Seet
Sobral – 300×100

Alunos invadem aula de professor que comemorava golpe de 1964

admin -

<span style="font-size:14px;">Uma aula em comemora&ccedil;&atilde;o ao golpe de 1964, realizada na noite desta segunda-feira, dia 31, na Faculdade de Direito da Universidade de S&atilde;o Paulo (USP), motivou um protesto de alunos da gradua&ccedil;&atilde;o da unidade. Vestidos com capuzes pretos e camisas manchadas de vermelho, em alus&atilde;o &agrave; viol&ecirc;ncia da ditadura, alunos ocuparam a sala no momento em que o professor Eduardo Gualazzi lia o discurso entitulado Contin&ecirc;ncia a 1964.<br />
<br />
Um v&iacute;deo mostra o momento em que a aula foi interrompida. O material j&aacute; teve mais de 6 mil compartilhamentos pelo Facebook at&eacute; as 15h30.</span><br />
<br />
<div class="media_embed">
<span style="font-size:14px;"><iframe allowfullscreen="" frameborder="0" height="315" src="//www.youtube.com/embed/LFEaDVwobb8" width="560"></iframe></span></div>
<br />
<span style="font-size:14px;">Na aula, o professor Gualazzi lia o documento – de sua autoria – em que afirma que &quot;tiranias vermelhas terminaram afogadas no holocausto de sangue humano e corrup&ccedil;&atilde;o&quot;, al&eacute;m de indicar que em 1964 o &quot;socialismo esquerdista totalitarista almejava apodeira-se totalmente do Brasil&quot;. Na sequ&ecirc;ncia, jovens entram na sala cantando Opini&atilde;o, de Z&eacute; Ketty, acompanhados de tambores. O professor tenta retirar os capuzes dos alunos, mas depois se retira da sala.<br />
<br />
A estudante Erica Meireles, do 3&ordm; ano de Direito, uma das participantes do ato, diz que o professor Gualazzi j&aacute; &eacute; conhecido na faculdade por se referir ao golpe de 1964 com &quot;revolu&ccedil;&atilde;o&quot;. &quot;Ele pode pensar o que quiser, mas n&atilde;o utilizar a cadeira de professor como instrumento para isso&quot;, diz ela. &quot;Nossa interven&ccedil;&atilde;o se deu de modo art&iacute;stico, pol&iacute;tica, n&atilde;o fomos para agredi-lo. N&atilde;o quisemos expuls&aacute;-lo da sala, mas ele n&atilde;o quis debater com a gente.&quot; Gualazzi &eacute; professor associado no departamento de Direito do Estado, &aacute;rea de Direito administrativo. A reportagem procurou o docente na Faculdade, mas ainda n&atilde;o obteve retorno. (Estad&atilde;o)</span>

Comentários pelo Facebook: