Seet
Sobral – 300×100

Instaurado procedimento para investigar servidores que receberam R$ 93 mil em jetons e diárias do Sisepe

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">Ap&oacute;s o l&iacute;der do Movimento pela Moraliza&ccedil;&atilde;o e Democratiza&ccedil;&atilde;o do Sisepe (MMDS), Wiston Gomes, denunciar a farra de jetons e di&aacute;rias envolvendo dois servidores p&uacute;blicos que s&atilde;o diretores do sindicato no interior do Tocantins, a Secretaria de Administra&ccedil;&atilde;o (Secad) instaurou Processo Administrativo Disciplinar para apurar os fatos. A decis&atilde;o foi publicada no Di&aacute;rio Oficial do Estado (DOE) na &uacute;ltima quarta-feira, 5.<br />
<br />
A Corregedoria Administrativa da Secad, por meio da Portaria 020, determinou a abertura do Processo Administrativo, considerando que os documentos apresentados eram suficientes para comprovar as den&uacute;ncias e dispensavam a necessidade de uma Sindic&acirc;ncia.<br />
<br />
Os servidores Jo&atilde;o Gualberto Lopes Lima, auxiliar de Servi&ccedil;os Gerais lotado da Secretaria de Defesa Social (Seds) em Gurupi, e Welton Ferreira, Assistente Administrativo lotado na Secretaria de Educa&ccedil;&atilde;o e Cultura (Seduc) em Aragua&iacute;na, ser&atilde;o investigados pela &ldquo;conduta que, em tese, infringem aos princ&iacute;pios e deveres inerentes ao servidor p&uacute;blico descritos nos artigos 131, 132, 133 incisos I, II, III, IX, X e infra&ccedil;&otilde;es administrativas disciplinares previstas no artigo 134, incisos XVIII, combinadas com o artigo 157, incisos IV e XXI todos da Lei n&ordm; 1.818, de 23 de agosto de 2007&rdquo;, conforme publica&ccedil;&atilde;o no DOE.<br />
<br />
Ainda de acordo com a decis&atilde;o da Corregedoria da Secad, a instaura&ccedil;&atilde;o do Processo Administrativo tem o objetivo de apurar a <em>&ldquo;obten&ccedil;&atilde;o de frequ&ecirc;ncias mesmo sem estarem cumprindo a regular carga hor&aacute;ria di&aacute;ria perante as unidades de lota&ccedil;&atilde;o, nos per&iacute;odos em que se encontram, mediante convoca&ccedil;&otilde;es do SISEPE, realizando atividades sindicais em diversos munic&iacute;pios e, por conseguinte, recebendo os valores correspondentes aos vencimentos mensais de forma integral sem a devida contrapresta&ccedil;&atilde;o do servi&ccedil;o, priorizando a atividade sindical em detrimento do servi&ccedil;o p&uacute;blico&rdquo;.&nbsp;</em><br />
<br />
<br />
A den&uacute;ncia de Wiston Gomes &eacute; referente aos valores recebidos pelos dois servidores por servi&ccedil;os prestados ao Sisepe em dias e hor&aacute;rios em que deveriam trabalhar nas respectivas Secretarias. O problema na conduta de Welton e Jo&atilde;o Gualberto &eacute; que ambos assinaram presen&ccedil;a no trabalho nos &oacute;rg&atilde;os onde est&atilde;o lotados sendo que n&atilde;o trabalharam, pois se ausentaram para prestar os servi&ccedil;os enquanto diretores do sindicato.<br />
<br />
<u><strong>Di&aacute;rias recebidas</strong></u><br />
<br />
Entre di&aacute;rias e jetons, Welton recebeu no total R$ 42.906,70 s&oacute; no ano passado pelos servi&ccedil;os prestados ao Sisepe, e esse valor n&atilde;o inclui o sal&aacute;rio do servidor, que n&atilde;o sofreu nenhum desconto porque o mesmo assinou presen&ccedil;a como se tivesse trabalhado todos os dias normalmente na Seduc. J&aacute; Jo&atilde;o Gualberto recebeu do Sisepe R$ 50.657,94 s&oacute; em 2013, mais o sal&aacute;rio referente ao trabalho na Seds, tamb&eacute;m sem nenhum desconto porque, assim como Welton, ele assinou presen&ccedil;a como se tivesse trabalhado na Secretaria todos os dias.<br />
<br />
<u><strong>Cabos eleitorais de Clayton Pinheiro</strong></u><br />
<br />
Fi&eacute;is escudeiros e principais cabos eleitorais do atual presidente do SISEPE, Cleiton Pinheiro, os servidores p&uacute;blicos Jo&atilde;o Gualberto e Welton s&atilde;o favorecidos com diversas convoca&ccedil;&otilde;es realizadas pelo pr&oacute;prio presidente, o que tem gerado preju&iacute;zos ao SISEPE e aos cofres p&uacute;blicos em virtude do pagamento concomitante de di&aacute;rias e jetons em valores exorbitantes, pelo sindicato; e de sal&aacute;rios integrais, sem a devida presta&ccedil;&atilde;o de servi&ccedil;os nos seus &oacute;rg&atilde;os de lota&ccedil;&otilde;es.<br />
<br />
O l&iacute;der do MMDS avaliou a instaura&ccedil;&atilde;o dos Processos como positiva: &ldquo;&Eacute; a resposta que esper&aacute;vamos&rdquo;, disse. <em>&ldquo;Quando denunciamos a farra de jetons e di&aacute;rias quer&iacute;amos tornar p&uacute;blico um pouco do que acontece dentro do Sisepe e os servidores p&uacute;blicos n&atilde;o ficam sabendo. &Eacute; o nosso dinheiro que banca essa farra e isso precisa acabar. O servidor, o filiado precisa ser respeitado e n&atilde;o aceitamos mais essas condutas imorais</em>&rdquo;, enfatizou Wiston Gomes.</span></div>

Comentários pelo Facebook: