Servidores da saúde cobram melhorias salariais e condições de trabalho; falta até dipirona no HRA

admin -

<span style="font-size:14px;">Enfermeiros e t&eacute;cnicos de enfermagem protestaram em frente ao Hospital Regional de Aragua&iacute;na (HRA) na manh&atilde; de ontem (22). As categorias cobram do governo do Estado melhores condi&ccedil;&otilde;es de trabalho, o pagamento das progress&otilde;es, os 10% acumulados da data base, al&eacute;m dos 40% do adicional de insalubridade.<br />
<br />
De acordo o vice-presidente do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem do estado do Tocantins (SEET),&nbsp; Paulo Maria Batista, al&eacute;m da luta por sal&aacute;rios,&nbsp; os profissionais tamb&eacute;m cobram melhorias das condi&ccedil;&otilde;es no ambiente de trabalho. <em>&ldquo;Falta material de assist&ecirc;ncia ao paciente, pr&eacute;dios abandonados,&rdquo;</em> denuncia.&nbsp; Acrescentando ainda que o Hospital Regional de Aragua&iacute;na falta at&eacute; dipirona.<br />
<br />
Segundo o representante sindical, a corre&ccedil;&atilde;o da data base est&aacute; com 19 meses &nbsp;em atraso. Por este motivo est&aacute; sendo cobrado o cumprimento de um acordo coletivo&nbsp; fechado em 12 de maio&nbsp; com Governo que fixou o percentual em&nbsp; 10,808%.&nbsp; Outra reivindica&ccedil;&atilde;o feita &eacute; pelo pagamento do adicional de insalubridade. Hoje, os 40% &nbsp;s&atilde;o calculados com base no sal&aacute;rio m&iacute;nimo, no entanto, as categorias exigem que a refer&ecirc;ncia seja o sal&aacute;rio de cada profissional, assim como nas outras categorias.</span>

Comentários pelo Facebook: