Seet
Sobral – 300×100

Comércio sofreu 256 furtos e 231 assaltos em 2013; entidades querem sistema de monitoramento eletrônico e mais PMs

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">O caos na seguran&ccedil;a p&uacute;blica de Aragua&iacute;na mais uma vez mobilizou a Associa&ccedil;&atilde;o Comercial e Industrial de Aragua&iacute;na &ndash; Aciara para cobrar solu&ccedil;&otilde;es imediatas dos poderes p&uacute;blicos. Durante uma reuni&atilde;o realizada no &uacute;ltimo dia 21 de janeiro, na sede da Associa&ccedil;&atilde;o, diretores e representantes da sociedade organizada discutiram a necessidade de implementar medidas como a cria&ccedil;&atilde;o de cl&iacute;nicas de reabilita&ccedil;&atilde;o para usu&aacute;rios de drogas, cobran&ccedil;a quanto ao sistema de monitoramento eletr&ocirc;nico prometido pela Prefeitura e mais policiais nas ruas.<br />
<br />
Segundo o presidente da Aciara, Manoel de Assis Silva, as delibera&ccedil;&otilde;es da reuni&atilde;o ser&atilde;o levadas ao conhecimento do Estado e do Munic&iacute;pio. <em>&ldquo;Agendaremos uma reuni&atilde;o com o prefeito para solicitar esclarecimentos sobre as promessas de campanha assumidas com a Associa&ccedil;&atilde;o, principalmente com rela&ccedil;&atilde;o &agrave; seguran&ccedil;a em nossa cidade. Tamb&eacute;m faremos coleta de dados para sugerirmos a reativa&ccedil;&atilde;o das c&eacute;lulas comunit&aacute;rias&rdquo;</em>, afirmou.<br />
<br />
Uma outra reuni&atilde;o est&aacute; agendada para o dia 4 de fevereiro para analisar os resultados das a&ccedil;&otilde;es deliberadas, inclusive convidando outras entidades de classe para se integrarem ao movimento.<br />
<br />
<u><strong>Dados</strong></u><br />
<br />
A viol&ecirc;ncia sofrida pelos comerciantes da cidade em 2013 foi traduzida em n&uacute;meros durante a reuni&atilde;o: 256 furtos e 231 assaltos. Para o presidente do Conselho Comunit&aacute;rio de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica &ndash; CONSEG, advogado Dearlye Kuhn, os dados s&atilde;o desanimadores. <em>&ldquo;Essa estat&iacute;stica &eacute; somente no com&eacute;rcio do centro da cidade, j&aacute; que boa parte dos comerciantes, e da popula&ccedil;&atilde;o, n&atilde;o fazem boletins de ocorr&ecirc;ncia quando sofrem delitos&rdquo;</em>, revela Dearley<br />
<br />
<strong><u>Monitoramento</u></strong><br />
<br />
Os diretores da Aciara lembraram que a associa&ccedil;&atilde;o encabe&ccedil;ou o projeto de monitoramento das principais ruas e avenidas de Aragua&iacute;na por meio de c&acirc;meras de alta resolu&ccedil;&atilde;o. As imagens geradas em tempo real seriam mais uma ferramenta para prevenir a criminalidade. <em>&ldquo;Mas o projeto da Prefeitura que previa a instala&ccedil;&atilde;o de mais 14 equipamentos em pontos estrat&eacute;gicos nunca saiu do papel&rdquo;</em>, pontuou o presidente do CONSEG.<br />
<br />
A unidade que possui a &uacute;nica c&acirc;mera que est&aacute; instalada no pr&eacute;dio da Aciara est&aacute; inoperante, pois os agentes policiais que estavam designados para esta finalidade tiveram que ser disponibilizados devido ao baixo n&uacute;mero de policiais nas ruas.&nbsp; <em>&ldquo;E o problema poder&aacute; ser agravado j&aacute; que est&aacute; previsto a aposentadoria de mais de mil policiais somente este ano e o concurso promovido pelo Estado abrir&aacute; somente 300 vagas&rdquo;</em>, conclui Kuhn.<br />
<br />
<u><strong>Causas</strong></u><br />
<br />
O juiz da Vara de Execu&ccedil;&otilde;es Penais, Ant&ocirc;nio Dantas, e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Aragua&iacute;na, Jos&eacute; Hil&aacute;rio, refor&ccedil;aram que uma parcela significativa do problema com a seguran&ccedil;a p&uacute;blica adv&eacute;m da precariedade da educa&ccedil;&atilde;o, sa&uacute;de e da estrutura f&iacute;sica da cidade. <em>&ldquo;N&atilde;o adianta colocar um &lsquo;ex&eacute;rcito&rsquo; nas ruas se h&aacute; lacunas em outros bens igualmente necess&aacute;rios ao cidad&atilde;o&rdquo;</em>, ressaltou o magistrado.<br />
<br />
Os representantes do Judici&aacute;rio acrescentaram, ainda, que s&atilde;o necess&aacute;rias mudan&ccedil;as no sistema eleitoral, reforma tribut&aacute;ria, fiscaliza&ccedil;&atilde;o dos poderes Judici&aacute;rio, Legislativo e Executivo, cobran&ccedil;a da pr&aacute;tica de programas de ressocializa&ccedil;&atilde;o de presos, cobran&ccedil;a de respostas contra a impunidade com bandidos de &lsquo;colarinho branco&rsquo; e ainda a unifica&ccedil;&atilde;o da sociedade para a implanta&ccedil;&atilde;o de projetos sociais e recupera&ccedil;&atilde;o de viciados em drogas e &aacute;lcool. <em>&ldquo;E h&aacute; a possibilidade de se estruturarem relat&oacute;rios que apresentem presta&ccedil;&otilde;es de contas das verbas p&uacute;blicas para acompanharmos os investimentos dos governos&rdquo;</em>, completou Ronaldo Dias, diretor da Aciara.<br />
<br />
<u><strong>Sociedade</strong></u><br />
<br />
A participa&ccedil;&atilde;o e cobran&ccedil;a da sociedade por meio dos conselhos municipais foi outra ferramenta salientada durante o encontro. Mas de acordo com a presidente do Lions Clube de Aragua&iacute;na, Alessandra Machado, os &oacute;rg&atilde;os n&atilde;o s&atilde;o levados a s&eacute;rio como deveriam. <em>&ldquo;Ser um conselheiro municipal &eacute; um trabalho volunt&aacute;rio, por isso deve haver um comprometimento grande. Esta &eacute; uma das formas de fiscaliza&ccedil;&atilde;o das contas p&uacute;blicas do munic&iacute;pio&rdquo;</em>, salientou Alessandra.<br />
<br />
<strong><u>Disposi&ccedil;&otilde;es</u></strong><br />
<br />
Ao fim da reuni&atilde;o, que contou com a presen&ccedil;a do presidente da OAB, Jos&eacute; Hil&aacute;rio Rodrigues; do representante do Rotary Club de Aragua&iacute;na, Ronaldo Carvalho; da presidente do Lions Clube, Alessandra Machado Oliveira Moutinho; do presidente do Sindicato Rural, Roberto Paulino da Silva; do juiz de Direito Criminal do F&oacute;rum de Aragua&iacute;na, Ant&ocirc;nio Dantas de Oliveira Junior, e do representante da Grande Loja Ma&ccedil;&ocirc;nica do Estado do Tocantins Alexandre Modesto Braune, al&eacute;m do corpo diretivo da Aciara, ficou acordada a formula&ccedil;&atilde;o de um documento que contenha as reivindica&ccedil;&otilde;es debatidas na reuni&atilde;o, a saber:<br />
<br />
1) estudo e pesquisa de quantos policias a mais ser&atilde;o necess&aacute;rios para Aragua&iacute;na;<br />
2) Cria&ccedil;&atilde;o de um conselho permanente;<br />
3) Enviar um manifesto escrito para as autoridades competentes, assinado por todas as entidades que participaram da reuni&atilde;o;<br />
4) Organizar uma grande manifesta&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica ;<br />
5) Criar uma comiss&atilde;o permanente para organizar e acompanhar as contas e gastos p&uacute;blicos;<br />
6) Sugerir ao poder p&uacute;blico municipal a cria&ccedil;&atilde;o de uma guarda municipal;<br />
7) Sugerir parcerias entre poder p&uacute;blico e empresas para resocializa&ccedil;&atilde;o de presos;<br />
8) Reestrutura&ccedil;&atilde;o e capacita&ccedil;&atilde;o das C&eacute;lulas Comunit&aacute;rias;<br />
9) Sugerir projetos de cursos profissionalizantes no pres&iacute;dio Barra da Grota.</span></div>

Comentários pelo Facebook: