Seet
Sobral – 300×100

Trabalhadores que eram chicoteados voltam para casa

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
Na madrugada desta quinta-feira, 16, Agentes da Pol&iacute;cia Rodovi&aacute;ria Federal que participam da Opera&ccedil;&atilde;o de combate ao trabalho escravo, coordenada pelo Minist&eacute;rio P&uacute;blico do Trabalho (MPT), embarcaram para Minas Gerais os dois trabalhadores rurais que denunciaram as condi&ccedil;&otilde;es degradantes de trabalho em uma Fazenda no munic&iacute;pio de Lagoa da Confus&atilde;o (TO).<br />
<br />
As primeiras not&iacute;cias do fato ocorreram em dezembro &uacute;ltimo, quando os trabalhadores fugiram da Fazenda e procuraram a Delegacia de Pol&iacute;cia de Gurupi (TO).&nbsp;<br />
<br />
No dia 27 de dezembro, os trabalhadores foram removidos para Palmas (TO), onde ficaram alojados em uma entidade ligada &agrave; Igreja Cat&oacute;lica. Neste mesmo dia, eles foram ouvidos pelo Minist&eacute;rio P&uacute;blico do Trabalho – MPT e o caso foi noticiado &agrave; Coordenadoria Nacional de Erradica&ccedil;&atilde;o do Trabalho Escravo &ndash; CONAETE. Uma for&ccedil;a tarefa foi criada para verificar o caso e agir na regi&atilde;o com o intuito de coibir tais pr&aacute;ticas delituosas.<br />
<br />
Ap&oacute;s firmar Termo de Ajuste de Conduta – TAC, o ex-empregador se comprometeu junto ao MPT, a cumprir obriga&ccedil;&otilde;es com os trabalhadores, propiciando emergencialmente as condi&ccedil;&otilde;es necess&aacute;rias para o retorno dos trabalhadores aos seus Estados de origens.<br />
<br />
<u><strong>Chicoteados</strong></u><br />
<br />
No final de dezembro, os dois trabalhadores denunciaram o trabalho escravo na propriedade rural de Lagoa da Confus&atilde;o (TO). Segundo relato das v&iacute;timas, que s&atilde;o de Minas Gerais, eles dormiam em cima, e as vezes at&eacute; embaixo, de um caminh&atilde;o com apenas uma lona servindo de forro.<br />
<br />
Um deles ainda mostrou marcas nas costas e disse que foi agredido. <em>&quot;Carreg&aacute;vamos a madeira nas costas e quando n&atilde;o aguent&aacute;vamos, eles nos batiam&quot;.<br />
<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/chicote.jpg" style="width: 606px; height: 227px;" /></em></span></div>

Comentários pelo Facebook: