Seet
Sobral – 300×100

Morte do arquiteto Oscar Niemeyer repercute na imprensa internacional

admin -

<div style="text-align: justify;">
<span style="font-size:14px;">Jornais do mundo inteiro repercutiram nesta quarta-feira a morte do arquiteto Oscar Niemeyer, considerado um dos nomes mais influentes da arquitetura moderna mundial. Niemeyer morreu de infec&ccedil;&atilde;o respirat&oacute;ria &agrave;s 21h55 desta quarta, aos 104 anos, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro.<br />
<br />
O jornal espanhol El Pa&iacute;s deu destaque &agrave; morte na capa de sua edi&ccedil;&atilde;o online com o t&iacute;tulo &quot;Morre Niemeyer, o poeta da curva&quot;. Para o peri&oacute;dico, o arquiteto foi uma das figuras mais importantes da arquitetura moderna e desenhou boa parte de Bras&iacute;lia. Tamb&eacute;m da Espanha, o jornal ABC lembrou o fato de Niemeyer ter projetado os principais edif&iacute;cios p&uacute;blicos da capital federal brasileira.<br />
<br />
O espanhol El Mundo classificou Niemeyer como &quot;&uacute;ltimo s&iacute;mbolo do s&eacute;culo XX&quot; e destacou o fato de ele ter continuado trabalhando at&eacute; o fim da vida. Para o argentino Clar&iacute;n, que o chamou de &quot;&iacute;cone da arquitetura&quot;, o brasileiro foi um dos mais emblem&aacute;ticos expoentes da arquitetura moderna do s&eacute;culo XX.<br />
<br />
O jornal americano Wall Street Journall noticiou a morte do &iacute;cone, destacando que ele misturou o &quot;modernismo com a sensibilidade tropical de seu Brasil nativo&quot;, mas tamb&eacute;m foi alvo de cr&iacute;ticas, inclusive de pessoas que trabalhavam em algumas de suas obras. O Washington Post publicou um obitu&aacute;rio em que exalta a investida &quot;ousada e dram&aacute;tica&quot; do desenho em suas obras.<br />
<br />
O The York Times chamou o arquiteto de precursor de uma nova gera&ccedil;&atilde;o que deu vaz&atilde;o &agrave; sensualidade e &agrave; liberdade de imagina&ccedil;&atilde;o com fotos da Catedral de Bras&iacute;lia e uma a&eacute;rea da cidade. A revista Time, em sua edi&ccedil;&atilde;o digital, afirmou que Niemeyer encontrou inspira&ccedil;&atilde;o nas espirais da natureza e &quot;recriou as curvas sensuais do Brasil em concreto refor&ccedil;ado e construiu a capital, Bras&iacute;lia, nos despovoados planaltos centrais como s&iacute;mbolo do futuro da na&ccedil;&atilde;o&quot;. A publica&ccedil;&atilde;o aponta que, com centenas de edif&iacute;cios seus preenchendo a paisagem brasileira, nenhum outro arquiteto teve uma liga&ccedil;&atilde;o t&atilde;o forte com seu pa&iacute;s quanto Niemeyer teve com o Brasil.<br />
<br />
O ingl&ecirc;s The Guardian tamb&eacute;m deu espa&ccedil;o &agrave; morte de Niemeyer, destacando-o como o eminente arquiteto brasileiro conhecido como &quot;o homem que construiu Bras&iacute;lia&quot;. A BBC lembrou que Oscar Niemeyer sempre foi um grande defensor dos ideais da revolu&ccedil;&atilde;o sovi&eacute;tica e se manteve fiel a suas cren&ccedil;as comunistas mesmo ap&oacute;s a queda do Muro de Berlim. . O The Financial Times lembrou que Niemeyer era comunista e ressaltou sua s&iacute;ntese sobre a vida: &#39;&#39;A vida &eacute; um suspiro, um minuto. N&oacute;s nascemos, n&oacute;s morremos&#39;&#39;.<br />
<br />
O alem&atilde;o Der Spiegel aclamou Niemeyer como grande respons&aacute;vel por cunhar o estilo moderno no Brasil. Ainda na Alemanha, o di&aacute;rio Frankfurter Allgemeine chamou o brasileiro de &quot;a estrela da arquitetura&quot;. Outro jornal alem&atilde;o, o S&uuml;ddeutsche Zeitung, traz em sua p&aacute;gina na internet uma galeria com fotos de Niemeyer e suas obras.<br />
<br />
Para o Le Monde, um dos principais jornais da Fran&ccedil;a, Niemeyer era o &#39;&#39;arquiteto da sensualidade&#39;&#39;. Na reportagem, h&aacute; duas fotografias: uma do arquiteto olhando a paisagem do Rio de Janeiro pela janela e a outra do Pal&aacute;cio da Alvorada, resid&ecirc;ncia oficial da presidenta da Rep&uacute;blica, Dilma Rousseff. Segundo a mat&eacute;ria jornal&iacute;stica, Niemeyer revolucionou a arquitetura. A Xinhua, ag&ecirc;ncia estatal de not&iacute;cias da China, publicou uma reportagem longa copilando v&aacute;rias informa&ccedil;&otilde;es sobre o arquiteto. Tamb&eacute;m ressaltou a nota de pesar da presidenta Dilma Rousseff. A emissora Al Jazeera, uma das principais do mundo &aacute;rabe, definiu Niemeyer como o &#39;&#39;arquiteto futurista&#39;&#39; e lembrou seu legado com mais de 400 obras espalhadas pelo mundo.<br />
<br />
Em sua p&aacute;gina oficial no Facebook, a ONU Brasil homenageou Niemeyer, destacando que ele participou do desenvolvimento de projetos arquitet&ocirc;nicos para a constru&ccedil;&atilde;o da sede permanente das Na&ccedil;&otilde;es Unidas em Nova York. A entidade relembrou a participa&ccedil;&atilde;o do arquiteto na Confer&ecirc;ncia Rio+20 e o definiu como um &quot;ser humano que deixar&aacute; muitas saudades&quot;.</span></div>

Comentários pelo Facebook: