Sobral – 300×100
Seet

Procurador da Assembleia diz que reivindicações dos professores podem ser incluídas na MP nº 11

admin -

<span style="font-size:14px;">Os deputados estaduais Josi Nunes(PMDB) , Z&eacute; Roberto(PT), Carl&atilde;o da Saneatins (PSDB), Osires Damaso(DEM) e Wanderlei Barbosa(SD), &nbsp;juntamente com&nbsp; os procuradores da Assembleia Legislativa, sentaram no final da manh&atilde; desta ter&ccedil;a-feira,15,&nbsp; com&nbsp; representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educa&ccedil;&atilde;o no Estado do Tocantins (Sintet) para discutir&nbsp; a legalidade de cada uma das reivindica&ccedil;&otilde;es que a categoria prop&otilde;e na Medida Provis&oacute;ria da Educa&ccedil;&atilde;o.<br />
<br />
De acordo com a deputada Josi Nunes, ap&oacute;s analisar cada item, a Procuradoria da Assembleia assegurou que as propostas apresentadas pelos professores podem ser inclu&iacute;das na MP n&ordm; 11. <em>&ldquo;N&oacute;s discutimos ponto por ponto&nbsp; as reivindica&ccedil;&otilde;es dos professores e verificamos a legalidade&nbsp; de&nbsp; incluir essas reivindica&ccedil;&otilde;es na Medida Provis&oacute;ria .&nbsp; A procuradoria concordou&nbsp; que a&nbsp; maioria dos itens podem ser inclu&iacute;dos.&nbsp; Ficou decidido que a Procuradoria ir&aacute; formatar um documento , que ser&aacute;&nbsp; entregue a todos n&oacute;s ainda no final desta tarde. Os deputados do governo v&atilde;o levar estas propostas para o governador e ent&atilde;o, discutir a possibilidade&nbsp; da inclus&atilde;o&nbsp; destas propostas na MP 11&rdquo;</em>, explicou a parlamentar.<br />
<br />
O Procurador da Assembleia, Benedito do Santos Gon&ccedil;alves, que conduziu a reuni&atilde;o, garantiu que n&atilde;o h&aacute; nenhum impedimento legal, mesmo sendo ano eleitoral. <em>&ldquo;N&atilde;o tem nenhum impedimento legal para fazer, mesmo sendo ano eleitoral. A MP n&atilde;o est&aacute; concedendo nenhum aumento.&nbsp; A medida pode ser aprovada sem duvida nenhuma desde que a&nbsp; revis&atilde;o geral que os professores querem se fa&ccedil;a dentro do limite da infla&ccedil;&atilde;o. O que ficaria ilegal seria o aumento acima da infla&ccedil;&atilde;o&rdquo;</em>, garantiu .<br />
<br />
Na ocasi&atilde;o, o Presidente do Sintet, Jos&eacute; Roque Rodrigues deixou claro que a categoria n&atilde;o est&aacute; pedindo nada que o governo n&atilde;o possa cumprir. <em>&ldquo;N&oacute;s n&atilde;o estamos acrescentando nada a medida Provis&oacute;ria, n&oacute;s estamos&nbsp; modificando aquilo que nos impede de avan&ccedil;ar. Queremos ter garantias do nosso avan&ccedil;o por exemplo nas progress&otilde;es, n&oacute;s queremos progress&otilde;es autom&aacute;ticas e continuas. A Medida do jeito que est&aacute; n&atilde;o garante isso. N&oacute;s queremos o escalonamento, o fracionamento&nbsp; das nossas&nbsp; tabelas. N&oacute;s n&atilde;o estamos querendo muita coisa. Nada&nbsp; que o governo n&atilde;o possa cumprir. Isso ficou provado aqui nesta reuni&atilde;o&rdquo;,</em> completou.<br />
<br />
Ao finalizar a reuni&atilde;o, a deputada Josi&nbsp; defendeu o fim da greve, mas com ganhos reais para os educadores. <em>&ldquo;Estas&nbsp; s&atilde;o as reivindica&ccedil;&atilde;o dos professores. Fiz a media&ccedil;&atilde;o deste&nbsp; processo para que possamos resolver este problema, voltarmos a sala de aula, restabelecer&nbsp; a educa&ccedil;&atilde;o no Tocantins, &nbsp;mas com ganhos reais para o professores&rdquo;</em>, finalizou.</span>

Comentários pelo Facebook: