Seet
Sobral – 300×100

Unidades do Minha Casa Minha Vida estão prontas, mas entrega só será definida após sinalização da presidente Dilma

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
A solenidade de entrega de quase 2 mil unidades habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida, em Aragua&iacute;na (TO), deve ser usada como oportunidade para autopromo&ccedil;&atilde;o de pr&eacute;-candidatos nas elei&ccedil;&otilde;es deste ano. De acordo com informa&ccedil;&otilde;es, as casas j&aacute; foram conclu&iacute;das e entregues &agrave; Caixa Econ&ocirc;mica Federal. J&aacute; a data para entrega ainda n&atilde;o foi definida por que a Caixa aguarda uma sinaliza&ccedil;&atilde;o por parte da assessoria da presidente Dilma Rousseff.<br />
<br />
Segundo informa&ccedil;&otilde;es, Dilma quer participar pessoalmente da solenidade de entrega das casas.<br />
<br />
O programa habitacional que &eacute; tido como a bandeira eleitoral da presidente, candidata &agrave; reelei&ccedil;&atilde;o pelo PT, vem tamb&eacute;m abrindo os olhos dos Minist&eacute;rios P&uacute;blicos Estadual e Federal, que tentam coibir seu uso para fins eleitoreiros.<br />
<br />
Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Aragua&iacute;na disse que as previs&otilde;es de prazos para a entrega das casas s&atilde;o repassadas pela pr&oacute;pria Caixa Econ&ocirc;mica Federal (CEF) &agrave; prefeitura. Segundo a nota, a informa&ccedil;&otilde;es da Secretaria Municipal de Habita&ccedil;&atilde;o d&atilde;o conta de que os nomes do cadastro ainda est&atilde;o sob avalia&ccedil;&atilde;o da CEF.<br />
<br />
<img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/minha%20casa.jpg" style="width: 300px; height: 213px; border-width: 0px; border-style: solid; margin-left: 5px; margin-right: 5px; float: left;" />Ainda de acordo com a Prefeitura, a Caixa informou, pela &uacute;ltima vez, que provavelmente as casas ser&atilde;o entregues no m&ecirc;s de fevereiro de 2014, por&eacute;m n&atilde;o soube informar o dia.<br />
<br />
Em rela&ccedil;&atilde;o &agrave; transpar&ecirc;ncia no processo de escolha dos benefici&aacute;rios das casas, o secret&aacute;rio de Habita&ccedil;&atilde;o, Elenil da Penha, que tamb&eacute;m &eacute; pr&eacute;-candidato a deputado estadual, j&aacute; chegou a afirmar que houve total transpar&ecirc;ncia. A lista de todos os cadastrados, e dos pr&eacute;-selecionados, foi amplamente divulgada na imprensa. A secretaria ainda disponibilizou telefone e e-mail para receber den&uacute;ncias de poss&iacute;veis casos que n&atilde;o se enquadravam nas regras do programa.&nbsp; Todos os casos foram rigorosamente apurados.&nbsp;&nbsp;&nbsp;<br />
<br />
<u><strong>Irregularidades</strong></u><br />
<br />
No Brasil, v&aacute;rias irregularidades no Programa tamb&eacute;m s&atilde;o investigadas pelo Minist&eacute;rio P&uacute;blico Federal (MPF), entre elas o uso eleitoral do programa por pol&iacute;ticos, inclusive no hor&aacute;rio reservado para propaganda pol&iacute;tico-partid&aacute;ria.<br />
<br />
No Estado de Goi&aacute;s, por exemplo, o procurador regional eleitoral, Ailton Benedito de Souza, recomendou a todos os promotores eleitorais o acompanhamento da execu&ccedil;&atilde;o dos programas, a&ccedil;&otilde;es e pol&iacute;ticas p&uacute;blicas federais nos munic&iacute;pios, com especial aten&ccedil;&atilde;o ao Minha Casa Minha Vida.<br />
<br />
<em>&quot;O uso promocional do programa, vendendo &agrave; popula&ccedil;&atilde;o mais carente uma ilus&atilde;o de que se trata de uma distribui&ccedil;&atilde;o gratuita e farta de unidades habitacionais, revela-se assistencialismo nefasto, caracter&iacute;stico do patrimonialismo eleitoreiro, mesmo que antecipadamente ao per&iacute;odo eleitoral legalmente previsto&quot;</em>, disse o procurador em trecho do documento.<br />
<br />
Ainda de acordo com o MPF, fraude na lista de beneficiados &eacute; o problema mais comum encontrado no Minha Casa Minha Vida.&nbsp; Desde o lan&ccedil;amento, em 2009, no governo Luiz In&aacute;cio Lula da Silva, os procuradores abriram 224 procedimentos, dos quais 82 s&atilde;o sobre as fraudes de cadastro.<br />
<br />
O segundo problema mais comum &eacute; a corrup&ccedil;&atilde;o, como o pagamento indevido de vantagens a servidores p&uacute;blicos. H&aacute; 26 procedimentos abertos sobre o tema. A lista ainda inclui financiamentos irregulares, im&oacute;veis entregues em mau estado, quest&otilde;es ambientais, entre outros. Parte dos procedimentos virou a&ccedil;&atilde;o civil p&uacute;blica.</span></div>

Comentários pelo Facebook: