Seet
Sobral – 300×100

Técnicos já instalaram 46 câmeras no Hospital Regional de Araguaína

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br />
<br />
J&aacute; foram instaladas 46 c&acirc;meras de seguran&ccedil;a que v&atilde;o fazer parte do sistema de videomonitoramento do Hospital Regional P&uacute;blico de Aragua&iacute;na. As c&acirc;meras foram instaladas na ter&ccedil;a-feira, dia 18, e os t&eacute;cnicos est&atilde;o fazendo os &uacute;ltimos ajustes e regulagem do equipamento para conclu&iacute;rem os trabalhos.<br />
<br />
De acordo com a Secretaria Estadual de Sa&uacute;de (Sesau), at&eacute; o fim desta semana, ainda ser&atilde;o instaladas cinco catracas eletr&ocirc;nicas com controle biom&eacute;trico nas principais entradas que d&atilde;o acesso a unidade hospitalar, como o setor de Quimioterapia, Ortopedia e Pronto Socorro. Cada portaria ter&aacute; um computador que vai registrar a entrada e sa&iacute;da de qualquer pessoa, facilitando assim a identifica&ccedil;&atilde;o daqueles que acessam nas depend&ecirc;ncias do hospital e garantir mais seguran&ccedil;a para quem trabalha no local, aos pacientes e acompanhantes.<br />
<br />
Segundo a diretora geral do HRA, Jane Guimar&atilde;es, ap&oacute;s a instala&ccedil;&atilde;o das catracas, todos os servidores da unidade ser&atilde;o cadastrados e tamb&eacute;m ser&aacute; feito um treinamento para aqueles que v&atilde;o trabalhar diretamente no sistema de monitoramento.<br />
<br />
<u><strong>Mais seguran&ccedil;a</strong></u><br />
<br />
Conforme a Sesau, a proposta &eacute; garantir mais seguran&ccedil;a &agrave; rede p&uacute;blica de sa&uacute;de, pois com o monitoramento disciplinar&aacute; o acesso aos hospitais, oferecendo mais seguran&ccedil;a aos pacientes, acompanhantes e profissionais de sa&uacute;de. A sala de monitoramento funcionar&aacute; 24 horas por dia. A equipe trabalhar&aacute; em quatro turnos.<br />
<br />
<u><strong>Hist&oacute;rico de inseguran&ccedil;a</strong></u><br />
<br />
Como de costume, o poder p&uacute;blico n&atilde;o trabalha de forma planejada e preventiva.&nbsp;</span><span style="font-size:14px;">O HRA j&aacute; foi cen&aacute;rio de um tiroteio no dia 12 de novembro de 2012, quando tr&ecirc;s homens armados e encapuzados invadiram a unidade e executaram com cinco tiros o paciente Jonathan Silva Santos, 18 anos, que havia sido v&iacute;tima de uma tentativa de homic&iacute;dio horas antes. Eles nunca foram presos ou identificados.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">No 16 de janeiro, um paciente psiqui&aacute;trico saiu correndo pelos corredores da unidade e precisou ser contido por funcion&aacute;rios e pela Pol&iacute;cia Militar (PM).&nbsp;Os servidores da unidade&nbsp;</span><span style="font-size:14px;">j&aacute; afirmaram &agrave; imprensa que n&atilde;o se sentem seguros dentro do Hospital.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">Situa&ccedil;&atilde;o semelhante aconteceu no Hospital Geral de Palmas (HGP), no dia 18 de janeiro de 2014, quando tr&ecirc;s homens invadiram o hospital e, na sa&iacute;da, atiraram em duas pessoas.&nbsp;</span><br />
<br />
<br />

Comentários pelo Facebook: