Sobral – 300×100
Seet

Siqueira vai se energizar para a nova batalha que se aproxima

admin -

<span style="font-size:14px;"><u>Arnaldo Filho</u><br />
Portal AF Not&iacute;cias<br />
<br />
A carta de ren&uacute;ncia do Governador Siqueira Campos (PSDB) foi protocolada na noite desta sexta-feira, 4, na Assembleia Legislativa.&nbsp; No documento, direcionado aos tocantinenses, Siqueira fala de sua trajet&oacute;ria pol&iacute;tica, da luta pela cria&ccedil;&atilde;o do Estado do Tocantins, dos desafios, conquistas, faz cr&iacute;ticas e garante que deixa o governo, mas n&atilde;o a pol&iacute;tica.</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">A carta de ren&uacute;ncia foi lida na presen&ccedil;a de apenas 13 deputados aliados, dos 24 parlamentares, e do ex-secret&aacute;rio de Rela&ccedil;&otilde;es Institucionais Eduardo Siqueira Campos (PTB), pr&eacute;-candidato a governador do Estado. Na mesma oportunidade Sandoval Cardoso, presidente da AL, foi empossado governador.&nbsp;</span><br />
<br />
<span style="font-size:14px;">Na carta, Siqueira tamb&eacute;m n&atilde;o deixou de criticar seu advers&aacute;rio Marcelo Miranda (PMDB), fazendo quest&atilde;o de lembrar que o colocou no poder. <em>&ldquo;Entreguei o Estado ao sucessor por mim apoiado com a esperan&ccedil;a que os tempos de progresso continuariam pelo bem de nosso povo, mas seu total descompromisso com a popula&ccedil;&atilde;o mais humilde nos indignou novamente. Foi uma grande decep&ccedil;&atilde;o, a maior decep&ccedil;&atilde;o da minha longa vida p&uacute;blica&rdquo;</em>, disse Siqueira.<br />
<br />
O governador tamb&eacute;m criticou a pol&iacute;tica do Governo Federal, ao que chamou de &ldquo;caolha&rdquo;, que imp&ocirc;s um &ocirc;nus insuport&aacute;vel aos Estados e Munic&iacute;pios.<br />
<br />
Quase finalizando a carta, Siqueira Campos diz que agora vai se energizar <em>&ldquo;f&iacute;sica, mental e espiritualmente para disputar com honra a nova batalha que se aproxima&rdquo;</em>, de ver seu filho [Eduardo Siqueira] ser o governador do Tocantins. E garante: <em>&ldquo;Deixo o governo, mas n&atilde;o deixo a pol&iacute;tica&rdquo;</em><br />
<br />
Neste s&aacute;bado, &agrave;s 10 horas, ser&aacute; realizada a transmiss&atilde;o de cargo para o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Sandoval Cardoso. O ato ocorrer&aacute; durante a inaugura&ccedil;&atilde;o das obras na TO &ndash; 458, que liga a TO &ndash; 050, no munic&iacute;pio de Ipueiras.<br />
<br />
<u><strong><span style="color:#000080;">Confira a &iacute;ntegra da carta:</span></strong></u><br />
<br />
Carta aos Tocantinenses<br />
<br />
<u><strong>Do meu supremo amor pelo Tocantins e pelo povo tocantinense</strong></u><br />
<br />
<em>Meus amigos e minhas amigas,<br />
<br />
Todos voc&ecirc;s sabem do amor que nutro pelo nosso Tocantins.<br />
<br />
Tudo come&ccedil;ou h&aacute; cinquenta anos atr&aacute;s quando, no dia 10 de julho de 1963, cheguei a Colinas de Goi&aacute;s como empres&aacute;rio rural. A absoluta aus&ecirc;ncia do poder p&uacute;blico na regi&atilde;o marcou-me profundamente. Sofri persegui&ccedil;&atilde;o dos poderosos de ent&atilde;o e indignei-me com o descaso aos menos favorecidos. Do&iacute;a-me ver jovens mulheres morrendo de parto por falta de assist&ecirc;ncia m&eacute;dica. Minha m&atilde;e, dona Regina, falecera por esse motivo no interior do Cear&aacute; aos 37 anos de idade.<br />
<br />
Faltava de tudo no ent&atilde;o norte goiano: os lares eram iluminados por lamparinas. Os grupos geradores movidos a &oacute;leo diesel instalados em poucas cidades da regi&atilde;o funcionavam, quando muito, at&eacute; as 22:00 horas. N&atilde;o havia estradas. A constru&ccedil;&atilde;o da Bel&eacute;m-Bras&iacute;lia estava apenas come&ccedil;ando. As grandes vias de integra&ccedil;&atilde;o eram os rios Tocantins e Araguaia e a avia&ccedil;&atilde;o a&eacute;rea regional. Havia ag&ecirc;ncias banc&aacute;rias apenas em Pedro Afonso-GO e Carolina-MA.<br />
<br />
Tudo isso me motivou a ser candidato a deputado federal em 1970 ap&oacute;s ser eleito vereador da rec&eacute;m emancipada Colinas de Goi&aacute;s com o maior n&uacute;mero de votos em 1965. Na &eacute;poca, fui escolhido para ser o presidente da C&acirc;mara Municipal.<br />
<br />
Retomamos a luta pela cria&ccedil;&atilde;o do Estado do Tocantins, paralisada &agrave; d&eacute;cadas. Por 23 anos (de 1971 a 1988), encampamos este movimento na C&acirc;mara dos Deputados e junto ao povo nortense at&eacute; a vit&oacute;ria final com a inclus&atilde;o da cria&ccedil;&atilde;o de nosso Estado nas Disposi&ccedil;&otilde;es Transit&oacute;rias da Constitui&ccedil;&atilde;o Federal promulgada em 5 de outubro de 1988. Nossa luta n&atilde;o foi em v&atilde;o.<br />
<br />
Eleito Governador, o primeiro do Tocantins para um mandato tamp&atilde;o de 1&ordm; de janeiro de 1989 a 15 de mar&ccedil;o de 1991, realizamos vinte anos em dois, criando e consolidando as Institui&ccedil;&otilde;es do Estado, implantando a sua malha vi&aacute;ria asfaltada, estruturando a sa&uacute;de p&uacute;blica (em 1989 havia apenas 43 leitos p&uacute;blicos em toda a regi&atilde;o), expandindo os servi&ccedil;os de energia el&eacute;trica com a constru&ccedil;&atilde;o de 70 mil quil&ocirc;metros de rede distribui&ccedil;&atilde;o e o fornecimento de &aacute;gua tratada &agrave; grande parte de nossa popula&ccedil;&atilde;o, al&eacute;m de promover a&ccedil;&otilde;es que fizeram levar o Minist&eacute;rio de Minas e Energia realizar as licita&ccedil;&otilde;es das hidrel&eacute;tricas do Lajeado, Peixe Angical, Santa Isabel no rio Araguaia, Estreito e S&atilde;o Salvador.<br />
<br />
Constru&iacute;mos tamb&eacute;m Palmas, a &uacute;ltima cidade planejada do s&eacute;culo XX, que entreguei com todos os poderes p&uacute;blicos nela instalados.<br />
<br />
Nos dois outros governos que tive a oportunidade de exercer, de 1995 a 2002, estruturamos de vez os caminhos para que o Tocantins se desenvolvesse com a for&ccedil;a da Livre Iniciativa e com a pr&aacute;tica da Justi&ccedil;a Social por parte do Governo do Estado.<br />
<br />
Deixamos dezenove hospitais p&uacute;blicos estaduais implantados atendendo a todas as regi&otilde;es do Estado, agora com mais de dois mil leitos. &Eacute; bom lembrar que eram apenas 43 em 1989, em apenas 2 hospitais, um em Aragua&iacute;na e outro em Porto Nacional, com apenas um m&eacute;dico em cada e atendimento precar&iacute;ssimo. Deixamos grandes programas econ&ocirc;micos agora em funcionamento nas diversas &aacute;reas, especialmente no agroneg&oacute;cio, e investidores importantes preparados para vir para o Estado, aguardando apenas o sinal verde da administra&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica, com um programa de incentivos fiscais e pol&iacute;tica ambiental das mais avan&ccedil;adas do pa&iacute;s.<br />
<br />
Mais de seis mil quil&ocirc;metros de estradas asfaltadas colocaram o Tocantins em primeiro lugar no Brasil no setor. O aproveitamento hidrel&eacute;trico do Rio Tocantins est&aacute; avan&ccedil;ado com a Usina Luis Eduardo Magalh&atilde;es em funcionamento e outras usinas licitadas. Tamb&eacute;m h&aacute; os Pioneiros Mirins, os m&eacute;dicos cubanos, a energia rural. Hoje esse &eacute; um Estado com &iacute;ndices recordes de crescimento apesar das dificuldades do Brasil e do mundo.<br />
<br />
Sentia-me um homem realizado, com doce sensa&ccedil;&atilde;o do dever cumprido. Enfim teria tempo para dedicar aos filhos, aos p&aacute;ssaros e paisagens do nosso Tocantins que tanto amo.<br />
<br />
Entreguei o Estado ao sucessor por mim apoiado com a esperan&ccedil;a que os tempos de progresso continuariam pelo bem de nosso povo, mas o total descompromisso do governo estadual que me sucedeu, com o bem p&uacute;blico e com a popula&ccedil;&atilde;o mais humilde nos indignou novamente. Foi uma grande decep&ccedil;&atilde;o, a maior decep&ccedil;&atilde;o da minha longa vida p&uacute;blica.<br />
<br />
Durante oito anos, nenhum novo hospital; a educa&ccedil;&atilde;o, tal qual deix&aacute;ramos; cidades paradas no tempo; projetos e boas ideias deixadas de lado. N&atilde;o se falava mais em desenvolvimento. S&oacute; em pol&iacute;tica. O povo descuidado e manipulado pelo clientelismo deplor&aacute;vel.<br />
<br />
Com a for&ccedil;a do povo voltei ao Governo para cuidar das pessoas, compromisso que tenho e renovo a cada momento da minha vida com Deus nosso a quem sirvo e servirei por toda a minha trajet&oacute;ria de vida material e espiritual.<br />
<br />
Encontrei uma situa&ccedil;&atilde;o de terra arrasada, mais do que uma irresponsabilidade, um crime, no limite da intoler&acirc;ncia. D&iacute;vidas com o Banco Mundial, d&iacute;vidas com o PIS/PASEP, uma pol&iacute;tica de pessoal desastrosa que nos faz passar a maior parte do tempo administrando a folha (a qual n&atilde;o atrasamos um dia sequer em todos os nossos governos), mas com a consci&ecirc;ncia tranquila de que mantivemos e at&eacute; ampliamos as conquistas dos servidores p&uacute;blicos.<br />
<br />
Al&eacute;m desses desafios, enfrentamos uma pol&iacute;tica econ&ocirc;mica caolha do Governo Federal que imp&ocirc;s um &ocirc;nus insuport&aacute;vel aos Estados e Munic&iacute;pios, especialmente aos mais pobres, nos tr&ecirc;s &uacute;ltimos anos. S&oacute; nos restava erguer a cabe&ccedil;a, reunir for&ccedil;as, planejar o futuro e seguir em frente.<br />
<br />
Recuperamos a credibilidade do Estado perante as institui&ccedil;&otilde;es nacionais e internacionais e fomos em busca de recursos para retomar o processo de desenvolvimento do Estado, que passa pelo fortalecimento dos munic&iacute;pios. Passada a tempestade, nosso esfor&ccedil;o por um Tocantins melhor mais desenvolvido e pr&oacute;spero est&aacute; se concretizando.<br />
<br />
Pegamos a educa&ccedil;&atilde;o com crian&ccedil;as estudando no ch&atilde;o, dividindo carteiras e em salas instaladas em tendas de lona. Adquirimos logo no in&iacute;cio mais de duzentas mil carteiras escolares para equipar nossas escolas. Hoje, temos mais da metade de nossos alunos estudando em tempo integral (muito acima da m&eacute;dia nacional), constru&iacute;mos novas escolas, ampliamos muitas das existentes e equipamos todas elas. Mais de oitenta mil tablets e notebooks foram distribu&iacute;dos aos professores e alunos da rede estadual de ensino, incluindo-os na era da inform&aacute;tica.<br />
<br />
O Tocantins &eacute; o Estado brasileiro que mais investe em sa&uacute;de, segundo comprova o Instituto Brasileiro de Geografia e Estat&iacute;stica, o IBGE. As amplia&ccedil;&otilde;es do Hospital Geral de Palmas, de Para&iacute;so, de Miracema, de Augustin&oacute;polis (em processo de constru&ccedil;&atilde;o avan&ccedil;ado), de Alvorada e do Hospital Materno-Infantil de Palmas foram licitadas, e a constru&ccedil;&atilde;o dos novos hospitais gerais de Aragua&iacute;na e Gurupi com obras iniciadas. Um anexo com cem leitos climatizados foi constru&iacute;do no Hospital Geral de Palmas, proporcionando melhores condi&ccedil;&otilde;es de atendimento aos pacientes. Centenas de novos equipamentos m&eacute;dicos foram adquiridos para a rede de sa&uacute;de p&uacute;bica do Estado.<br />
<br />
As Carretas da Sa&uacute;de da Mulher j&aacute; atenderam mais de quarenta mil pacientes nas diversas regi&otilde;es do Tocantins. Os m&eacute;dicos estrangeiros voltando a atender bem pertinho das pessoas, por mais longe que elas estejam.<br />
<br />
Na &aacute;rea social, mais de 250 mil fam&iacute;lias foram beneficiadas com os programas Tocantins sem Fome, Pioneiros Mirins (hoje migrando para as escolas de tempo integral) e Troca Solid&aacute;ria.<br />
<br />
A seca no sudeste est&aacute; sendo combatida de forma definitiva com a instala&ccedil;&atilde;o de mais de doze mil cisternas, e a chamada seca verde em outras regi&otilde;es est&aacute; sendo enfrentada com po&ccedil;os artesianos e sistemas de &aacute;gua tratada e encanada onde, pasmem, at&eacute; hoje n&atilde;o existia.<br />
<br />
A face municipalista de nosso Governo est&aacute; presente no PAM &ndash; Programa de Apoio aos Munic&iacute;pios. Esse programa disponibiliza patrulhas mecanizadas que j&aacute; recuperaram mais de onze mil quil&ocirc;metros de estradas vicinais. Com o Pr&oacute;-Munic&iacute;pios, ser&atilde;o constru&iacute;dos, ou reconstru&iacute;dos, cinco milh&otilde;es de metros quadrados nas cidades tocantinenses, adquiriu e entregou 390 &ocirc;nibus escolares para atender os estudantes das zonas rural e urbana e concedeu o ICMS ecol&oacute;gico, que premia os munic&iacute;pios que investem na preserva&ccedil;&atilde;o do meio ambiente, incentivo criado pelo meu Governo em 2002.<br />
<br />
A infraestrutura rodovi&aacute;ria do Estado foi totalmente destru&iacute;da nos oito anos anteriores &agrave; nossa Administra&ccedil;&atilde;o. Mais de dois mil quil&ocirc;metros foram recuperados j&aacute; no primeiro ano deste Governo em 2011. O trecho entre Dian&oacute;polis e Campos Belos-GO, beneficiando a regi&atilde;o sudeste, est&aacute; sendo reconstru&iacute;do pelo Ex&eacute;rcito Brasileiro a servi&ccedil;o do Governo do Estado. Mais de tr&ecirc;s mil quil&ocirc;metros ser&atilde;o reconstru&iacute;dos em todo o Estado a partir do t&eacute;rmino da esta&ccedil;&atilde;o chuvosa brevemente.<br />
<br />
Em breve, tamb&eacute;m, teremos a homologa&ccedil;&atilde;o da licita&ccedil;&atilde;o para constru&ccedil;&atilde;o da nova ponte de Porto Nacional.<br />
<br />
Nestes tr&ecirc;s anos, centenas de quil&ocirc;metros de estradas asfaltadas em diversas regi&otilde;es do Estado foram constru&iacute;das, e as pontes sobre o rio Tocantins em Lajeado e Barra do Ouro conclu&iacute;das.<br />
<br />
Pela primeira vez na hist&oacute;ria do nosso Estado do Tocantins e, de forma in&eacute;dita no Brasil, vamos construir ou reconstruir 100% da malha vi&aacute;ria urbana em todas as cidades tocantinenses com recursos garantidos.<br />
<br />
A economia do Tocantins tem crescido o dobro da m&eacute;dia nacional nos &uacute;ltimos tr&ecirc;s anos, e o setor agr&iacute;cola &eacute; o grande exemplo. Nossa safra de gr&atilde;os praticamente dobrou no per&iacute;odo e dever&aacute; continuar se expandindo fortemente com a implanta&ccedil;&atilde;o de projetos de agricultura irrigada como os projetos Prodoeste, S&atilde;o Jo&atilde;o, Gurita e Manoel Alves. Grandes ind&uacute;strias veem se instalando, como a Itaf&oacute;s, em Arraias, a Petrobr&aacute;s e a esmagadora de soja da Granol, em Porto Nacional, e a maior planta de beneficiamento de arroz da Am&eacute;rica do Sul, do arroz Tio Jo&atilde;o, em Lagoa da Confus&atilde;o; ou se expandindo, como a f&aacute;brica de cimento da Votorantim, em Xambio&aacute;.<br />
<br />
A hidrovia Tocantins come&ccedil;a a ser tornar realidade. A ferrovia j&aacute; se movimenta. A Bel&eacute;m-Bras&iacute;lia enfim ser&aacute;&nbsp;&nbsp; duplicada no sentido Sul-Norte.<br />
<br />
Nossa capacidade de transformar discursos e lutas em realidade n&atilde;o pode mais ser questionada. Um olhar no tempo revela que nada parece ser imposs&iacute;vel quando se tem um olhar para o futuro e quando se coloca o interesse p&uacute;blico em primeiro lugar.<br />
<br />
Lutei mais uma vez com dedica&ccedil;&atilde;o para recuperar o Tocantins e deix&aacute;-lo novamente em condi&ccedil;&otilde;es de seguir o seu belo caminho de desenvolvimento econ&ocirc;mico com inclus&atilde;o social, exemplo para o Brasil. O Tocantins voltou a falar em projetos. Voltou a sonhar e falar de futuro, que estamos construindo.<br />
<br />
Deixo o Governo na certeza de que o entrego em m&atilde;os comprometidas com o desenvolvimento do Estado e com o bem-estar de nosso povo, na confian&ccedil;a de que junto com seus nobres pares, haver&aacute; de tomar as melhores decis&otilde;es com a responsabilidade de quem tem compromisso com Deus para construir o futuro, com os grandes projetos que est&atilde;o encaminhados, como as regi&otilde;es metropolitanas de Palmas, Aragua&iacute;na e Gurupi e o metr&ocirc; elevado de Palmas, que integrar&aacute; no futuro toda a regi&atilde;o atrav&eacute;s de rodovias duplicadas a partir de Porto Nacional, Para&iacute;so, Miracema/Miranorte e Aparecida do Rio Negro.<br />
<br />
Vou agora me energizar f&iacute;sica, mental e espiritualmente para disputar com honra a nova batalha que se aproxima. Deixo o governo, mas n&atilde;o deixo a pol&iacute;tica at&eacute; ver cada um desses sonhos realizados e a nossa gente bem cuidada ou at&eacute; ser chamado pelo Deus que sempre aben&ccedil;oou esta terra. Com o cora&ccedil;&atilde;o compassivo, resplandecente de amor de nosso irm&atilde;o e messias Jesus Cristo e a luz urgidora do Esp&iacute;rito Santo de Deus, integro-me &agrave; luta, sem len&ccedil;o nem documento, mais inteiro nos meus compromissos, para mais uma vez me colocar &agrave; disposi&ccedil;&atilde;o daqueles inconformados que n&atilde;o aceitam viver e conviver com o estado de pobreza, de desigualdade, de atraso e injusti&ccedil;a que ainda castigam parte do nosso nobre e generoso povo.<br />
<br />
Sonhar e lutar s&atilde;o as marcas entranhadas nos nossos ideais, nos nossos sentimentos.<br />
<br />
Tocantinenses, a luta continua.<br />
<br />
Palmas, TO, 04 de abril de 2014.<br />
JOS&Eacute; WILSON SIQUEIRA CAMPOS</em></span>

Comentários pelo Facebook: