Seet
Sobral – 300×100

Carreta que levava peças para fábrica de cimento em Xambioá é multada em R$ 5 mil por excesso de peso

admin -

<span style="font-size:14px;">Nesta quarta-feira, 23, Agentes da PRF abordaram em Para&iacute;so do Tocantins uma carreta do tipo prancha, placas de Paran&aacute;, conduzido por um homem de 40 anos, carregado com cinco pe&ccedil;as (contrapesos) de ferro fundido, totalizando um peso bruto total de 78 toneladas quando a capacidade normal seria de 57 toneladas.<br />
<br />
Segundo a PRF, para ludibriar a fiscaliza&ccedil;&atilde;o foram colocadas adesivos sobre o local onde constava o peso forjado na pr&oacute;pria pe&ccedil;a. J&aacute; a&nbsp;Autoriza&ccedil;&atilde;o Especial de Tr&acirc;nsito &ndash; AET permitia o transporte de apenas uma pe&ccedil;a.<br />
<br />
A carga saiu do interior de S&atilde;o Paulo com destino &agrave; cidade de Xambio&aacute;/TO, onde seria utilizado por um guindaste em uma f&aacute;brica de cimento.<br />
<br />
A libera&ccedil;&atilde;o est&aacute; condicionada a realiza&ccedil;&atilde;o do transbordo do excesso verificado. Ser&aacute; necess&aacute;rio um bitrem e um caminh&atilde;o truck para receber as quatro pe&ccedil;as excedentes. Pela infra&ccedil;&atilde;o constatada foi lavrado um auto de infra&ccedil;&atilde;o em mais de cinco mil reais.<br />
<br />
Al&eacute;m das penalidades previstas no C&oacute;digo de Tr&acirc;nsito Brasileiro, que pode alcan&ccedil;ar o condutor, o propriet&aacute;rio do ve&iacute;culo, o embarcador e o transportador, o respons&aacute;vel direto pela infra&ccedil;&atilde;o, poder&aacute; sofrer outras san&ccedil;&otilde;es por for&ccedil;a de um Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC), celebrado entre e a PRF e o Minist&eacute;rio P&uacute;blico Federal &ndash; MPF, que visa combater o excesso de peso nas rodovias federais. Todas as ocorr&ecirc;ncias desta natureza ser&atilde;o encaminhados ao MPF que oferecer&aacute; denuncia, buscando inclusive indeniza&ccedil;&atilde;o pelos danos causados.</span>

Comentários pelo Facebook: