Seet
Sobral – 300×100

Falso ganhador do prêmio de R$ 73 milhões da Mega Sena se entrega à PF

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
O homem suspeito de ser o falso ganhador da Mega Sena que resultou no golpe de R$ 73 milh&otilde;es se entregou &agrave; Pol&iacute;cia Federal na tarde desta ter&ccedil;a-feira (28), em Aragua&iacute;na (TO).&nbsp;<br />
<br />
M&aacute;rcio Xavier de Lima foi ouvido pela Procuradora da Rep&uacute;blica Aldirla Albuquerque e encaminhado para a Casa de Pris&atilde;o Provis&oacute;ria de Aragua&iacute;na (CPPA). Na unidade j&aacute; est&atilde;o presos o ex-gerente da Caixa de Tocantin&oacute;polis, Robson Pereira do Nascimento, e o suplente de deputado federal do Maranh&atilde;o, Ernesto Vieira de Carvalho Neto (PMDB), ambos s&atilde;o suspeitos de participar do golpe.<br />
<br />
Segundo a Pol&iacute;cia Federal, o&nbsp;</span><span style="font-size:14px;">M&aacute;rcio Xavier</span><span style="font-size:14px;">&nbsp;teria usado documentos falsos no nome de M&aacute;rcio Xavier Gomes de Souza para abrir a&nbsp;conta que recebeu os 73 milh&otilde;es, em dezembro de 2013. M&aacute;rcio teria recebido 35 mil reais por participar do esquema. O suplente de deputado &eacute; quem teria apresentado a documenta&ccedil;&atilde;o falsa para abertura da conta banc&aacute;ria.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">Para abrir a conta banc&aacute;ria e receber o falso pr&ecirc;mio, foi usado um comprovante de resid&ecirc;ncia verdadeiro. Para conseguir o documento, o suplente de deputado enganou sua ex-funcion&aacute;ria.&nbsp;<em>&ldquo;Sou ex-funcion&aacute;ria dele e, na &eacute;poca, ele chegou, pediu a conta. Segundo ele, queria s&oacute; ver o CEP. N&atilde;o desconfiei de nada&rdquo;</em>, diz Ivonete Amorim – ex-funcion&aacute;ria de Ernesto Vieira.<br />
<br />
Segundo a PF, mesmo com o comprovante de resid&ecirc;ncia em outro nome, o gerente-geral abriu a conta para M&aacute;rcio Xavier.&nbsp;O golpe s&oacute; foi descoberto seis dias depois.&nbsp;Robson Pereira do Nascimento, que estava no cargo havia oito meses, foi demitido.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">Segundo o Minist&eacute;rio P&uacute;blico Federal, o gerente e demais envolvidos devem responder pelos crimes de peculato (artigo 312, &sect;1&ordm; do C&oacute;digo Penal Brasileiro), recepta&ccedil;&atilde;o majorada (artigo 180, &sect;6&ordm; do CPB), forma&ccedil;&atilde;o de quadrilha (artigo 288 do CPB) e lavagem de dinheiro (artigo 1&ordm;, &sect;1&ordm;, incisos I e II da Lei 9.613/98).<br />
<br />
<u><strong>Foragidos</strong></u><br />
<br />
A maior parte da fortuna foi passando de conta em conta. Cerca de 200 j&aacute; foram identificadas em v&aacute;rios estados do Brasil.&nbsp;Um exemplo: segundo a Pol&iacute;cia Federal, R$ 42 milh&otilde;es foram pra empresa Phama Transportes.<br />
<br />
O endere&ccedil;o onde ficaria a sede, em Lauro de Freitas, regi&atilde;o metropolitana de Salvador, Bahia, &eacute; falso. Ant&ocirc;nio Rodrigues Filho &eacute; um suposto procurador dessa firma. Na conta pessoal dele, apareceram mais de R$ 12 milh&otilde;es. No papel, consta que ele trabalha em S&atilde;o Bernardo do Campo, Grande S&atilde;o Paulo. Mas o endere&ccedil;o n&atilde;o existe. Ant&ocirc;nio est&aacute; foragido.<br />
<br />
Os outros quatro supostamente envolvidos no golpe milion&aacute;rio e que continuam foragido s&atilde;o: Talles Henrique de Freitas e os irm&atilde;os Alberto Nunes Tugeiro Filho e Paulo Andr&eacute; Pinto Tugeiros.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;"><u><strong>Entenda</strong></u></span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">No dia 5 de dezembro de 2013, o ent&atilde;o gerente da ag&ecirc;ncia da CEF em Tocantin&oacute;polis, com aux&iacute;lio de outras pessoas, promoveu a abertura de uma conta corrente fict&iacute;cia destinada a receber o valor R$ 73.094,415,90 como sendo o pagamento de pr&ecirc;mio da Mega Sena.&nbsp;</span><span style="font-size:14px;">O cliente era falso e o pr&ecirc;mio nunca existiu.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">O dinheiro desviado foi distribu&iacute;do por contas no Cear&aacute;, no Maranh&atilde;o, em Goi&aacute;s e em S&atilde;o Paulo</span><span style="font-size:14px;">. Segundo a Caixa R$ 64 milh&otilde;es foram recuperados, mas ainda faltam 9 milh&otilde;es.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">A Caixa s&oacute; descobriu a fraude numa an&aacute;lise rotineira de contabilidade. O gerente chegou a sair de f&eacute;rias, mas foi preso no dia 22 de dezembro. A Pol&iacute;cia Federal investiga se h&aacute; participa&ccedil;&atilde;o de outros funcion&aacute;rios da Caixa, al&eacute;m do gerente.<br />
<br />
O advogado do gerente Robson do Nascimento disse que apresentou documentos que comprovam que ele &eacute; inocente. E que n&atilde;o sabia que se tratava de um golpe.</span></div>

Comentários pelo Facebook: