Jornalista lança livro que relata vida de ex-garota de programa

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size: 14px;">Com um tema bem atual a jornalista gurupiense Heliana&nbsp; Oliveira lan&ccedil;a nesta quinta-feira, 22, em Gurupi, no Centro Cultural Mauro Cunha, &agrave;s 20h30, sua primeira obra liter&aacute;ria intitulada &ldquo;Zefinha, uma puta hist&oacute;ria&rdquo; (Editora Veloso).&nbsp; A obra &eacute; um livro reportagem que conta de forma leve a trajet&oacute;ria de uma ex-garota de programa, que iniciou essa atividade quando ainda morava no Estado do Maranh&atilde;o.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">O livro &eacute; parte do trabalho de conclus&atilde;o do curso de Jornalismo realizado em 2007 e est&aacute;&nbsp; sendo publicado ap&oacute;s a autora vencer o Edital de Cultura da Secretaria de Estado da Cultura e Funda&ccedil;&atilde;o Cultural do Tocantins, por meio do pr&ecirc;mio Maximiano da Mata Teixeira de incentivo &agrave; produ&ccedil;&atilde;o liter&aacute;ria.<br />
<br />
A jornalista conta que a ideia de relatar a vida de uma ex-garota de programa surgiu por sempre perceber que a prostitui&ccedil;&atilde;o &eacute; um problema social. &ldquo;As mulheres que optam por essa vida enfrentam grandes barreiras. Geralmente s&atilde;o mulheres que n&atilde;o tiveram oportunidades de estudo. Claro que a maioria delas poderia ter escolhido outro trabalho, mas optam pela venda do corpo porque o dinheiro &eacute; mais r&aacute;pido o que n&atilde;o significa ser mais f&aacute;cil. A personagem do meu livro retrata bem isso. Ela foi jogada &agrave; pr&oacute;pria sorte, sem estudo ou profiss&atilde;o e com filhos pra criar viu na venda do seu corpo a maneira de sustentar sua casa.&nbsp; E quando decidiu deixar de se prostituir montou uma casa de prostitui&ccedil;&atilde;o&rdquo;, explicou.<br />
<br />
A autora destaca que ao decidir relatar a vida de uma mulher que n&atilde;o teve vergonha de encarar o preconceito das pessoas, a ideia n&atilde;o era contar uma hist&oacute;ria er&oacute;tica e sim levar o leitor a refletir sobre o real problema da sociedade, sobre o motivo que tantas meninas escolhem&nbsp; a prostitui&ccedil;&atilde;o como forma de sobreviv&ecirc;ncia. &ldquo;Embora muita gente diga que &eacute; uma vida f&aacute;cil, posso dizer que pelos relatos que ouvi que discordo. Essas mulheres muitas vezes s&atilde;o enxovalhadas&rdquo;, destacou completando que espera que as pessoas ao abordar este assunto deixem de lado seus preconceitos.<br />
<br />
&ldquo;O livro &eacute; de um texto leve, simples e curto, mas a hist&oacute;ria &eacute; forte e com certeza &eacute; similar a de muitas outras meninas espalhadas por este Brasil afora. Na &eacute;poca em que escrevi este livro pude conhecer uma mulher determinada e impressionante por n&atilde;o ter vergonha de assumir o que foi, e que mesmo com tantas dificuldades e sofrimento venceu na vida&rdquo;, finalizou.&nbsp; (Zacarias Martins)<br />
<br />
<u><strong>SERVI&Ccedil;O</strong></u><br />
<br />
O qu&ecirc; &ndash; Lan&ccedil;amento do livro &ldquo;Zefinha, uma puta hist&oacute;ria&rdquo;, da jornalista Heliana Oliveira<br />
<br />
Quando -&nbsp; Quinta-feira &ndash; 22/11, &agrave;s 20h30<br />
<br />
Onde &ndash; Centro Cultural Mauro Cunha, em Gurupi<br />
<br />
Publica&ccedil;&atilde;o &ndash; Editora Veloso (www.editoraveloso.com.br)<br />
<br />
P&aacute;ginas &ndash; 74<br />
<br />
Pre&ccedil;o – R$ 10,00<br />
<br />
Informa&ccedil;&otilde;es -&nbsp; 8413-4825 (com Heliana)</span></div>

Comentários pelo Facebook: