Sobral – 300×100
Seet

Campos e Marina Silva articulam chapa com Mário Lúcio Avelar para Governador do Tocantins

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">Reportagem do jornal Folha de S. Paulo, desta ter&ccedil;a-feira (28), afirma que a articula&ccedil;&atilde;o da dupla Eduardo Campos e Marina Silva para lan&ccedil;ar nos Estados candidatos n&atilde;o vinculados ao mundo pol&iacute;tico caminha para um novo cap&iacute;tulo.<br />
<br />
Ap&oacute;s acertarem com a ex-corregedora Nacional de Justi&ccedil;a Eliana Calmon sua candidatura ao Senado pela Bahia, PSB e Rede est&atilde;o em negocia&ccedil;&otilde;es finais para anunciar o procurador da Rep&uacute;blica M&aacute;rio L&uacute;cio de Avelar ao governo do Tocantins.<br />
<br />
Lotado h&aacute; tr&ecirc;s anos no Minist&eacute;rio P&uacute;blico de Goi&aacute;s, Avelar passou pelas procuradorias do Distrito Federal, Mato Grosso e Tocantins e atuou em alguns dos casos de corrup&ccedil;&atilde;o mais rumorosos do pa&iacute;s nos &uacute;ltimos anos.<br />
<br />
Entre eles o de Waldomiro Diniz (assessor da Casa Civil da Presid&ecirc;ncia que apareceu em v&iacute;deo cobrando propina da contraven&ccedil;&atilde;o), em 2004, dos Sanguessugas (desvio de verbas federais da sa&uacute;de), em 2006, e dos Aloprados (tentativa de compra por petistas de dossi&ecirc; contra tucanos), tamb&eacute;m em 2006.<br />
<br />
Avelar tamb&eacute;m foi, ao lado de outros colegas, o procurador da investiga&ccedil;&atilde;o contra fraudes na Sudam (Superintend&ecirc;ncia do Desenvolvimento da Amaz&ocirc;nia) que resultou na pris&atilde;o de Jader Barbalho (PMDB-PA) em 2002.<br />
<br />
Um dos pontos do curr&iacute;culo do procurador que mais agradam a Marina e seus aliados da &aacute;rea ambiental, por&eacute;m, &eacute; a sua participa&ccedil;&atilde;o na Opera&ccedil;&atilde;o Curupira, da Pol&iacute;cia Federal, contra o desmatamento no Mato Grosso, em 2005. Na &eacute;poca, o Minist&eacute;rio do Meio Ambiente comandado por Marina tamb&eacute;m participou da opera&ccedil;&atilde;o.<br />
<br />
A busca de Campos e Marina por nomes desvinculados da pol&iacute;tica tem como pano de fundo as manifesta&ccedil;&otilde;es de rua de junho, ocasi&atilde;o em que os pol&iacute;ticos figuraram entre os principais alvos dos protestos.<br />
<br />
&quot;Estamos conversando. Estamos tratando das condi&ccedil;&otilde;es de natureza partid&aacute;ria e pessoal&quot;, afirmou Avelar.<br />
<br />
O secret&aacute;rio-geral nacional do PSB, Carlos Siqueira, afirmou que conversar&aacute; ainda nesta semana com os dirigentes do partido no Tocantins para tentar contornar eventuais resist&ecirc;ncias, j&aacute; que o partido negocia com o grupo pol&iacute;tico do atual governador, Siqueira Campos (PSDB).<br />
<br />
&quot;Temos a possibilidade de uma candidatura nova, em comum acordo com a Rede. Eventual resist&ecirc;ncia se vence porque h&aacute; um projeto maior&quot;, disse Carlos Siqueira. Por integrar o Minist&eacute;rio P&uacute;blico, Avelar tamb&eacute;m tem prazo at&eacute; abril para se filiar a um partido e disputar as elei&ccedil;&otilde;es.</span></div>

Comentários pelo Facebook: