Seet
Sobral – 300×100

Remanejamento de recursos na Secretaria de Educação provoca debates entre vereadores

admin -

<span style="font-size:14px;">Tr&ecirc;s vereadores da oposi&ccedil;&atilde;o teceram cr&iacute;ticas ao prefeito de Aragua&iacute;na (TO), Ronaldo Dimas, na tarde de ontem (14) durante a vota&ccedil;&atilde;o do Projeto de Lei 21/2014 que autoriza o remanejamento de R$ 18,9 milh&otilde;es dentro das pr&oacute;prias secretarias.&nbsp; O ponto mais criticado, e questionado, foi a retirada de R$ 8 milh&otilde;es que seria para reforma de escolas e sua realoca&ccedil;&atilde;o para folha de pagamento. J&aacute; a base aliada ao prefeito retrucou as alfinetadas.<br />
<br />
Com um pincel na m&atilde;o e mostrando para o l&iacute;der do prefeito na C&acirc;mara, Divino Bet&acirc;nia, a&nbsp;&nbsp; vereadora Silvinia Pires (PT) criticou os R$ 8 milh&otilde;es retirados da manuten&ccedil;&atilde;o das escolas e&nbsp; denunciou que as escolas municipais estariam com estrutura prec&aacute;ria e faltando material pedag&oacute;gico. Segundo ela,&nbsp; h&aacute; tr&ecirc;s meses as escolas n&atilde;o recebiam pinc&eacute;is. <em>&ldquo;O professor tem que comemorar quando ganha um pincel e ainda retira o dinheiro da manuten&ccedil;&atilde;o das escolas,&rdquo;</em>&nbsp; criticou.&nbsp;&nbsp;<br />
<br />
O vereador Batista Capixaba, que recentemente declarou sua independ&ecirc;ncia, tamb&eacute;m criticou&nbsp; o remanejamento na pasta da educa&ccedil;&atilde;o. <em>&ldquo;Isso &eacute; absurdo, tirar R$ 8 milh&otilde;es da manuten&ccedil;&atilde;o das escolas para levar para a folha do pagamento,&rdquo;</em> disse o parlamentar.&nbsp; Ele ainda disparou contra o efeito retroativo da Lei, a 5 de mar&ccedil;o. Segundo ele, a gest&atilde;o j&aacute; teria utilizado este dinheiro para completar a folha de pagamento referente a mar&ccedil;o.&nbsp;<br />
<br />
Diante das criticas ao Projeto, a base governista entrou em campo para defender a proposta. O l&iacute;der do prefeito, vereador Divino Bet&acirc;nia, considerou o discurso da vereadora Silvinia como apenas pol&iacute;tico e afirmou que o Projeto est&aacute; muito claro.&nbsp; <em>&ldquo;Ser&aacute; que estamos lendo errado? Ser&aacute; que o Portugu&ecirc;s escrito nesta Lei &eacute; diferente do que os colegas (oposi&ccedil;&atilde;o) t&ecirc;m?,&rdquo;</em>&nbsp; retrucou o parlamentar aliado de Ronaldo Dimas.<br />
<br />
O ex-l&iacute;der do prefeito na C&acirc;mara, Terciliano Gomes (SD), que deixou o cargo para ter mais liberdade, argumentou que o PL do Executivo visa garantir o pagamento do sal&aacute;rio dos professores e questionou: <em>&ldquo;Ser&aacute; que os professores que trabalharam n&atilde;o merecem receber o sal&aacute;rio?</em>&rdquo;&nbsp;&nbsp; J&aacute; o vereador Xeroso (PR) ressaltou que os profissionais da educa&ccedil;&atilde;o n&atilde;o podem levar calote, e ficar sem receber.<br />
<br />
Ap&oacute;s as discuss&otilde;es e trocas de farpas, o PL foi aprovado com 12 votos a favor e 3 contr&aacute;rios dos vereadores Soldado Alcivan, Silvinia Pires e&nbsp;&nbsp; Batista Capixaba. Cosmo Jamaica, vereador de oposi&ccedil;&atilde;o, n&atilde;o estava presente na sess&atilde;o.&nbsp; O presidente da C&acirc;mara, vereador Marcus Marcelo,&nbsp; n&atilde;o se manifestou na mat&eacute;ria, por quest&otilde;es regimentais.<br />
<br />
O projeto de Lei 21/2014 foi protocolado na C&acirc;mara Municipal de Aragua&iacute;na no &uacute;ltimo dia 26 de mar&ccedil;o, autorizando a abertura de cr&eacute;ditos especiais no or&ccedil;amento do munic&iacute;pio valor de R$ 18.917.000,00. A Lei entrar&aacute; em vigor na data de sua publica&ccedil;&atilde;o, mas com efeitos retroativos a partir do dia 05 de mar&ccedil;o de 2014.</span>

Comentários pelo Facebook: