas o promotor afirmou que estaria voltando de f&eacute;rias nesta data, e magistrada decidiu postergar para o dia 21. Ap&oacute;s a decis&atilde;o, o goleiro Bruno deixou o F&oacute;rum de Contagem escoltado pela Pol&iacute;cia Militar e foi conduzido ao pres&iacute;dio Nelson Hungria, no mesmo munic&iacute;pio.<br />
<br />
<u><strong>Manobras da defesa</strong></u><br />
<br />
Desde ontem a defesa de Bruno tenta protelar a realiza&ccedil;&atilde;o do julgamento. Na sess&atilde;o de ter&ccedil;a, o goleiro destituiu Rui Pimenta, o advogado respons&aacute;vel pela sua defesa, por se sentir &quot;inseguro&quot;, mas disse que continuaria com Francisco Simim. Minutos depois, o r&eacute;u voltou atr&aacute;s e pediu a destitui&ccedil;&atilde;o de Simim, sob o argumento de que a manuten&ccedil;&atilde;o como &uacute;nico advogado prejudicaria a defesa de Dayanne de Souza, que tamb&eacute;m &eacute; defendida por Simim.<br />
<br />
A magistrada, ent&atilde;o, decidiu desmembrar o julgamento de Dayanne, de modo a permitir que Simim s&oacute; fizessem a defesa de Bruno neste Tribunal do J&uacute;ri.&nbsp; AInda ontem, Simim substabeleceu (transferiu a responsabilidade da defesa do r&eacute;u) para o advogado Tiago Lenoir, que um dia antes afirmou no Twitter que o goleiro deveria confessar o crime de homic&iacute;dio e se defender dos outros (c&aacute;rcere privado e oculta&ccedil;&atilde;o da cad&aacute;ver) para ficar menos tempo na pris&atilde;o.<br />
<br />
Hoje, foi a vez de SImim substabelecer Adolfo da Silva, que, t&atilde;o logo ingressou na defesa, pediu o adiamento do j&uacute;ri de Bruno. Lenoir, assim como Simim, deixaram a defesa de Bruno. Al&eacute;m de Adolfo, Antonio Rolim advoga para o goleiro.<br />
<br />
Para o assistente da Promotoria Sidnei Kapinski, a manobra utilizada pela defesa, de adiar o julgamento para janeiro, &eacute; uma &quot;manobra&quot; para Macarr&atilde;o assumir a responsabilidade no lugar de Bruno.<br />
<br />
&quot;Acreditamos que o testemunho de Macarr&atilde;o, que pode acontecer ainda hoje (21) ou amanh&atilde;, ir&aacute; confessar tudo e assumir a responsabilidade pelo desaparecimento e morte de Eliza Samudio&quot;, disse Kapinski. (UOL)</span></div>

Comentários pelo Facebook: