Seet
Sobral – 300×100

Grupo Energisa assume Celtins prometendo recuperação e investimento de R$ 670 milhões

admin -

<span style="font-size:14px;">O Grupo Energisa assumiu na &uacute;ltima sexta-feira (11) o controle do Grupo Rede e, indiretamente, da Celtins e de outras sete distribuidoras do Rede que estavam, desde setembro de 2012, sob interven&ccedil;&atilde;o da Ag&ecirc;ncia Nacional de Energia El&eacute;trica (Aneel). A transfer&ecirc;ncia do controle e apresenta&ccedil;&atilde;o de um plano de recupera&ccedil;&atilde;o da concess&atilde;o era uma das condi&ccedil;&otilde;es para encerramento da interven&ccedil;&atilde;o pela ag&ecirc;ncia reguladora. Com a aquisi&ccedil;&atilde;o, a Energisa passa a atender 6 milh&otilde;es de clientes – ou uma popula&ccedil;&atilde;o de 15 milh&otilde;es de pessoas &ndash; em 788 munic&iacute;pios de nove estados, em todas as regi&otilde;es do pa&iacute;s. No Tocantins, s&atilde;o cerca de 500 mil consumidores em 139 munic&iacute;pios.<br />
<br />
A opera&ccedil;&atilde;o consolida a Energisa como a sexta em n&uacute;mero de clientes e a s&eacute;tima em receita l&iacute;quida no segmento &ndash; que passar&aacute; de R$ 2,9 bilh&otilde;es para R$ 8,4 bilh&otilde;es. A empresa ir&aacute; contar, no total, com 10 mil funcion&aacute;rios diretos.<br />
<br />
O novo diretor-presidente da Celtins, Riberto Jos&eacute; Barbanera, que assume o comando da empresa em substitui&ccedil;&atilde;o ao interventor apontado pela Aneel, Isaac Averbuch, conta que as prioridades ser&atilde;o a retomada da sustentabilidade da concess&atilde;o e da normalidade dos servi&ccedil;os no menor tempo poss&iacute;vel. &ldquo;Esses pilares estar&atilde;o presentes na implanta&ccedil;&atilde;o do plano de recupera&ccedil;&atilde;o para a empresa. Temos como foco a excel&ecirc;ncia nos servi&ccedil;os e no relacionamento com clientes. Nossas distribuidoras est&atilde;o entre as melhores do pa&iacute;s em rankings da Aneel. &Eacute; esse hist&oacute;rico de solidez, compromisso e efici&ecirc;ncia que traremos para a Celtins&rdquo;, ressalta.<br />
<br />
Entre 2014 e 2017, a Energisa ir&aacute; investir no estado cerca de R$ 670 milh&otilde;es. A prioridade, diz Barbanera, ser&aacute; a melhoria na qualidade do fornecimento de energia e a expans&atilde;o do sistema el&eacute;trico, com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento regional. &ldquo;O Plano de Recupera&ccedil;&atilde;o para a Celtins entregue &agrave; Aneel prev&ecirc; aporte financeiro na companhia e medidas para recuper&aacute;-la, com o objetivo de melhorar os servi&ccedil;os. S&atilde;o diversas a&ccedil;&otilde;es que ser&atilde;o fundamentais para que o estado possa crescer com seguran&ccedil;a energ&eacute;tica. Para isso, precisaremos devolver &agrave; Celtins a condi&ccedil;&atilde;o de rentabilidade, equil&iacute;brio financeiro e efici&ecirc;ncia operacional.&rdquo;<br />
<br />
Entre as a&ccedil;&otilde;es est&atilde;o a implanta&ccedil;&atilde;o e amplia&ccedil;&atilde;o de subesta&ccedil;&otilde;es e linhas de distribui&ccedil;&atilde;o de alta e m&eacute;dia tens&atilde;o; automa&ccedil;&atilde;o de subesta&ccedil;&otilde;es e sistema de m&eacute;dia tens&atilde;o; refor&ccedil;o da estrutura de manuten&ccedil;&atilde;o preventiva; amplia&ccedil;&atilde;o e moderniza&ccedil;&atilde;o do sistema de telecomunica&ccedil;&atilde;o e da &aacute;rea de TI; e redu&ccedil;&atilde;o das perdas de energia, que chegam a 15,9% no estado.<br />
<br />
Ele lembra que a rotina do consumidor permanecer&aacute; a mesma. &ldquo;Nada ir&aacute; mudar em termos de pagamento de conta, servi&ccedil;os de ag&ecirc;ncia e atendimento por meio do call center. O que podemos assegurar &eacute; que pretendemos melhorar a qualidade dos servi&ccedil;os prestados e temos muitos planos que ser&atilde;o colocados em pr&aacute;tica imediatamente&rdquo;, finaliza.<br />
<br />
<u><strong>Entenda o processo</strong></u><br />
<br />
O processo de aquisi&ccedil;&atilde;o teve seu desfecho em julho de 2013, quando a Energisa conseguiu que sua proposta fosse submetida &agrave; vota&ccedil;&atilde;o em Assembleia de Credores do Rede. Aprovado pelos credores, o Plano de Recupera&ccedil;&atilde;o Judicial foi homologado em setembro pela 2&ordf; Vara de Fal&ecirc;ncias de S&atilde;o Paulo, respons&aacute;vel pelo processo. Em outubro, a venda do controle acion&aacute;rio foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econ&ocirc;mica (Cade). Em dezembro, a Aneel aprovou o Plano de Recupera&ccedil;&atilde;o e Corre&ccedil;&atilde;o de Falhas e Transgress&otilde;es para o Rede, entregue pela Energisa dois meses antes. Em janeiro, a ag&ecirc;ncia reguladora deu anu&ecirc;ncia para a transfer&ecirc;ncia de controle, a &uacute;ltima etapa antes da conclus&atilde;o do neg&oacute;cio.<br />
<br />
<strong><u>Conhe&ccedil;a o Grupo Energisa</u></strong><br />
<br />
O Grupo Energisa &eacute; um dos principais grupos privados do setor el&eacute;trico do Brasil. Com 109 anos de hist&oacute;ria e uma das primeiras empresas a abrir capital no Brasil, em 1907, a Energisa tem na distribui&ccedil;&atilde;o de energia a base principal de seu neg&oacute;cio. Com a compra do Rede, a empresa passa a gerar 10&nbsp; mil empregos diretos.&nbsp; Somente no Tocantins s&atilde;o 865 funcion&aacute;rios.</span>

Comentários pelo Facebook: