Sobral – 300×100
Seet

Líderes da Igreja e Pastoral da Terra discutem tráfico humano e trabalho escravo

admin -

<span style="font-size:14px;">A C&acirc;mara Municipal de Aragua&iacute;na (TO) recebeu na tarde de ter&ccedil;a-feira (9) representantes da Igreja Cat&oacute;lica e integrantes da Pastoral da Terra para debater a Campanha da Fraternidade 2014, cujo tema &eacute; a <strong><em>&ldquo;Fraternidade e Tr&aacute;fico Humano&rdquo;</em></strong>.&nbsp; Para a entidade, al&eacute;m do tr&aacute;fico de pessoas no Brasil, outro grave problema &eacute; o trabalho escravo e o Tocantins sempre aparece em posi&ccedil;&atilde;o destaque no ranking nacional. A lista suja cont&eacute;m pol&iacute;ticos, ju&iacute;zes e artistas.<br />
<br />
<u><strong>&Iacute;ndices do trabalho escravo</strong></u><br />
<br />
Na oportunidade o representante da Comiss&atilde;o Pastoral da Terra em Aragua&iacute;na,&nbsp; Evandro Rodrigues, apresentou dados sobre a incid&ecirc;ncia do trabalho an&aacute;logo &agrave; escravid&atilde;o no Tocantins, bem como n&uacute;meros de trabalhadores libertados pelo Minist&eacute;rio P&uacute;blico do Trabalho (MPT).&nbsp; Ele enfatizou que em 2012, o Estado ocupou o 2&deg; lugar no ranking nacional pelo n&uacute;mero de casos relatados (22) e tamb&eacute;m 2&deg; no n&uacute;mero de trabalhadores libertados (321). J&aacute; em 2013 ficou no 5&deg; lugar com 14 casos.<br />
<br />
Rodrigues pontuou ainda que 34 empregadores tocantinenses est&atilde;o atualmente na Lista Suja publicada pelo Governo Federal, em 2013. Tamb&eacute;m nos &uacute;ltimos 10 anos&nbsp; (2003 a 2013)&nbsp; 71, dos 139 munic&iacute;pios tocantinenses,&nbsp; tiveram registro de trabalho escravo.&nbsp; J&aacute; nos &uacute;ltimos 5 anos, 90 casos foram denunciados na pecu&aacute;ria, planta&ccedil;&atilde;o de eucalipto e no carv&atilde;o. Destes, 61 foram fiscalizados, resultando no resgate de 974 pessoas.<br />
<br />
<u><strong>Os empregadores</strong></u><br />
<br />
&ldquo;D&oacute;i constatar que entre esses empregadores inescrupulosos, j&aacute; compareceu n&atilde;o somente fazendeiro ou carvoeiro, criador de gado ou sojeiro, empresa sider&uacute;rgica ou madeireira, mas tamb&eacute;m ou &agrave;s vezes ao mesmo tempo, advogado, m&eacute;dico, artista, magistrado, deputado, senador. Basta!&rdquo; denunciou o representante da Comiss&atilde;o Pastoral da Terra em Aragua&iacute;na.<br />
<br />
<strong><u>Campanha da Fraternidade</u></strong><br />
<br />
J&aacute; o bispo da Diocese de Tocantin&oacute;polis (TO),&nbsp; Dom&nbsp; Giovane Pereira de Melo, argumentou que a Igreja Cat&oacute;lica, atrav&eacute;s da Campanha da Fraternidade,&nbsp; tem&nbsp; contribu&iacute;do com a&ccedil;&otilde;es de conscientiza&ccedil;&atilde;o, tanto em rela&ccedil;&atilde;o ao Trabalho Escravo quanto aos trafico de pessoas. Segundo&nbsp; a Organiza&ccedil;&atilde;o das Na&ccedil;&otilde;es Unidas (ONU), no Brasil, o tr&aacute;fico de pessoas faz cerca de 2,5 milh&otilde;es de v&iacute;timas por ano, incluindo homens, mulheres e crian&ccedil;as, mas principalmente pessoas vulner&aacute;veis e carentes &ndash; psicologicamente e de recursos.<br />
<br />
Para os representantes da Igreja Cat&oacute;lica, al&eacute;m de denunciar os casos junto aos &Oacute;rg&atilde;os competentes como o MPT, outra forma de reduzir a incid&ecirc;ncia do Trabalho Escravo &eacute; atrav&eacute;s da conscientiza&ccedil;&atilde;o e tamb&eacute;m de pol&iacute;ticas p&uacute;blicas voltadas para garantir trabalho digno aos cidad&atilde;os do Tocantins. Desta mesma forma, com a melhoria das condi&ccedil;&otilde;es de trabalho, reduzir&aacute; o numero de trafico de pessoas que devido &agrave; vulnerabilidade se sujeitam a tais condi&ccedil;&otilde;es e at&eacute; mesmo se tornam v&iacute;timas do trafico de pessoas.&nbsp;&nbsp;<br />
<br />
<u><strong>Participantes</strong></u><br />
<br />
Estiveram presentes na discuss&atilde;o: Jales Costa &ndash; ex-diretor da CPPA, Dom Giovane Pereira – Bispo de Tocantin&oacute;polis,&nbsp; Padre Geraldo Sionizio -&nbsp; Par&oacute;quia Sagrado Cora&ccedil;&atilde;o de Jesus, e Evandro Rodrigues – Pastoral da terra.&nbsp; Al&eacute;m dos convidados&nbsp; Padre Galson Neves – Par&oacute;quia S&atilde;o Jos&eacute; Oper&aacute;rio,&nbsp; Rafael Oliveira – Pastoral da Terra, e Padre Ramildo Jos&eacute; – Par&oacute;quia S&atilde;o Vicente de Paula.</span>

Comentários pelo Facebook: