Sobral – 300×100
Seet

TO inaugura laboratório voltado ao combate à corrupção e lavagem de dinheiro

admin -

<span style="font-size:14px;">O Estado do Tocantins passou a contar, a partir de ontem(31), com uma ferramenta avan&ccedil;ada de combate &agrave; lavagem de dinheiro e &agrave; corrup&ccedil;&atilde;o: o Laborat&oacute;rio de Tecnologia Contra Lavagem de Dinheiro (Lab-LD), instalado no Minist&eacute;rio P&uacute;blico Estadual (MPE), viabilizado por meio de uma parceria entre a institui&ccedil;&atilde;o e o Minist&eacute;rio da Justi&ccedil;a (MJ).<br />
<br />
Com o laborat&oacute;rio, as investiga&ccedil;&otilde;es envolvendo crimes contra a administra&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica, pr&aacute;ticas de improbidade, crimes financeiros e organiza&ccedil;&otilde;es criminosas, entre outros, se torar&atilde;o mais r&aacute;pidas e precisas. Isso porque o laborat&oacute;rio trabalhar&aacute; com a an&aacute;lise e o cruzamento de dados cadastrais, fiscais, banc&aacute;rios e patrimoniais, tendo capacidade para operar um grande n&uacute;mero de informa&ccedil;&otilde;es, segundo explicou o coordenador da Rede Nacional de Laborat&oacute;rios contra a Lavagem de Dinheiro, Roberto Zaina, da Secretaria Nacional de Justi&ccedil;a, presente &agrave; solenidade de inaugura&ccedil;&atilde;o.<br />
<br />
Para estruturar o Lab-LD, o Minist&eacute;rio P&uacute;blico Estadual teve que cumprir uma s&eacute;rie de requisitos, estabelecidos pelo Minist&eacute;rio da Justi&ccedil;a. Entre eles, adequar a estrutura das instala&ccedil;&otilde;es f&iacute;sicas, dotar o laborat&oacute;rio de uma equipe exclusiva, capacitar esse pessoal, instalar hardwares e softwares espec&iacute;ficos e firmar conv&ecirc;nios com empresas e institui&ccedil;&otilde;es visando ao compartilhamento de informa&ccedil;&otilde;es. Para tanto, foram necess&aacute;rios mais de dois anos de entendimento entre o MPE e o MJ, segundo explicou a coordenadora do Grupo de Atua&ccedil;&atilde;o Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), K&aacute;tia Chaves Gallieta, para quem a concretiza&ccedil;&atilde;o desse trabalho &eacute; a &ldquo;realiza&ccedil;&atilde;o de um sonho&rdquo;.<br />
<br />
A Procuradoria-Geral de Justi&ccedil;a, Vera Nilva &Aacute;lvares Rocha Lira, tamb&eacute;m comemorou a conquista. &ldquo;Esse laborat&oacute;rio traz novas responsabilidades para o Minist&eacute;rio P&uacute;blico e ir&aacute; requerer um trabalho &aacute;rduo por parte de nossa equipe, mas o resultado ser&aacute; compensador, j&aacute; que se refletir&aacute; em benef&iacute;cios para toda a sociedade, no que se refere ao zelo com os recursos p&uacute;blicos&rdquo;, avaliou.<br />
<br />
O Lab-LD incentiva uma nova cultura investigativa, pela qual se busca n&atilde;o s&oacute; a pris&atilde;o dos criminosos, mas tamb&eacute;m a sua descapitaliza&ccedil;&atilde;o, permitindo, assim, a retorno do dinheiro aos cofres p&uacute;blicos.<br />
<br />
<u><strong>Brasil</strong></u><br />
<br />
A expectativa &eacute; que at&eacute; mar&ccedil;o de 2015 todos os estados tenham laborat&oacute;rios similares em funcionamento, com 43 unidades ao todo, contemplando secretarias de seguran&ccedil;a p&uacute;blica, pol&iacute;cias civis, minist&eacute;rios p&uacute;blicos estaduais, Pol&iacute;cia Federal, Receita Federal e Minist&eacute;rio P&uacute;blico Federal. A unidade do Tocantins &eacute; a 23&ordf; do pa&iacute;s.</span>

Comentários pelo Facebook: