Seet
Sobral – 300×100

Morreu "o último grande arquiteto do século 20"

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">A morte do arquiteto Oscar Niemeyer tem destaque hoje (6) na imprensa de Portugal. O site do jornal P&uacute;blico, de Lisboa, informa que morreu &ldquo;o &uacute;ltimo grande arquiteto do s&eacute;culo 20&rdquo;. J&aacute; o site do Di&aacute;rio de Not&iacute;cias lembra que Niemeyer era &ldquo;o mais importante arquiteto brasileiro&rdquo; e &ldquo;tamb&eacute;m um dos nomes mais influentes da arquitetura moderna em n&iacute;vel mundial&rdquo;.<br />
<br />
A ag&ecirc;ncia de not&iacute;cias Lusa tamb&eacute;m faz rever&ecirc;ncia e diz que &ldquo;o arquiteto brasileiro deixou mais de 600 obras em todo o mundo, sendo considerado um &iacute;cone da arquitetura moderna&rdquo;.<br />
<br />
Em Portugal, h&aacute; apenas uma grande obra de Oscar Niemeyer &ndash; tr&ecirc;s edif&iacute;cios (hotel, casino e centro de conven&ccedil;&otilde;es) que fazem parte de um complexo tur&iacute;stico do Funchal, na Ilha da Madeira. Os edif&iacute;cios foram projetados pelo brasileiro em 1966, quando estava exilado em Paris, e conclu&iacute;dos uma d&eacute;cada depois &ndash; dois anos ap&oacute;s a Revolu&ccedil;&atilde;o dos Cravos.<br />
<br />
Em 2001, foi publicado em Portugal o livro O Nosso Niemeyer, sobre a obra do Funchal. O livro, que inclui a biografia do brasileiro, foi escrito por Carlos Oliveira Santos, professor da Faculdade de Arquitetura de Lisboa.<br />
<br />
No ano passado, Oscar Niemeyer projetou o Museu de Arte Contempor&acirc;nea de Ponta Delgada para a Ilha de S&atilde;o Miguel, nos A&ccedil;ores. Com Portugal em recess&atilde;o econ&ocirc;mica, n&atilde;o h&aacute; previs&atilde;o de quando a obra poder&aacute; ser executada. Para Lisboa, o arquiteto ainda desenhou a futura sede da Funda&ccedil;&atilde;o Luso-Brasileira, que tamb&eacute;m ainda n&atilde;o foi constru&iacute;da.<br />
<br />
A passagem dos 100 anos de Niemeyer, em 2007, foi registrada pela imprensa lusitana e comemorada com a exposi&ccedil;&atilde;o Bras&iacute;lia 50 Anos, Niemeyer 100 Anos, em Cascais (pr&oacute;ximo a Lisboa).<br />
<br />
Como muitos brasileiros, Oscar Ribeiro de Almeida de Niemeyer Soares tinha ascend&ecirc;ncia portuguesa. Ao blog da Embaixada de Portugal, o arquiteto contou que em toda a vida sempre se sentiu &ldquo;mais Ribeiro de Almeida&rdquo;, referindo-se ao av&ocirc; materno de origem lusitana.</span></div>

Comentários pelo Facebook: